sábado, 26 de julho de 2014

18º Domingo do Tempo Comum A

18º Domingo do Tempo Comum A

1. Informações básicas
- Deus alimenta seu povo
- Oração – Inesgotável bondade de Deus na criação.
- Is 55, 1-3; Sl 144; Rm 8, 35.37-39; Mt 14, 13-21

1º Esquema
Da compaixão (splanchizomai) do Cristo surge a vida, na multiplicação dos pães, o pão Eucarístico reúne a Igreja, representada pelo número dos 12 cestos, tornando o povo em povo livre (5000 homens), sonho de liberdade do deutero Isaías que se realiza em Cristo Jesus, por isso São Paulo pode proclamar que nada pode nos separar do amor  de Cristo, nem a fome, e nem a morte, Deus nos sacia plenamente até a vida eterna.

2º esquema
Dai-lhes vós mesmo que comer. O milagre da multiplicação dos pães não é mágica, mas fruto do amor misericordioso de Deus, que é misericórdia e piedade. Esse Deus que ama quer nos associar ao seu amor, por isso diante do povo faminto, do povo que vem pobre do Exílio, e que o Senhor convida a vir comer sem paga, pede a mesma gratuidade de cada um de nós para com o necessitado, uma verdadeira gratuidade. Nesse amor de Cristo seremos verdadeiros vencedores.

3º esquema


Eram mais de cinco mil homens,. Deus quer homens e mulheres livres, por isso o Cristo morto e ressuscitado se doa para que o ser humano seja livre, o sacramento dessa liberdade é a Eucaristia, da mesma maneira nos convida a fazer a outros livres, como o sonho dos voltam do exílio, e que buscam a terra onde haverá bens na gratuidade, um povo com terra e com bens livres, mas a verdadeira liberdade, é a proclamação de São Paulo, vitoriosos e livres do maior mal que é o pecado e a morte, e unidos a Deus para sempre no amor, o Deus que é misericórdia e piedade.