segunda-feira, 3 de março de 2014

2º Domingo da Quaresma A

2º Domingo da Quaresma A

1.                  Informações básicas
- A Palavra se manifesta no Deserto Quaresmal
- Oração –  A Palavra purifica o olhar da nossa fé para ver a Glória
- Leituras: Gn 12, 1-4; Sl 32 (33); 2 Tm 1, 8-10; Ev Mt 17, 1-9


2. Esquemas

1º Esquema
Jesus foi transfigurado (metemorfóthe) diante deles. Na subida a Jerusalém, diante das três colunas da Igreja, Jesus mostra sua divindade, sua forma humana fica translúcida para demonstrar sua divindade, nós hoje queremos na Quaresma que o olhar da nossa fé seja purificado pela Palavra de Deus ouvida para podermos ter a consolação de sua glória, para que a exemplo de Abrão sermos verdadeiramente obedientes e ir, e assim vivermos a vocação santa que nos é dada por Deus pela graça que o Senhor nos dá.

2º Esquema
Moisés e Elias conversam com Jesus que se manifesta, a Sagrada Escritura aponta para Jesus Cristo morto e ressuscitado na caminhada do nosso deserto quaresmal, somos convidados pois a ouvir a voz de Deus, somos vocacionados por Deus como Abrão a sair e caminhar segundo o chamado, de tal modo que a manifestação do Senhor em nossa vida nos leve verdadeiramente a viver a nossa vocação, por isso, rezamos com o Salmo, que a graça aumente em nós de acordo com a abertura que temos ao Senhor, e que essa abertura a Deus aumente nessa quaresma. 


3º Esquema
“Este é o meu Filho Amado, no qual eu pus todo meu agrado. Escutai-o” O Pai nos manda ouvir seu Filho amado, por isso somos convidados neste exílio quaresmal a obter a maior consolação possível que ter o Filho Amado do Pai a nos falar, ter sua companhia, de tal modo que exclamemos com São Pedro, Senhor é bom estarmos aqui, entretanto essa consolação não pode ser um entorpecente, mas um impulso vocacional como foi para Abrão, sai da tua terra, para ir onde a vocação chama, a manifestação de Jesus cristo, aquele que derrotou a morte, possa fazer já, hoje em nosso exílio quaresmal, fazer brilha a vida, e assim, podermos esperar confiantes no Senhor, que nos dá a salvação.

4º esquema
“Até que o Filho do homem tenha ressuscitado dos mortos...” o Cristo morto e ressuscitado é a chave das Escrituras, é Ele que mantém o diálogo com Moisés, é o Cristo que manifesta a voz do Pai e escutando-O que podemos verdadeiramente ser amados pelo Pai. O seguimento de Jesus não é algo forçoso, mas é o sentido de nossa vida como o foi para Abrão, sentido que o impulsionou a ouvir e partir, Cristo morto e ressuscitado nos revela o desígnio amoroso de Deus, sua graça que nos torna santos, graça que aumenta em nossa quaresma de acordo com o desejo de nos entregarmos em suas mãos e assim rezarmos com o salmista: Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário