quarta-feira, 4 de maio de 2016

13 º Domingo do Tempo Comum C

13 º Domingo do Tempo Comum C

1.                  Informações básicas
- Seguimento a Jesus carregando a cruz
- Oração –  Ser filho da Luz
- Leituras: 1 Rs 19, 16b.19-21; Sl 15; Gl 5,1.13-18; Lc 9, 51-62


2. Esquemas

1º Esquema
“Jesus tomou a firme decisão de partir para Jerusalém”. No original grego Jesus endureceu o rosto em direção a Jerusalém. A firme decisão de ir carregar a cruz e diante do desejo de seguimento de uma pessoa Jesus afirma que segui-lo é contar com a Providência de Deus e saber que a segurança do missionário é o povo que ele evangeliza. Assim Eliseu segue Elias no seu profetismo. Esse seguimento é feito na liberdade dos filhos de Deus, segundo o Espírito e não segundo o egoísmo que a nossa carne pede. Por isso, aquele que segue a Cristo e é seu missionário a sua única herança é o Senhor.

2º Esquema
“Queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” O espírito dos filhos de Zebedeu não é o espírito de Cristo, a evangelização deve ser feita segundo o amor de Deus que ama até quem se opõe ao projeto de Deus. O seguidor deve ter o zelo de Elias, mas não mais terá que pedir a morte dos sacerdotes de Baal. Os desejos da carne pedem vingança, porém se estamos no Espírito não deve ser esse o nosso desejo, mas sim seguir a Jesus no nosso carregar da cruz amando até os inimigos do evangelho, crendo que é o Senhor o nosso refúgio.


3º Esquema

“Eu te seguirei ...”. Jesus vai a Jerusalém morrer na cruz pela nossa salvação, por isso estar no seu seguindo implica na confiança plena na Providência de Deus, sabendo que raposas tem tocas, porém o seguidor terá por refúgio o próprio Senhor o povo que ele evangeliza. Não ter apego à família, Jesus é mais radical que Elias que permite a Eliseu o despedir-se, o desapego deve ser radical , e o enterrar o pai seria a vingança pela morte ou os longos rituais, o anuncio do Reino é mais importante. Que Deus nos dê o Espírito da Liberdade como diz Paulo para produzirmos frutos de conversão para a salvação do Mundo e assim Deus seja glorificado e tenhamos felicidade sem limites. 

12 º Domingo do Tempo Comum C

12 º Domingo do Tempo Comum C

1.                   Informações básicas
- Carregar a cruz
- Oração –  A graça de amar a Deus e temer
- Leituras: Zc 12, 10-11; 13, 1; Sl 62; Gl 26-29; Lc 9, 18-14


2. Esquemas

1º Esquema
“Quem diz o povo que eu sou?” Essa pergunta é fundamental para nós hoje também, quem é Jesus para nós?  É um profeta que serve somente para saber o futuro ou um rei glorioso ou um instrumento de cura? A verdadeira imagem é o do Messias padecente, o Cristo que sofre e morre para nossa salvação, como na primeira leitura Deus se identifica com o seu enviado e com o sofrimento do seu enviado. Para que? Para sermos um só em Cristo Jesus, o seu sofrimento é entrega para formar um só povo, no qual a essência é o que somos e as diferenças outras se tornam relativas. Por isso, queremos seguir o Messias padecente, pois a nossa alma tem sede da salvação que Ele trouxe.

2º Esquema
“O Filho do homem deve sofrer muito...” O Deus que se faz carne assume totalmente a fragilidade humana e carrega sobre si todos os pecados, e por isso sofre toda a rejeição até a morte e morte de cruz. Deus se identifica plenamente com o ser humano, exceto o pecado, Deus se identifica com o seu Messias, mas essa dor é redentora e trará para a todos a purificação e a salvação, reunindo todos os povos dispersos e todos serão um Cristo Jesus. Que Deus nos dê a graça da sede dessa salvação.

3º Esquema

Se alguém quer seguir-me, renuncie-se a si mesmo, tome sua a cruz cada dia e siga-me”... O Messias sofredor, com o qual Deus se identifica como nos traz a leitura de Zacarias, nos convida ao seu seguimento, quer pessoas livres carregando a cruz de cada dia, o sofrimento da condição humana unida a Deus, para isso é necessário renegar-se, renegar até a própria vida, não para ficar num vazio existência, muito pelo contrário, para se encher da graça de Deus e como o Messias sofredor chegar à ressurreição, à vida plena, vida vivida não individualmente, mas em comunhão total com os homens e mulheres redimidos, pois somos todos um só em Jesus Cristo. Portanto, louvemos a Deus pois só nele está a fonte da vida. 

11º Domingo do Tempo comum C

11º Domingo do Tempo comum C

1.                  Informações básicas
- Perdoada porque amou muito
- Oração –  Dai-nos vossa graça para poder agir conforme a vossa vontade.
- Leituras: 2 Sam 12, 7-10.13; Sl 31; Gl 2, 16.19-21; Lc 7, 36-8,3.

“Porque o amor apaga uma multidão de pecados” (1 Pd 4, 8)

2. Esquemas

1º Esquema
“Se este homem fosse um profeta...” O raciocínio hipócrita é sempre desumanizante, sempre julgando as pessoas pelos seus defeitos, Simão (etimologicamente ouvir, deveria aprender a ouvir a Deus) fecha-se no passado da mulher e não vê a expressão do seu amor, que apaga uma multidão de pecados, Jesus acolhe plenamente a demonstração do amor dessa mulher, acolhe o que ela pode oferecer como arrependimento, assim faz Deus acolhendo o arrependimento de Davi, nós também somos justificados pela nossa fé, pela nossa entrega a Deus e não pela nossas obras, mas sim pela graça que age pela caridade (Gl 5, 1), assim é sempre, sempre feliz o homem que foi perdoado.

2º Esquema
“porque ela mostrou muito amor”. (ἠγάπησεν πολύ – amou muito) A mulher demonstrou, extravasou em seu amor, através dos beijos nos pés de Jesus, através das lágrimas e dos cabelos (símbolo da sensualidade feminina) tudo é colocado aos pés do mestre para mostrar arrependimento e fazer o bem, uma dedicação plena, e assim mostrar que muito ama, diferente do hipócrita que tratou Jesus com formalidade fria e não conseguiu demonstrar nenhum afeto amoroso, essa demonstração abre-a ao perdão de Deus, como Davi diante de seu enorme pecado, arrepende-se e consegue o perdão, somos convidados então a nos unir a Jesus Cristo, acolher sua entrega para assim sermos perdoados pela graça de Deus e não pelo orgulho do fazer, assim confessamos que somos fracos e pecadores e acolhemos o perdão, a graça de Deus.

3º Esquema
“àquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor”... O perdão de Deus, o amor de Deus por nós é o começo do nosso amor por Ele e para com todos, por isso diante da abertura amorosa da mulher, o perdão é dado e assim ela é reabilitada em seu amar e em sua vida, como Davi, que com o perdão de Deus experimente verdadeiramente o amor de Deus. Nós todos somos convidados a nos abrir à obra salvadora de Cristo e abrir-nos à sua entrega na Cruz para que Ele viva em nós, e como ícones de seu amor, com Ele pregados na Cruz, demonstrar por nossos atos e nossas palavras a sua presença amorosa. Por isso, é sempre feliz o homem que foi perdoado.


Obs – Um aspecto que pode ser tratado na homilia deste dia é o acolhimento de Jesus das mulheres e da missão destas na obra evangelizadora, bem diferente do uso que Davi faz de Betsabéa, da visão do fariseu hipócrita e de toda a sociedade. 

10º Domingo do Tempo comum C

10º Domingo do Tempo comum C

1.                   Informações básicas
- Confiar no Senhor da Vida
- Oração –  Pensar e realizar o que é reto.
- Leituras: 1 Rs 17, 17-24; Sl 29; Gl 1, 11-19; Lc 7, 11-17.


2. Esquemas

1º Esquema
“Levavam um defundo, filho único; e sua mãe era viúva”... A compaixão (splagchnizomai ) do Senhor traz novamente à vida o filho único de uma viúva, como Elias também se compadece da viúva e reaviva seu filho, nós somos muitas vezes esse filho, mortos  na juventude, perdemos a jovialidade por não vermos mais esperança na própria vida, Jesus nos faz retornar à novidade da vida, como o fez com São Paulo, a sua conversão nada mais é do que esse retornar a vida plena na comunhão em Deus e ele, com a vida nova, vai evangelizar, por isso exaltemos o Senhor que sempre nos tira da morte e nos dá a novidade da vida.

2º Esquema
Ao ver a viúva Jesus sentiu compaixão... Deus ama seu povo e quer que este povo tenha vida, por isso a figura da viúva representa muitas vezes o povo que vê seu futuro morto, sem esperança, a compaixão do Senhor é que traz novamente a vida aos filhos e filhas do povo de Deus e devolve a alegria de viver, como Elias fez renascer no coração da viúva a fé, “Agora vejo que a palavra do Senhor é verdadeira em sua boca”. Como São Paulo, também tem autoridade, pois a Palavra de Deus atua através dele. Que Deus renove a vida de sua Igreja dando vida nova a seus filhos e filha, pois a bondade do Senhor permanece a vida inteira.

3º Esquema

“Um grande profeta  apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo”... Precisamos dos sinais de Deus, como a viúva na primeira leitura reconheceu o profetismo de Elias, pois a Palavra de Deus que saiu de sua boca se realizou, da mesma forma Jesus é reconhecido como profeta, pois a Palavra de Deus que sai de sua boca traz a vida ao filho da viúva, é dada vida nova ao Povo de Deus, este é o sinal que o Deus da Vida está visitando, isto é, atuando no meio de seu povo, é essa interpretação que faz Paulo também reconhecer a validade de seu ministério, Deus atua através dele, glorifiquemos o senhor pois ele nos salva da morte e nos dá a novidade da vida.  

9º Domingo do Tempo comum C

9º Domingo do Tempo comum C

1.                   Informações básicas
- Todos são chamados à salvação
- Oração –  Que Deus nos dê o que for útil.
- Leituras: 1 Rs 8, 41-43; Sl 116; Gl 1,1-2.6-10; Lc 7, 1-10.


2. Esquemas

1º Esquema
“Havia lá um oficial romano....” Um oficial romano pede a Jesus que cure o seu empregado, oficial que demonstra plenamente a fé no poder de Jesus, porque crê que Jesus ordenando a cura acontecerá. A salvação entra no coração desse oficial e de seu servo, por causa da fé daquele, cumprindo assim a oração de Salomão (1ª leitura) que pede a Deus que todo estrangeiro que se apresentar ao Templo seja atendido em seus pedidos, o Evangelho verdadeiro chegou aos pagãos e somos chamados a proclamar esse Evangelho de salvação a todos os povos.

2º Esquema
“Mas ordena com a tua palavra, e o meu empregado ficará curado” ... Fé não é somente acreditar, pois até os demônios assim o crêem, fé é dar nosso assentimento sobre a Verdade do Evangelho, e foi essa obediência da fé que o oficial romano deu à palavra de Jesus, crendo plenamente na eficácia de sua ordem. Fé que leva a Salomão construir um templo que seja o lugar (maqon) no qual o estrangeiro se apresentaria diante do Deus de Israel e seria atendido, Evangelho eficaz que São Paulo prega e não apenas palavra humana, e que hoje pregamos a todos os povos.

3º Esquema
“Eu vos declaro que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé”. Jesus se encontra com pessoas que o desprezam pela sua humanidade e não tem fé, ou interesseiras somente pela cura, ou presas a um legalismo vazio, enfim o oficial, despojado de preconceitos e tendo uma obediência madura, crê plenamente na palavra de Jesus e na sua eficácia, é essa a fé que Jesus elogia, pois como o estrangeiro da primeira leitura, chegou a hora em que os pagãos viriam à Israel para buscar a Deus e seriam atendidos, tendo o Evangelho como palavra de Deus, palavra da Verdade revelada, e nela colocar a vida, e que cada um de nós proclame esse evangelho a todos os povos.