segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

4º Domingo do Tempo comum A

4º Domingo do Tempo comum A

1.                   Informações básicas
- Abertura do Sermão da montanha, da missão de Jesus.
- Oração – adorar a Deus e amar as pessoas.
- 1ª Leitura Sf 2,3;3,12-13, Sl 145, 1 Cor 1,26-31, M 5, 1-12a


2. Esquemas

1º Esquema
Bem-aventurados os pobre em espírito, aqueles que são verdadeiramente pobres, que sabem-se necessitados de Deus e amam as pessoas, esses sim podem buscar a Deus como ouvimos do profeta sofonias, porque somente aquele que sabe-se totalmente pobre, sabe-se totalmente dependente pode ser aquele que adora, aquele que busca a Deus. Isto é sabedoria divina, a sabedoria da cruz, que faz com que nos identifiquemos com o Cruficicado que se entregou para a salvação de todos, e com o mesmo coração de Deus, coração de pobre, aí poderemos como Deus fazer justiça aos oprimidos.

2º Esquema
O novo Moisés sobe ao monte para dar a lei, e a lei é que bem aventurado os porbres em espírito, os aflitos que esperam em Deus a consolação, seja como o profeta Sofonias que contempla a iniqüidade das pessoas e se sente impotente diante disso, ou a aflição de todos aqueles que querem justiça numa sociedade extremamente injusta hoje, seja lá ou seja hoje, temos esperança que Deus intervem e queremos a partir de nossa fraqueza, de nossa pequenez como diz São Paulo ser instrumento da graça de Deus para que essa justiça comece a atuar aqui, no dia de hoje, e vendo os órfãos e as viúvas, sabemos que sempre, Deus cuida do fraco, e sua Providência vai triundar, no Reino de Deus.

3º Esquema
Bem aventurado os puros de coração, aqueles que tem um coração uno em Deus, porque entendendo a própria pobreza não colocam na carne a esperança, mas vêem o ser humano algo mais de comércio, sabem ver que o ser humano é precioso diante de Deus, e luta para que esse ser humano seja defendido de mentiras que o querem instrumentalizar. E na esperança de que um dia, mesmo sendo “um punhado de homens humildes e pobres”, mas felizes porque são amados pelo que são e não pelo que aparentam ou tem, aí o Reino de Deus acontecerá, porque todos, sem exceção se gloriarão no Senhor, a única glória será Deus. Nesse ponto a adoração a Deus tranformará o amor humano, e este será pleno, Ó Sião o teu Deus reinará, por todos os séculos.

4º esquema
Bem-aventurados sois vós quando vos perseguirem, por causa de mim, o pobre que tem sua única riqueza em Deus, aponta para esse mesmo Deus, com palavras bonitas? Com sabedoria do mundo? Não, mas com a própria vida. Mártires são pobres, testemunhas são pobres, e isto incomoda aqueles que absolutizam aquilo que é desta terra, e assim a perseguição virá com certeza. Mas a confiança de Sofonias queremos ter, que no final Deus vai vencer, com homens humildes e pobres, homens limitados e que tem consciência disso, São Paulo não foi diferente, pregando à orgulhosa Corinto de seus dons, ele prefere anunciar que Deus escolhe o que é fraco para confundir o que é forte, ele mesmo foi um exemplo disso, que assumamos nossa orfandade e viuvez, para que o Senhor liberte a nós os cativos e perseguidos do tempo presente.

5º esquema

Bem aventurado os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. Paz não é passividade, mas proclamar que a justiça entre os homens tem uma finalidade fazer com que todos se amem, como na oração inicial, e quem pode fazer com que isto aconteça é Deus. Seremos filhos de Deus sim, porque sabemos que através de nós a graça de Deus age promovendo a paz entre os homens. Somente com desejos, não, mas com atos concretos, com ações que mostrem que Deus age no meio dos seres humanos, das pequenas até as grandes ações. Mas por outros lado, sozinhos nada podemos, ou sabemo-nos filhos de Deus em potência, os portadores do crucificado, que morreu pobre, ou não conseguiremos promover a paz e principalmente mantê-la. O Senhor é fiel para sempre, e sempre olhará para o pobre, mas não esqueçamos que no final ´Deus vencerá, e paz, que o príncipe da paz que foi crucificado e ressuscitou, triunfará no Reino de Deus na Eternidade.  

3º Domingo do Tempo Comum - A

3º Domingo do Tempo Comum - A

1. Informações básicas
- Convertei-vos e crede no Evangelho
- Oração - Deus dirija nossa vida pelo seu amor para que frutifiquemos.
- 1ª Leitura Is 8.23b-9,3; salmo 26; 2ª leitura 1 Cor 1,10-13.17; Ev. Mt 4, 12-23

1º Esquema
Foi Morar em Cafarnaum para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías.
Jesus, em sua vida mortal, se torna luz para o norte de Israel, como no trecho de Isaías aqueles que tinham sofrido o assédio Assírio veem uma luz que surge num príncipe, veem um sinal de Deus, Jesus se torna esse sinal de Deus, e quer mediante seu convite que os filhos de Zebedeu tornem-se também esse sinal de Deus, através do seu seguimento. Nesse ponto, na atualização pode-se tomar o que São Paulo nos diz para não se absolutizar o simbolo, é Jesus que ilumina pelo sacramento e pela Palavra, e somos apenas canais dessa luz, como cada um deve ter a consciência de sê-lo e pode-se rezar isso através do Salmo 26 "O Senhor é minha luz e salvação".

2º esquema.
"Pois do Reino a Boa Nova jesus Cristo anunciava e as dores do seu povo, com poder, Jesus curava" Aclamação Mt 4, 23.
Jesus é luz, não num sentido gnóstico de iluminação intelectual, mas luz porque anuncia a Palavra de Deus que muda o coração de seu povo e também curava, dava a salvação plena a este povo. Como o povo que viu brilhar uma grande luz num contexto de opressão exílica, assim hoje queremos que Jesus nos ajude a ter decisões verdadeiramente cristãs e iluminar a nossa vida e das pessoas. Esse é o seguimento de uma vocação batismal. Nesse sentido não pode haver discordâncias em comunidade advinda de partidos por este ou aquele, pregar o Evangelho segundo São Paulo é anuncia a Cruz de Cristo, esse amor entrega que num contexto de várias catástrofes pode ser através de ações concretas para ajudar as pessoas. aí sim as pessoas vão ter certeza que o "Senhor é proteção de minha vida".

3º esquema.
"Eles imediatamente deixaram a barca e o pai, e o seguiram".
O que impulsiona o cristão é saber que Jesus é o Senhor e com seu amor transforma a nossa vida, não há outro motivo para um ser humano largar o trabalho e o relacionamento familiar. Não é uma renuncia vazia, mas por algo maior, como diz a oração inicial, para frutificar. O Senhor é luz para os desesperados, esperança, e somos chamados a iluminar aqueles que não tem mais esperança, como aqueles que voltaram do exílio. O fruto maior, não são obras ou palavras, mas obras e palavras que transmitam esse amor de Deus e construam comunidade, aí entendemos porque São Paulo diz que não foi enviado para batizar mas para pregar, nesse sentido é construir comunidades que vivam sem divisões, mas na concórdia, aí não somente cada um, mas a Igreja se torna luz do mundo, porque ela como Santuário do Senhor, Santuário da Palavra de Deus, tornar-se luz do mundo, o amor de Deus é visto na Igreja.

2º Domingo do Tempo comum A

2º Domingo do Tempo comum A

1.                   Informações básicas
- Testemunhar o Cordeiro de Deus.
- Oração – Escutai as preces do vosso povo.
- Leituras: Is 49,3.5-6; Sl 39; 1 Cor1,1-3; Jo 1,29-34 


2. Esquemas

1º Esquema
Eis o Cordeiro de Deus... A epifania do Senhor continua no Tempo Comum, quando Jesus é apresentado por São João Batista, como o Cordeiro de Deus, aquele que pela sua entrega iria cumprir a profecia de Isaías, um servo perfeito que uniria o Povo a Deus e seria mais do que servo luz nações, para todos os povos. Nós também somos desse povo e queremos ser santos no Senhor, que a graça de Deus possa triunfar em nossos corações e com prazer fazer a vontade de Deus.

2º Esquema
“Porque existia antes de mim”...O testemunho não é somente uma palavra ou um gesto qualquer, testemunho é como São João Batista reconhecer que Jesus é o Salvador, a Palavra de Deus que exista sempre e se encarnou para ser o Cordeiro imolado de Deus para a salvação da humanidade, fora isso, pregaremos um Jesus de estória de criança, uma historinha dentre muitas. Testemunhar com a vida e a palavra que Jesus é a luz das nações, o salvador e não há outro salvador, não deve haver tergiversação alguma, como nos diz São Paulo dirigindo-se aos que invocam o nome de Jesus como Deus e salvador, e na sua graça cumprir com prazer a vontade de Deus.

3º Esquema

“Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer...” A epifania do Senhor Jesus continua no tempo pela ação do Espírito Santo, nesse Espírito somos imersos (batizados) de tal forma que todo nosso ser proclama que Jesus é o Senhor. Jesus é o servo que vem para cumprir a vontade do Pai e ser luz das nações, mas nós N’Ele somos também verdadeiros servos de Deus e luz para as nações pela graça do pai e do Senhor Jesus, graça que nos faz outros cristos, isto é, verdadeiros templos do Espírito Santo, que por obras proclamam que fazem com prazer a vontade de Deus e assim exercem o sacrifício perfeito. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Batismo do Senhor A

Batismo do Senhor A

1. Informações básicas
- Batismo e Missão
- Oração – Renascidos da água e do Espírito, perseverar no amor de Deus.
- Leituras: Is 42,1-4.6-7; Sl 28; At 10,34-38; Mt 3,13-17.

2. Esquemas

1º Esquema
Então o céu se abriu e Jesus viu o Espírito de Deus descendo como pomba... No Batismo de Jesus, pelo qual ele santifica as águas, o Pai o declara amado e o Espírito paira, a Criação é refeita pelo mergulho nas águas. A partir desse momento o Batismo não é somente uma vontade humana de conversão, como o Batismo de João, mas é ser mergulhado no Espírito e ser purificado na vida nova, transformados pelo Espírito do Cristo Morto e Ressuscitado podemos como o servo da primeira leitura praticar obras de justiça e da graça, ser verdadeiros missionários como nos diz São Pedro na segunda leitura, que Deus nos abençoe, a iniciativa é Dele, nos transformando para tributarmos a Ele toda glória, por palavras e obras.

2º Esquema
Este é meu filho amado...O sonho messiânico é que surgisse um servo de Deus verdadeiro que estivesse tão unido a Deus que suas palavras e obras revelassem o próprio Deus, esse sonho-profecia cumpriu-se em Jesus Cristo, por isso o seu Batismo é a epifania da Trindade, o início de sua missão messiânica. Jesus, como no dizer de São Pedro, é o ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder, nós somos associados a essa missão pelo Batismo, imersos na Trindade Santíssimos, recebemos a bênção do Senhor, para proclamarmos com a vida e a palavra: Glória ao Senhor.

3º Esquema
“Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”.... A consciência de ser criatural é a consciência de São João Batista que o leva a acolher o Messias e batizá-lo, essa consciência devemos ter para contemplar a Trindade revelada em Jesus Cristo, no seu Batismo, vê-Lo como o Servo que veio para estabelecer a justiça sobre a terra, o centro da Aliança de Deus com o seu povo, no dizer de Isaías, reconhecendo ser criaturas nos abrimos a graça Batismal que está em nós, e assim pela Unção do Messias somos assumidos pelo Pai como filhos amados, e assim teremos toda a paz e bênção para sempre.       


Epifania do Senhor

Epifania do Senhor

1. Informações básicas
- Revelação de Deus a todos os povos
- Oração – Hoje revelastes o vosso Filho às nações.
- Leituras: Is 60, 1-6; Sl 71; Ef 3,2-3a.5-6;Mt2,1-12.

2. Esquemas

1º Esquema
Viemos do Oriente adorar o Rei... O sonho de Isaías se cumpre, a salvação que está em Sião agora é reconhecida pelas nações (gói), nos reis, eles representam cada um de nós que reconhecem no menino a presença plena de Deus, no seu ajoelhar, o reconhecimento da divindade está a adoração de cada ser humano, enquanto a epifânia do Natal se restringe aos pastores de Israel, nos magos está todos os seres humanos, no dizer de Paulo, os pagãos são admitidos à mesma herança de Israel, por isso a Epifânia é a festa das nações, que hão de adorar a Deus.

2º Esquema
Ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. Nos três presentes está a nossa vida que reconhece naquele menino o Rei que vem para servir o ser humano dando-lhe a salvação plena cujo cume é a cruz, a mirra pó utilizado no sepultamento, e finalmente o incenso reconhecendo que aquele serve através da sua morte é Deus e vem nos trazer a salvação plena. É tudo isso que o Profeta Isaías disse que as nações viriam buscar e na promessa feita aos patriarcas agora todos os povos podem participar da salvação plena.

