domingo, 21 de fevereiro de 2016

5º Domingo da Quaresma C

5º Domingo da Quaresma C


1.                   Informações básicas
- Deixando o passado para trás tudo se faz novo
- Oração –  entregar-se a Deus na mesma entrega de Cristo
- Leituras: Is 43, 16-21; Sl 125; Fp 3,8-14; Jo 8, 1-11


2. Esquemas

1º Esquema
“Quem dentre vós não tiver pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”... Será que Jesus quis desconsiderar a lei, que afirma que uma mulher pega em adultério deve ser apedrejada? Jesus mostra pelo escrever na poeira que o vento leva, que na perspectiva da sua morte e ressurreição, os pecados são perdoados, e a pedagogia nova não é do castigo, do condenar sumário, mas propiciar o arrependimento de modo que a mulher possa ir para não pecar mais. Da mesma forma, Isaías ao povo que retornou do Exílio, o profeta convida a aprender com o passado, mas deixá-lo lá, porque Deus renova todas as coisas, da mesma forma nós caminhando para a Páscoa, devemos olhar para frente para a nossa ressurreição, o prêmio eterno considerando tudo como perda, olhar para Cristo e se unir a Ele. Por isso, que Deus nessa Quaresma nos perdoe, e que nossa vida numa conversão profunda mude como torrentes no deserto.

2º Esquema
“Eu também não te condeno” Deus não quer a perda de ninguém, Deus não quer condenar ninguém, a ânsia nossa por condenar é para esquecer os nossos próprios pecados, por isso são os mais velhos, que lembram bem da própria vida pecaminosa que largam em primeiro lugar as pedras, somos convidados ao arrependimento, a reconhecer que pecamos e não pecar mais, simplesmente. Como o olhar do exilado que no feliz retorno parece sonhar, esquece a Babilônia o lugar da escravidão e como diz Isaías são feitas coisas novas, da mesma forma São Paulo nos convida a conhecer Jesus Cristo e experimentar a força da sua ressurreição, esse é o nosso prêmio, para esse prêmio devemos ter os olhos fixos, que nossa caminhada para Páscoa nos dê essa alegria da vida nova.

3º Esquema
“Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão”. Houveram na história muitos movimentos que quiseram absolutizar a lei como se ela fosse a salvação, a lei passa, o Cristo ressuscitado escreve na terra a nova lei, que torna nossos pecados passageiro, porque a nova dinâmica é do perdão e não da condenação sumária pela lei. A lei foi feita para o homem e não o homem para a lei. Deus quer filhos e filhas livres que voltando do exílio do pecado não voltem mais para lá, mas que toda a criação renovada O louve para sempre. Da mesma forma São Paulo nos diz que a justiça não provem da lei, mas por meio da fé em Cristo, essa me justifica e torna-me livre para sempre. Que na Terra eterna, para sempre possamos louvar a Deus dizendo: “Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário