terça-feira, 1 de agosto de 2017

22º Domingo do Tempo comum A

22º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Carregar a Cruz
- Oração – Que Deus derrame seu amor.
- Leituras: Jr 20, 7-9; Sl 62; Rm 12, 1-2; Mt 16, 21-27.


Observação exegética – “Vai para longe, Satanás” (Upage opiso mou, Sataná), a tradução literal do original seria uma ordem para Pedro ir para trás de Jesus, pois Pedro, conforme o aramaico satanás (opositor) estaria impedindo Jesus (escandalon) de seguir o caminho da obediência ao Pai, o caminho da Cruz. Portanto, Pedro deveria aprender a ser discípulo seguindo o Mestre no carregar a cruz.

2. Esquemas

1º Esquema
“Se alguém quer me seguir renuncie a si mesmo”. O seguimento de Jesus é o caminho da cruz, o sofrimento de cada dia unido a Deus, nesse caminho é necessário renegar a si mesmo e assumir a graça que Deus nos dá de seguir carregando a Cruz, como Pedro e como Jeremias, o clamor humano da dor brota de nosso coração, por isso somos convocados a também aprender sair da auto-complacência e recomeçar o aprendizado do carregar a cruz, oferecendo-se a si mesmo como sacrifício vivo a Deus, nossa vida proclamando; “Sois Vós o meu Deus”.

2º Esquema
“Tome a sua cruz e siga-me”. O sofrimento faz parte da vida humana, não adianta entrar em esquemas de esquecer ou fugir do sofrimento para salvar a própria vida, é preciso tomar a cruz e carregá-la com dignidade. Somos humanos e como Pedro queremos fugir ou como Jeremias clamamos que Deus nos enganou e nos enviou para uma vida de sofrimento, a graça supera tudo isso, graça que nos torna, a partir de nosso sofrimento, um sacrifício agradável a Deus, e nos faz louvar a Deus e saber que só Ele nos sacia plenamente.

3º Esquema

“Quem quiser salvar sua vida vai perdê-la”. Parece um paradoxo mas é isso, ninguém poderá salvar-se, só Deus pela Cruz de seu Divino Filho, e graça que dela advém, nos salva. Para isso, temos que renunciar a nós mesmos, aos pensamentos egoístas, não nos conformar aos esquemas do pensamento mundano, e aceitar o sofrimento que advirá da condição humana, de amar plenamente a Deus e ao próximo, é uma missão profética que nos é dada e que, como o fez a Jeremias, nos faz arder até as entranhas e nos faz sofrer. Por isso, o que Deus quer não é um perfeccionismo vazio, mas nossa vontade empenhada na luta, mesmo que essa luta desemboque no fracasso da cruz, mas desse fracasso surgirá a ressurreição, quando finalmente nossa alma será saciada. 

21º Domingo do Tempo comum A

21º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Ligar e desligar pelo poder de Deus
- Oração – Deus fonte de todo bem
- Leituras: Is 22, 19-23; Sl 137; Rm 11,33-36; Mt 16, 13-20.


2. Esquemas

1º Esquema
Feliz é Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne que te revelou isso.. Pedro proclama que Jesus é o Filho de Deus, é a profissão de fé por excelência, e essa profissão de fé advém do próprio Deus, que como nos diz a oração hoje é fonte de todo bem, é sobre fé que a Igreja é erigida e nesta fé que Pedro tem autoridade, como Eliacim na primeira leitura de ligar e desligar, de decidir sob a ação do Espírito Santo, como que um ser humano pode ter um poder assim? São Paulo exclama como é profunda a sabedoria e a ciência de Deus, não podemos entendê-la. Por isso procuremos a vontade de Deus nos instrumentos que Ele próprio escolheu como o Papa e os bispos e outros, para que assim agradeçamos a vontade e a bondade de Deus para sempre.

2º Esquema
Sobre esta pedra edificarei a minha Igreja... Deus não precisa de nós, mas quis precisar de nós. Assim é Pedro. Sobre ele o povo congregado por Cristo é constituído, é construído, e como se constrói um povo? Através da vontade de Deus que se manifesta em instrumentos frágeis como Pedro, mas que porém tem uma fé robusta para proclamar que Jesus é o Filho de Deus, Pedro que é carne sob a ação de Deus, pode como Eliacim na primeira leitura, conduzir o povo pela proclamação da vontade Deus, pelo ligar ou desligar, que cada um de nós louve a Deus por sua profunda sabedoria e que através de sua vontade expressa na Igreja completa em nós a obra começada.

3º Esquema

Eu te darei as chaves do Reino do Céus. Como antigamente um proprietário confiava as chaves de sua propriedade para o seu administrador fiel, assim Jesus confia a Pedro as chaves do Reino dos Céus, o poder de ligar e desligar, isto é de ser instrumento da vontade de Deus no mundo. Pedro tão frágil, tão carne, mas na fé pode ser esse instrumento, assim nos admiramos de que Deus se utiliza de instrumentos frágeis, mas que pela ação do Espírito na fé podem proclamar qual é a verdadeira vontade Deus. Agradeçamos ao Senhor, fonte de todo bem e de toda sabedoria, para que mais e mais nos guie nesta vida até o dia de O louvarmos para sempre no céu pela sua infinita misericórdia. 

Assunção de Nossa Senhora

Assunção de Nossa Senhora

1. Informações básicas
- Maria assunta em corpo e alma ao céu
- Oração – Pela assunção ater-nos às coisas do alto.
-  Ap 11,19; 12, 3-6.10; Sl 44; 1 Cor 15, 20-27; Lc 1, 39-50.

1º Esquema
A minha engrandece... Maria imaculada não poderia conhecer a corrupção da morte por causa do pecado, Ela pode verdadeiramente engrandecer o Deus de justiça e misericórdia que quer levar seu povo à plenitude da comunhão eterna, representado pela mulher revestida de Sol. Se Jesus é a primícia da ressurreição sua mãe o segue, e nós também contemplando a rainha ao lado do rei eterno, devemos nos ater às coisas do céu aqui para um estarmos eternamente com eles.

2º esquema
A mãe do meu Senhor, aquela que tem um relacionamento íntimo com o Senhor no corpo e no coração, não poderia ter pecado e portanto nos precede na plenitude do seremos, isto é, em corpo e alma no céu, mas não individualmente somente, mas como povo, como as 12 estrelas em sua cabeça, estaremos em Deus, por isso a Assunção aponta para a plenitude da nossa vida e ao olhar para nossa Mãe que essa esperança seja derramada em nossos corações.

3º esquema
Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes, a humilde serva do Senhor é elevada ao céu, somente aquele que verdadeiramente confia em Deus a partir de uma humildade a toda prova, pode ser elevado ao céu, ninguém se eleva ao céu, por isso Maria é assunta, é assumida, tomada, somente aquela que sabe-se iluminada por Deus pode chegar então até ele, nós também sigamos os passos de Maria em direção à nossa ressurreição somente, na humildade, assumindo o que somos podemos chegar a essa ressurreição, que aquela que está ao lado do rei nos ensine o caminho.

19º Domingo do Tempo Comum A

19º Domingo do Tempo Comum A

1. Informações básicas
- Fé e Aliança
- Oração – Considera vossa aliança e dai-nos um coração de filhos.
-  1 Rs 19, 9.1-13; Sl 84; Rm 9, 1-5; Mt 14, 22-33.

1º Esquema
Homem fraco na fé, porque duvidaste? Diante do vento a fé de Pedro vacila, fé é que leva Pedro ir ao encontro do Senhor em meio às Trevas, enquanto os outros ficam na segurança do barco, mesmo assim o vento e o mar, o caos o faz vacilar, mas mesmo assim Pedro reconhece o Senhor como Senhor e estende as mãos ao encontro da mão do Mestre. Como Elias que reconhece em meio às demonstrações de força do vento e do fogo a voz na Brisa suave, retorna ao lugar da Aliança primeira, Aliança do Povo de Israel que Jesus é a plenitude. Por isso, que esta Eucaristia seja o fortalecimento da Aliança em nossa vida, e paz e justiça se abracem.

2º esquema
Jesus subiu ao monte, do mesmo modo que o Horeb é o lugar do encontro intimo com Deus para Elias em sua missão de executar a Palavra dada por Deus, Jesus no colóquio íntimo com o Pai se fortalece na sua dominação do caos que é o vento e o mar, também nós, com a fé fortalecida na Eucaristia, a Aliança Eterna que se faz presente somos chamados a nos fortalecer, e experimentar a bondade e a salvação que Deus prometeu ao Povo de Israel e sempre, sempre dá em sua Aliança.

3º esquema
Verdadeiramente tu és o Filho de Deus, experimentar o sofrimento em meio a nossa vida com fé nos faz professar que Jesus é o Senhor, como Elias que cansado de sua luta solitária recobra força voltando ao Deus da Aliança, nós também nos voltando ao Deus da Aliança, das leis, do culto, das promessas, através de Jesus Cristo, nos fortalecemos para evangelizar na certeza de que a verdade e o amor, a justiça e a paz se abraçarão.