quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

4º Domingo do Tempo comum C

4º Domingo do Tempo comum C

1.                   Informações básicas
- Vocação.
- Oração – adorar-vos com todo o coração.
- Leituras: Jr 1,4-5.17-19; Sl 70; 1Cor12,31-13,13; Lc4,21-30.


2. Esquemas

1º Esquema
“Não é este o filho de José?”... Jesus é o Messias, a Palavra de Isaías se cumpre no hoje da liturgia, porém, seus conterrâneos não conseguem transpor as muralhas da humanidade de Jesus e prendem-se às aparências, não conseguem ver além do filho do carpinteiro, nessa medida não tem fé, não conseguem crer que Deus age em Jesus, o mesmo sofrimento teve Jeremias, como apresentado no relato de sua vocação, Deus já avisa que o seu povo faria guerra contra ele, mas no final o profeta venceria, também nós nesse mundo caótico somos convidados a ser profetas do amor e trabalhar pela caridade cristã, caridade benigna, pacífica, sem interesse, mas sabendo que perseguições virão, mas no final o amor prevelacerá, por isso que como profetas do amor nossa boca anuncie sempre as graças incontáveis do Senhor.

2º Esquema
“Nenhum profeta é bem recebido em sua pátria”... Diante da incredulidade de seus conterrâneos que se prendem à sua humanidade e não conseguem ver a ação de Deus, Jesus proclama que nenhum profeta é reconhecido em sua pátria, por isso os estrangeiros, que não se prendem às origens do profeta tem fé que Deus age nele, pois o profeta a exemplo de Jeremias, é chamado desde o ventre materno, não é profeta por desejo, mas por vontade de Deus, nós também predestinados por Deus para amar, para viver a caridade, devemos ser profetas nesses tempos difíceis, até o dia em que na assembléia eterna louvaremos para sempre o Senhor, porque Ele foi nosso apoio desde o ventre de nossa mãe, desde antes que nascêssemos.

3º Esquema
“Jesus porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho”.... O Evangelho foi escrito sob a ótica de Cristo morto e ressuscitado, Ele é o profeta das nações no cumprimento da profecia de Jeremias, Jesus foi chamado desde o ventre para ser o Messias, porém encontra a incredulidade de seu conterrâneos e diante dela não se arrefece, mas pedagogicamente mostra a falta de fé deles, e proclama que eles não reconhecem um profeta no seu meio porque se prendem às aparências humanas, da mesma forma Jeremias, o profeta mais parecido com Jesus, sofreria a incompressão de sua mensagem, e nós também amamos e queremos amar como Jesus, também desde o ventre chamados a isso, e não é nada diferente também, sofreremos incompreensões, mas na certeza de que o amor encontrará sua perfeição na eternidade, o que realizamos aqui terá seu cume na eternidade, e para sempre proclamaremos as graças incontáveis do Senhor. 

3º Domingo do Tempo comum C

3º Domingo do Tempo comum C

1.                   Informações básicas
- A Escritura se cumpre.
- Oração – frutificar em boas obras.
- Leituras: Ne 8,2-6.8-10; Sl 18b; 1 Cor 12,12-30; Lc 1,1-4;4,14-21.


2. Esquemas

Nota Exegética – Na Bíblia nada é escrito sem uma razão. Jesus vai a Nazaré, o Cristo, o ungido pelo Espírito, recebe a Escritura não determinada por quem, Ele, a Palavra Encarnada,  é que tem o poder de abrir o livro, de interpretá-lo, e proclama que a passagem de Isaías sobre o Messias e sua atuação se cumpre. Devolve o livro ao ajudante, nos confia a Escritura, e proclama que esta se cumpre, no Hoje da História, o Messias está entre nós e atua na História.

1º Esquema
Hoje se cumpriu a Escritura.... O Messias, o Ungido pelo Espírito, está entre nós e atua entre nós, como na passagem de Neemias, a Palavra de Deus é haurida da Escritura e não somente faz o povo chorar, mas Ela se cumpre, isto é, a Palavra realiza-se na História, da mesma forma, Jesus demonstra que a Palavra se cumpre, pois a salvação através dele está atuando na História, e continua atuando, através de nós membros de seu corpo, que temos o seu Espírito e queremos que esta salvação continue atuando na História pela Palavra, que é espírito e vida.

2º Esquema
Escrever a História dos acontecimentos... Lucas nos dá o processo da formação da Escritura, acontecimentos salvíficos aconteceram, testemunhas os narraram, pregadores os propagaram e transmitiram, e redatores os registraram para a nossa fé e salvação. Assim também, Jesus proclama que a Escritura que profetizava a vinda do Messias, do Ungido pelo Espírito se cumpre, da mesma forma Esdras faz o povo entender a Escritura, e no retorno do Exílio e da reconstrução, demonstra que a Escritura, testemunha dos feitos do Altíssimo, se cumpre, nós também membros ungidos do Corpo de Cristo, queremos experimentar essa salvação hoje, experimentar realmente que os preceitos do Senhor são precisos e é a única alegria do nosso coração.  


3º Esquema
Hoje... Numa Liturgia sinagogal Jesus proclama que a Palavra se cumpre, todos tinham os olhos fixos nele, pois dele vem palavra e vida, da mesma forma Esdras proclama que o povo deve ficar alegre, pois naquele Hoje a salvação da liberdade do Exílio acontecia, da mesma forma nós em Liturgia, neste momento da História da Salvação, como corpo de Cristo, como Igreja, queremos experimentar que a Palavra de Deus é viva e eficaz e nos traz salvação no Hoje Litúrgica e assim não somente saber, mas conhecer  por experiência, que a Lei do Senhor é perfeita e o único conforto para a alma. 

2º Domingo do Tempo comum C

2º Domingo do Tempo comum C

1.                   Informações básicas
- Aliança e Missão
- Oração – Escutai as preces do vosso povo.
- Leituras: Is 62, 1-5; Sl 95; 1 Cor 12, 4-11; Jo 2,1-11

A Aliança entre Deus e seu povo foi muitas vezes descrita como um casamento, nesse casamento Jesus manifesta sua messianiedade ao transformar água em vinho, a Aliança é caracterizada pela transformação interior do ser humano.

2. Esquemas

1º Esquema
“Houve um casamento em Caná da Galiléia”.... A Aliança entre Deus e seu povo foi muitas vezes descrita como um casamento, nesse casamento Jesus manifesta sua messianiedade ao transformar água em vinho, a Aliança é caracterizada pela transformação interior do ser humano (significado das seis talhas). No mesmo sentido a primeira leitura diz que cidade ideal, Sião, será Bem Casada, e será para sempre a alegria do seu Senhor. Nós também queremos desposar a Nova Sião, “assim teus filhos te desposam”,  imersos no Espírito (o Vinho Novo) podemos praticar obras de justiça, a partir dos dons do mesmo Espírito, e assim renovados cantar ao Senhor um canto novo, uma vida nova que louva a Deus.

2º Esquema
“Fazei o que Ele vos disser”...A Aliança entre Deus e a humanidade, cujo cume é a Hora de Jesus, a Cruz, que neste Evangelho é profetizada, tal Aliança é exteriorizada por atos, os servos da Nova Aliança, da transformação interior do ser humano pelo Espírito, devem estar atentos às palavras da boca do Verbo Encarnado, para assim serem luzeiros, como na primeira leitura e através de obras de Justiça, brotadas do Espírito derramado em nós, proclamaremos pela vida, pelos dons derramados em nós, a Nova Aliança do Cordeiro, suas Nupcias, aí sim o salmo se cumpre, a verdadeira adoração: “Adorai-o no esplendor da santidade”.

3º Esquema
“Este foi o início dos sinais de Jesus”... Na Nova Aliança, nesse matrimônio entre Deus e seu Povo, o sinal messiânico de Jesus é a transformação de água em vinho, a transformação do ser humano por dentro, a Aliança é feita no interior do ser humano, porque Deus assumiu no seu Verbo a natureza humana e Jesus Cristo se doa totalmente até a Cruz para nossa salvação, a Hora de Jesus. O Matrimônio com a Nova Sião não mais será desfeito, é para sempre, para sempre Bem casada. Essa transformação do ser humano feita pelo Espírito, manifesta-se em dons da aliança, palavra de sabedoria, ciência, curas, milagres, profecia, e outros, agora e para sempre Deus manifesta sua salvação no meio de seu povo. Por isso, que a alegria matrimonial nunca desapareça do nosso ser e para sempre cantemos o canto novo.  

Batismo do Senhor C

Batismo do Senhor C


1. Informações básicas
- Batismo e Missão
- Oração – Renascidos da água e do Espírito, perseverar no amor de Deus.
- Leituras: Is 42,1-4.6-7; Sl 28; At 10,34-38; Lc 3,15-16.21-22.


2. Esquemas

1º Esquema
Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo... No Batismo de Jesus, pelo qual ele santifica as águas, o Pai o declara amado e o Espírito paira, a Criação é refeita pelo mergulho nas águas. A partir desse momento o Batismo não é somente uma vontade humana de conversão, como o Batismo de João, mas é ser mergulhado no Espírito e ser purificado na vida nova, transformados pelo Espírito do Cristo Morto e Ressuscitado podemos como o servo da primeira leitura praticar obras de justiça e da graça, ser verdadeiros missionários como nos diz São Pedro na segunda leitura, que Deus nos abençoe, a iniciativa é Dele, nos transformando para tributarmos a Ele toda glória, por palavras e obras.

2º Esquema
Tu és meu filho amado...O sonho messiânico é que surgisse um servo de Deus verdadeiro que estivesse tão unido a Deus que suas palavras e obras revelassem o próprio Deus, esse sonho-profecia cumpriu-se em Jesus Cristo, por isso o seu Batismo é a epifania da Trindade, o início de sua missão messiânica. Jesus, como no dizer de São Pedro, é o ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder, nós somos associados a essa missão pelo Batismo, imersos na Trindade Santíssimos, recebemos a bênção do Senhor, para proclamarmos com a vida e a palavra: Glória ao Senhor.

3º Esquema
Eu não sou digno... A consciência de ser criatural é a consciência de São João Batista que o leva a acolher o Messias e batizá-lo, essa consciência devemos ter para contemplar a Trindade revelada em Jesus Cristo, no seu Batismo, vê-Lo como o Servo que veio para estabelecer a justiça sobre a terra, o centro da Aliança de Deus com o seu povo, no dizer de Isaías, reconhecendo ser criaturas nos abrimos a graça Batismal que está em nós, e assim pela Unção do Messias somos assumidos pelo Pai como filhos amados, e assim teremos toda a paz e bênção para sempre.       

Epifania do Senhor

Epifania do Senhor

1. Informações básicas
- Revelação de Deus a todos os povos
- Oração – Hoje revelastes o vosso Filho às nações.
- Leituras: Is 60, 1-6; Sl 71; Ef 3,2-3a.5-6;Mt2,1-12.

2. Esquemas

1º Esquema
Viemos do Oriente adorar o Rei... O sonho de Isaías se cumpre, a salvação que está em Sião agora é reconhecida pelas nações (gói), nos reis, eles representam cada um de nós que reconhecem no menino a presença plena de Deus, no seu ajoelhar, o reconhecimento da divindade está a adoração de cada ser humano, enquanto a epifânia do Natal se restringe aos pastores de Israel, nos magos estão todos os seres humanos, no dizer de Paulo, os pagãos são admitidos à mesma herança de Israel, por isso a Epifânia é a festa das nações, que hão de adorar a Deus.

2º Esquema
Ofereceram presentes: ouro, incenso e mirra. Nos três presentes está a nossa vida que reconhece naquele menino o Rei que vem para servir o ser humano dando-lhe a salvação plena cujo cume é a cruz, a mirra pó utilizado no sepultamento, e finalmente o incenso reconhecendo que aquele serve através da sua morte é Deus e vem nos trazer a salvação plena. É tudo isso que o Profeta Isaías disse que as nações viriam buscar e na promessa feita aos patriarcas agora todos os povos podem participar da salvação plena.

3º Esquema
Ao verem de novo a estrela, os magos sentiram uma alegria muito grande. Na busca dos magos está a busca de cada ser humano por salvação e vida. Por isso, a alegria deles é nossa alegria, buscamos ainda essa salvação e queremos hoje nos alegrar por contemplar no Filho de Deus encarnado Deus (incenso), o Rei (ouro) e o ser humano mortal (mirra), no hoje da Liturgia queremos ir a Sião contemplar essa salvação e tomar posse da promessa e da herança que nesse menino nos é dada.