segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

3º Domingo da Quaresma C

3º Domingo da Quaresma C

1.                   Informações básicas
- Deus tem paciência conosco
- Oração –  Na consciência da nossa fragilidade confortados pela misericórdia de Deus.
- Leituras: Ex 3,1-8.13-15; Sl 102; 1Cor10,1-6.10.12; Lc 13,1-9.


2. Esquemas

1º Esquema
“Senhor deixa a figueira ainda este ano”... Somos pecadores e o tempo da quaresma quer nos lembrar disso, e o Senhor tem paciência conosco, torce por nós, quer nos dar o tempo necessário para que nossas decisões livres optem por Ele. Assim fez também como o povo de Israel, quer sua libertação total e convoca Moisés para a libertação, pois Deus desceu para libertá-los do jugo egípcio, porém a liberdade do Senhor é total, e essa paciência leva em conta nossas decisões, por isso como nos diz São Paulo, recordando que apesar de toda a libertação houve aqueles que murmuraram e morreram por causa disso, por isso aproveitemos o tempo favorável para irmos ao encontro de Deus que é bondoso e compassivo.

2º Esquema
“Se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”... O ser humano tem sede de notícias, quer saber das desgraças alheias para se sentir privilegiado, porém Jesus nos iguala, mostra que somos todos iguais, e que se pecarmos vai haver conseqüências mas só Deus pode nos julgar e não nós uns aos outros. Por isso, devemos aproveitar a paciência do Senhor para conosco, o seu desejo de que nos libertemos, para nesta quaresma nos voltar ao Deus que se revelou como o libertador a Moisés, e sempre estar atentos a nossa própria fragilidade, pois temos sempre a tendência a murmurar e morrer neste deserto quaresmal. Que o Senhor bondoso e compassivo nos perdoe toda a culpa e nos faça reerguer-nos de nossos pecados.


3º Esquema
“Pode ser que venha a dar fruto”... O Senhor quer de nós frutos de conversão, frutos da graça de Deus, do adubo colocado sob a figueira. Por isso, primeiramente devemos saber que somos todos seres humanos pecadores, e não nos julgarmos uns aos outros de acordo com as catástrofes acontecidas. Segundo, por outro lado, saber que o pecado tem conseqüências, porém Deus quer a nossa libertação de todo mal, Deus não quer condenar ninguém. A graça está a nossa disposição para podermos dar frutos, porém a qualquer momento podemos optar pelo mal como fez o povo que viu as obras de Deus e murmurou. Que esta quaresma nos lembre que Deus tem paciência, é bondade e compaixão, mas somos pecadores e precisamos decidir por Deus que se revelou a Moisés e em Jesus Cristo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário