quarta-feira, 8 de abril de 2015

6º Domingo do Tempo Pascal B

1.                  Informações básicas
- amar como Jesus
- Oração – celebrar com júbilo o Mistério Pascal para a vida a corresponder ao mistério. 
- At 10,25-26.34-35.44-48; Sl 97; 1 Jo 4,7-10; Jo 15,9-17.

2. Esquemas

1º Esquema
“amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. Jesus deu a vida para que todo ser humano, sem exceção fosse salvo, essa é a alegria perfeita ser salvo e ver a salvação de Deus, mas somos convocados a ajudar nessa salvação, como São Pedro, a pergunta não cessa o Espírito Santo age em cada ser humano, portanto queremos amar a cada ser humano e levar a mensagem de Deus a cada um deles, assim comprovamos que viemos de Deus, na medida em que nos amarmos uns aos outros, e assim todos conhecerão a salvação que vem de Deus.

2º Esquema
“Vos designei para irdes e produzais fruto”. A amizade com o Cristo morto e ressuscitado, o partilhar sua vida, nos torna aptos a produzir frutos da graça, obras que Louvam a Deus, e isso é amar, não obras que brotam do orgulho humano de se ostentar perante outros e os humilhar, mas como na Casa de Cornélio, fazer o bem e regozijar-se por mais seres humanos estarem imersos na graça, terem a amizade de Jesus e assim produzir frutos, e que toda a terra assim aclame ao Senhor como o Único Deus.

3º Esquema
“E vossa alegria seja perfeita”, o ser humano procura incansavelmente a alegria, e somente quando acolhemos o amor de Deus em nós, sabemo-nos amados mesmo quando pecadores Deus nos enviou seu Filho para nos salvar e assim guardamos seus mandamentos, a alegria de Cristo estará em nós, pois aí iremos ao encontro de cada ser humano para que ele tenha essa alegria perfeita dada pelo Espírito Santo, como foi a Casa de Cornélio, não haverá mais dúvida que todo o ser humano é chamado à salvação, o Senhor fez conhecer a salvação a todas as nações, e toda terra aclamará o Senhor Deus, não com temor, mas com amor e alegria.  
5º Domingo do Tempo Pascal B

1.                   Informações básicas
- Eu sou a videira
- Oração – Adotados como filhos tendo a liberdade verdadeira.
- At 6, 1-6; Sl 32; 1 Pd 2, 4-9; Jo 14, 1-12

2. Esquemas

1º Esquema
“Permanecei em mim”, permanecer é amar a Deus, conhecê-lo e assim cumprir seus mandamentos, na medida que permanecemos podemos produzir frutos, assim foi a vida da Igreja Primitiva, em meio a perseguições e lutas, conseguiu ficar firme sobre o Senhor e produzir muitos frutos, frutos de conversão, assim demonstrou e ainda demonstra que o Senhor é o seu próprio Louvor, a sua vida exala a Deus.

2º Esquema
“Sem mim nada podeis fazer”, guardar os mandamentos é muitas vezes visto sem a graça de permanecer em Deus, por isso é preciso ressoar em nossos ouvidos que permanecendo na videira é que se produzirá frutos, os mandamentos existem para nos ensinar a amar e assim produzir frutos, essa é a vida do cristão e toda arrogância de achar que se produz frutos por si deve ser jogada fora do coração humano, para assim constatar que é Deus quem realiza a obra.

3º Esquema
“Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto”. Somos, como Igreja, ramos da videira que é Cristo, nessa medida ligados ao tronco e entrelaçados entre si é que produziremos fruto, esse fruto é a ação do Espírito na própria Igreja que a leva a testemunhar a verdade, mesmo em meio a perseguições como nos mostra a primeira leitura, esses frutos brotam de verdadeiros discípulos que aprendem a amar segundo os mandamentos e a assim glorificar a Deus com a própria vida, essa é a glória do Pai.   
4º Domingo do Tempo Pascal B

1.                   Informações básicas
- Domingo do Bom Pastor
- Oração – O rebanho possa atingir a fortaleza do pastor.
- At 4, 8-12; Sl 117; 1 Jo 3, 1-2; Jo 10, 11-18.

2. Esquemas

1º Esquema
“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas”. Neste domingo do Bom Pastor, Jesus se apresenta como o pastor que é bom e ser bom é dar a vida pelas ovelhas, é apascentá-las, levá-las a boas pastagens e defendê-las dos lobos. O bom pastor dá a vida livremente por suas ovelhas, foi a pedra rejeitada pelos construtores e que se tornou a pedra angular, pela sua doação total. Nós também somos filhos de Deus e assumindo ser a ovelhas desse bom pastor se manifestará o que verdadeiramente somos, mesmo se como ele formos rejeitados pelo mundo, mas nos tornaremos nele pedras de sustento para outros.

2º Esquema
“Eu sou o bom pastor. Conheço minhas ovelhas”. O vínculo de conhecimento entre o pastor e as ovelhas é a sua doação de vida, o pastor ama suas ovelhas a ponto de dar a vida por elas, não como o mercenário que cuida somente tendo em vista o que receberá, o pastor cuida porque ama cada ovelha. Nós também seguindo o Bom Pastor, temos que assumir o pastoreio que Deus nos deu, e dar a vida sem cobrança àqueles que Deus nos confiou, assim proclamaremos em nossa vida que não há outro nome no qual possa ter salvação e seremos verdadeiramente filhos de Deus e já se manifestará pelo amor o que somos, a “Eterna misericórdia do Senhor”.

3º Esquema
“Haverá um só rebanho e um só pastor”. O desejo do bom pastor é que haja um só rebanho e um só pastor, a sua entrega, a sua doação de vida para as ovelhas é para que a família de Deus fique unida e unificada, assim também nós suas ovelhas, seguindo sua voz queremos doar nossa vida aos irmãos e irmãs, e assim construir uma só Igreja, nessa medida mesmo que haja rejeição e sofrimento, mesmo que o mundo não nos compreenda, a nossa entrega deve ser livre em Cristo Jesus, e nossa vida assim se torna um grande louvor ao Senhor e proclamará: “Dai graças ao Senhor porque Ele é bom”.
3º Domingo do Tempo Pascal B

1.                  Informações básicas
- A Palavra se fez carne e ressuscitou
- Oração – renovação espiritual e condição de filhos.
- At 3, 13-35.17-19; Sl 4; 1 Jo 2,1-5; Lc 24,35-48.

2. Esquemas

1º Esquema
“Jesus abriu a inteligência dos discípulos para entenderem as Escrituras”. Nem diante dos testemunhos, nem vendo Jesus Ressuscitado, serviu para a os discípulos crerem por isso foi necessário abrir a inteligência deles para contemplando todas as promessas entendessem que o Cristo sofreria e ressuscitaria, assim também São Pedro afirma que o Deus dos Pais ressuscitou o seu servo Jesus, dessa forma se tornou o nosso Defensor perante o Pai, que hoje também Deus resplandeça sobre nós sua face e promova uma verdadeira renovação espiritual.

2º Esquema
“A paz esteja convosco” A verdadeira paz somente aquele que tem a Palavra de Deus em si no dizer da carta de João, é o Dom do Cristo Morto e ressuscitado, para acolher essa paz, devemos nos arrepender e nos converter, e aceitar o que diz a Escritura que o Messias deveria sofrer, morrer para ressuscitar, assim a face de Deus resplandece sobre nós e nos abrimos a uma verdadeira renovação espiritual.

3º Esquema
O ser humano pecou e se afastou da fonte de Deus, mas o Deus de Abraão, Isaac e Jacó, ressuscitou o seu servo Jesus Cristo, que deveria sofrer para ressuscitar, nossa conversão a àquele que é o nosso Defensor perante o Pai, nos garante participar do Dom de sua morte e ressurreição, é isto que nos dá sentido à vida, o resplendor de sua face sobre nós que promove nossa verdadeira renovação espiritual. 
2º Domingo do Tempo Pascal B

1.                  Informações básicas
- Somos a Igreja Apostólica
- Oração – Deus de Eterna Misericórdia.
- 1ª Leitura At 4, 32-35; Sl 117; 1 Jo 5,1-6; Jo 20, 19-31


2. Esquemas

1º Esquema
“A Paz esteja convosco”, o Dom do ressuscitado é a paz, a paz para aqueles que tinham medo da morte, a paz para aqueles que vivem sem esperança, por isso ao fazer parte da Igreja, do Corpo do Ressuscitado, essa paz vem ao nosso coração pelo sopro do Espírito, a partir do Espírito somos fieis a Doutrina Apostólica, a rezamos na Liturgia e a vivemos na caridade, e temos a vitória da fé, aí somos Corpo de Cristo, que reza e proclama “Eterna é a misericórdia do Altíssimo”.

2º Esquema
Bem aventurados os que crerem sem terem visto, os que acreditam na palavra da Igreja, representada pelos Apóstolos que testemunharam a ressurreição. São Tomé foi instrumento da Providência para que nós assumamos hoje a bem-aventurança de crer nas testemunhas do ressuscitado e também ser testemunhas através da Palavra de Deus, nos tornando um só coração e uma só alma, demonstrando assim que amamos verdadeiramente a Deus e aos irmãos. Por isso, “Este é o dia que o Senhor fez para nós alegremo-nos e nele exultemos”.

3º Esquema
“Meu Senhor e meu Deus”, a mais curta profissão de fé queremos fazê-la em Deus Pai que pela morte e ressurreição de seu Filho nos fez nascer de novo, para uma esperança eterna, essa graça derramada em nossos corações a vivemos na Igreja advinda dos Apóstolos, na oração e na partilha dos bens, observando os mandamentos do Senhor, numa entrega que começa aqui e que culmina na eternidade, onde para sempre cantaremos o Dia Eterno, na alegria e na exultação. 
Domingo de Ramos da Paixão do Senhor B

1.                   Informações básicas
- Cristo Rei pela sua Cruz
- Oração –  aprender os ensinamentos da Paixão do Senhor para chegar à ressurreição
- Leituras: Mc 11, 1-10; Is 50, 4-7; Sl 21; Fl 2, 6-11; Mc 14,1-15,47.
Breve homilia


2. Esquemas

Tema geral: seguir os passos de Jesus em sua paixão e morte, para chegar à ressurreição (monição do início)

1. Apresentar Jesus como rei dos judeus e de todos nós, rei que tem como trono sua cruz, como descendente de Davi é o rei perfeito que dá a vida para a salvação de seu povo. Nós somos chamados a reinar com Ele.

2. O sofrimento de Jesus é redentor, passando pela humilhação das bofetadas e cusparadas, pela coração de espinhos, pela dor física da flagelação, até a dor suprema da morte da cruz para nos dar a graça de carregar a cruz.

3. A traição do amigo, daquele que come com ele, também a ridicularização da verdade, o suportar tudo isso leva a vencer a mentira que grassa no mundo. Num mundo cheio de mentira, o sofrer com Cristo pela verdade tem todo o sentido e não é em vão.

4. Os personagens da paixão são atuais, da omissão de Pilatos, à inveja daqueles que acusam, a mentira, o abandono dos amigos, são nossos sofrimentos, que unidos a Cristo se tornam salvadores também pela humanidade.

5. Dando um grande grito entregou o espírito, cada dia somos entregues a morte, cada dia passamos por momentos de sofrimentos físicos e morais, até o momento supremo da entrega ao Pai, que Jesus nos auxilie a aprender a morrer cada dia, até a nossa entrega suprema através Dele no Espírito.

Tudo isso, pode ser iluminado pela profecia de Isaías, no Canto do Servo, o sofrimento é físico e moral, que se cumpre em Cristo, esse Jesus, que assumiu toda a nossa humanidade para assim possamos participar da sua Divindade. No dia eterno quando cada um de nós poderá dizer “glorificai-o, descendentes de Jacó, e respeita-o, toda a raça de Israel”.