3º Esquema

Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. Na busca dos magos está a busca de cada ser humano por salvação e vida. Por isso, a alegria deles é nossa alegria, buscamos ainda essa salvação e queremos hoje nos alegrar por contemplar no Filho de Deus encarnado Deus (incenso), o Rei (ouro) e o ser humano mortal (mirra), no hoje da Liturgia queremos ir a Sião contemplar essa salvação e tomar posse da promessa e da herança que nesse menino nos é dada.      

Santa Mãe de Deus

Santa Mãe de Deus

1. Informações básicas
- Santa Maria Mãe de Deus
- Oração – Virgindade Fecunda de Maria.
- Leituras: Nm 6, 22-27; Sl 66; Gl 4,4-7; Lc 2, 16-21.

2. Esquemas

1º Esquema
Encontraram Maria e José... Na plenitude do templo Deus nasce de uma mulher, a participação dessa mulher no processo salvífico nos faz ver como deve ser nosso relacionamento com Deus, Maria virgem, totalmente fiel ao projeto de Deus, e Mãe, o relacionamento mais pleno com Deus, nos guia como deve ser o nosso relacionamento com Deus, esse relacionamento é no tempo, por isso no início de cada ano nos faz pedir que essa bênção, Deus quer nos fazer o bem, e que Maria interceda por nós para que saibamos como ela nos relacionar com Deus.

2º Esquema
Deram-lhe o nome de Jesus, o filho da Virgem tem o nome de que Deus se faz carne para salvar o ser humano, a bênção de Deus agora está presente na carne, no filho que nasceu de uma Virgem e Mãe, o Nome de Deus está perto, a sua presença agora se relaciona plenamente conosco, que Deus faça com que nesse ano a sua graça e sua bênção esteja sempre conosco através do Mediador Jesus.

3º Esquema
Maria Mãe de Deus, muitas vezes não se entende esse dogma, Mãe é aquela que gera, mantém no ventre e dá à luz, é impossível separar a essência de Deus, por isso Maria gerando o Filho de Deus, é mãe de Deus, por Jesus ser homem tem que nascer de uma mulher e por ser Deus tem que nascer de uma Virgem, que Maria, a mãe da bênção, possa interceder para que o ano que se inicia esteja pleno da presença, da bênção de Deus.     

Sagrada Família A

Sagrada Família A

1. Informações básicas
- Modelo de Família
- Oração – Sagrada Família como exemplo.
- Leituras: Eclo 3,3-7.14-17; Sl 127; Cl 3,12-21; Mt 2,13-15.19-23.

2. Esquemas

1º Esquema
José pegou o menino e sua mãe... A Sagrada Família é o exemplo de toda e qualquer família ou comunidade, porque vive plenamente o amor da Santíssima Trindade no relacionamento mútuo. A Sagrada Família passou por problema e aflições como nossas famílias hoje passam, mas mesmo assim viveram o que as leituras dessa Santa Missa nos propõe, o respeito, a concórdia, a obediência, por isso peçamos que o temor a Deus aumente cada dia mais em nossas famílias, para que com a graça de Deus vençamos as dificuldades desta vida e participemos para sempre da família de Deus.

2º Esquema
José... O protagonista da Sagrada Família neste Evangelho é São José, ele como o pai protege e conduz sua família para estar a salvo das perseguições e em meio a tanta tribulação permanece justo e integro diante de Deus e diante dos homens. Em nossas famílias esta honra deve ser dada ao pai e a mãe, como educadora deve ajudar os filhos a conviverem na vida familiar, e os filhos criados na obediência que os faz crescer na alegria da vida e não na perseguição e na intimidação, que São José interceda por nós para que nossas famílias sejam abençoadas e sejam como a Sagrada Família, louvando a Deus para sempre. 

3º Esquema

“Foi morar numa cidade chamada Nazaré”. A Sagrada Família não vive numa redoma de vidro afastada das pessoas, incomunicáveis, mas se inserem na vida de uma cidade, São José com sua profissão, Maria cuidando da Casa e Jesus sendo-lhes submisso. Nós também, vivendo na alegria e tribulação das nossas cidades, não podemos perder o espírito da Sagrada Família, por mais pressão que sofremos, os filhos devem ser formados na obediência da liberdade, os pais sejam provedores e autoridades amadas, as mães, como grande educadores conduzam suas famílias até Deus, pois são felizes os temem o Senhor e trilham seus caminhos, até o dia de todos nós estarmos para sempre na Família de Deus. 

Natal Dia

Natal Dia

1.                  Informações básicas
- Deus assume a natureza humana 
- Oração – dai-nos participar da divindade de vosso Filho.
- Leituras: Is 52, 7-10; Sl 97; Hb 1,1-6; Jo, 1,1-18.

2. Esquemas

1º Esquema
E a Palavra se fez carne e armou tenda entre nós... Deus acompanhou seu povo no deserto habitando em Tenda, o símbolo maior de ser nômade, daqueles que no deserto procuram a terra prometida, agora a Tenda de Deus não é feita de pele de animal, mas de pele humana, Deus assume totalmente a natureza humana, para nos fazer participar da divindade, como em Hebreus, esses tempos são os últimos porque o que foi anunciado foi cumprido Deus envia seu próprio filho, essa é a mensagem maior do profeta Isaías, o anúncio da redenção do exílio chegou, a Salvação de Deus se faz presente para sempre no meio da humanidade.

2º Esquema
No Princípio era a Palavra... A expressão plena de Deus, o esplendor da glória do Pai, Eterno, se faz carne, e agora Deus entra em relação plena com o ser humano através de uma criança, a Palavra que se faz carne pela ação do Espírito e nasce, agora vemos e ouvimos Deus num ser humano, o relacionamento é pleno e somos agora em Cristo gerados filhos de Deus, participantes da Divindade nascemos agora por vontade de Deus, o Natal é essa alegria plena anunciada pelos profetas, Deus quer que estejamos com Ele e nos propicia isso na Palavra que se faz Carne.

3º Esquema
E a luz brilha nas Trevas, a Palavra é luz para os passos humanos, agora essa Palavra não está mais escondida no recôndito da Divindade, mas se manifestou entre nós, para que cada ser humano possa participar da Divindade não como escravo mas como filhos gerados pela graça trazida por Cristo. No Filho do Pai encarnado e nascido contemplamos o Mistério de Deus que se manifesta historicamente, cada um de nós é convidado a contemplar a salvação de Deus e anunciar ao mundo, A Salvação de Deus se fez carne e armou tenda entre nós.    

Natal Noite

Natal Noite

1.                  Informações básicas
- A Luz rompe nas trevas 
- Oração – Verdadeira Luz.
- Leituras: Is 9, 1-6; Sl 95; Tt 2,11-14; Lc 2, 1-14.

2. Esquemas

O simbolismo da luz: a Luz rompe as trevas, trevas não é somente escuridão, mas é o caos total, a falta de vida, é morte, a Luz dissipa as trevas e vai organizando a Criação (Gn 1) e guia o ser humano. Por isso, é perfeitamente válido relacionar luz com verdade e vida.

1º Esquema
A Glória do Senhor os envolveu em luz... A manifestação plena de Deus acontece situada na história, a marca do contexto judaico-cristão, Deus é plena verdade manifestada e situada na História, não é um mistério etéreo mas real, no dizer de Paulo manifestado . Por isso, o anúncio feito pelo anjo é revestido da glória de Deus, num recém-nascido sem qualquer resplendor, naquela vida humana os pastores pobres são chamados a contemplar a vida plena. Da mesma maneira que os exilados do Reino do Norte na visão de Isaías podiam ter a esperança da salvação. O canto novo dos libertos é esse hoje nasceu o salvador.

2º Esquema
Na noite santa rompe a luz que se fez carne, o ser humano que andava nas trevas agora pode contemplar a Palavra que guia o ser humano e que dá a salvação. Numa criança, num ser indefeso está a presença do Todo-poderoso, Deus se faz próximo a pastores pobres, e cada um de nós, pode alegrar-se pelo nascimento de um menino, que traz esperança aos nossos corações. Natal é a criança que vem a luz, vem à convivência humana, e no caso Deus feito carne quer entrar em relação plena conosco, o Universo rejubila, hoje nasceu o Salvador.

3º Esquema
Maria deu à luz seu Filho Primogênito... Muitas vezes ouvimos sobre o Espírito do Natal, esse é o Espírito, Deus quis nascer de uma mulher, quis assumir totalmente a raça humana, inserido na História, em meio a pobreza, um menino foi-nos dado, a salvação se faz carne, Deus entra em relação conosco não como um Senhor de escravos, mas como uma criança, o indefeso quer nos atrair para seu convívio. Esse é o mistério que se manifesta e que ilumina as trevas e nos dá a vida. Por isso, o verdadeiro Espírito do Natal é Hoje nasceu para nós o Salvador que é Cristo, o Senhor.   

4º Domingo do Advento A

4º Domingo do Advento A

1.                   Informações básicas
- Eis que a virgem conceberá...
- Oração –  conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação de vosso Filho.
- Leituras:Is 7,10-14; Sl 23; Rm 1,1-7; Mt 1,18-24. 


2. Esquemas

1º Esquema
Eis que a virgem conceberá... Na proximidade do Natal, o mistério da Encarnação é vivido na Liturgia do quarto domingo do Advento. A promessa feita pelo profeta Isaías, que uma virgem conceberá, uma virgem a imagem da fidelidade a Deus concebe o Emanuel, o Deus que está conosco. São José, o justo, da descendência de Davi, assume plenamente o filho que vem de Deus, o Mistério da Salvação entra no mundo e será manifestado no Natal do Senhor, por isso, a convite do salmo abramos as portas para que o Senhor entre.

2º Esquema
Porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo... O espírito do Natal, é a gratuidade que nos proporciona uma alegria que brota da graça de Deus, a exemplo da Virgem Santíssima, esse espírito brota da encarnação do Verbo, mistério manifestado na carne, e que nos exige a obediência da fé, por isso o melhor modo de nos prepararmos para o Natal é a acolher o Dom da Redenção,  que cada presente, cada desejo, que a preparação das mesas, esteja presente esse espírito de Doação de Deus, que nos faz ser doantes também a nossos irmãos e irmãs, e assim que o mundo louve ao Senhor nosso Deus.


3º Esquema

Ela dará a luz um filho, e tu lhe dará o nomes de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados... Deus nos salva por uma família constituída, o Verbo encarna-se e assume todo o processo de formação humana numa família, e a Mãe e virgem, concebe e acolhe o filho de Davi, tem São José como pai nutrício que o insere na descendência de Davi segundo a carne. A salvação cristã não é somente um pensamento positivo reforçado a cada ano, mas é Deus que adentra à História humana para redimi-la, a verdadeira alegria, hoje é o momento de acolhermos esse mistério manifestado na carne e do Deus de Israel busquemos a face, pois Deus se fez carne. 

3º Domingo do Advento A

3º Domingo do Advento A

1.                  Informações básicas
- “Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: os cegos recuperam a vista...”
- Oração –  celebrar as alegrias da salvação com intenso júbilo na solene liturgia.
- Leituras: Is 35,1-6.10; Sl 145; Tg 5,7-10; Mt 11,2-11.



2. Esquemas

1º Esquema
“Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: os cegos recuperam a vista...” O Advento é marcado pela espera gozosa do Salvador, nessa espera devemos contemplar os sinais do Salvador, por isso João Batista envia seus discípulos para discernirem os sinais do Messias em Jesus, como também o profeta Isaías discerne os sinais da salvação de Deus na Jerusalém renovada depois dos sofrimentos Deus vem com a salvação que encarna na história, nós também devemos vislumbrar os sinais da salvação em meio ao sofrimento, como a paciência do agricultor no cultivar a semente no dizer de São Tiago, por isso que não tenhamos dúvida: o Senhor vem para salvar o povo que é Dele.

2º Esquema
“O que fostes ver no deserto... um caniço agitado pelo vento?” João Batista é o último profeta pois aponta para o Salvador em meio ao seu povo, profeta caracterizado pela firmeza e clareza de posições e não pela hipocrisia que se adapta ao politicamente correto, aos contentamentos humanos, profeta que é exemplo para cada um de nós que estamos no Reino de Deus, chamados a ter a firmeza de posição em prol da salvação de Deus, nada de joelhos vacilantes perante a salvação, mas com passos firmes seguir em frente em nosso trabalho, com a paciência do agricultor, nós também trabalharemos pelo Reino na certeza de que o Senhor nosso Deus reinará para sempre.

3º Esquema

“O menor no Reino é maior do que ele...” O Reino de Deus está no meio de nós e pela graça batismal devemos ser profetas que anunciem a presença do Salvador através de ações concretas de salvação, assim as pessoas terão a certeza de que Deus está no meio de nós, não pela nossa própria força mas pela graça de Deus, isso trará sofrimento mas nós devemos ter a firmeza dos profetas apontando para a Nova Sião, a Jerusalém Celeste, onde não mais haverá dor nem pranto, eu Deus nos faça verdadeiros profetas que a exemplo de João Batista preparem o seu advento.