sábado, 19 de outubro de 2013

32º Domingo do Tempo Comum C

32º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- Ressuscitaremos
- Oração – Nos dediquemos ao serviço de Deus
-  2 Mc 7,1-2.9-14; Sl 16; 2 Tx 2,16-3,5; Lc 20,27-38.


1º Esquema
“pois serão filhos de Deus, porque ressuscitaram”... A ressurreição nos torna filhos de Deus, como os anjos, portanto não cabe na perspectiva da ressurreição a reprodução e os vínculos terrenos, mas a nossa referência será para sempre Deus, que será nossa alegria e nossa força para sempre, essa fé não é somente um lenitivo para sofrimento presente, mas como no grande exemplo dos mártires macabeus é sustento das nossas ações nessa vida na certeza de que um dia ressuscitaremos para a vida eterna, assim também como São Paulo queremos experimentar que Deus nos dá uma consolação eterna e a feliz esperança que nos anime e confirme em toda boa ação, até o dia em que Deus, no nosso despertar, nos saciará para sempre.

2º esquema
“os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento”... Nós seres humanos racionamos muito que se fossemos permanecer nesta terra para sempre, como se as estruturas de relacionamento, e no caso sexual, permanecessem pela eternidade, porém na ressurreição os relacionamentos em vista da procriação não existirão mais, ser iguais aos anjos é ter sempre a frente que Deus será a fonte de nossa vida, e que a comunhão dos santos será vivida nele, essa é a fé que os jovens macabeus tinham ao enfrentarem o martírio pois tinham em vida a esperança dada por Deus, da mesma forma São Paulo pede que nossos corações sejam guiados por essa firme esperança, enfim que Deus derrame a esperança da ressurreição em nossos corações e que em meio aos sofrimentos constantemente nos lembremos que um dia seremos saciados por Deus para sempre.  

3º esquema

“Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”... a perspectiva dos saduceus é terrena, é presa nesta terra, Jesus os obriga a ver que estruturas terrestres não terão sentido na eternidade, e que Deus quer que vivamos sempre e para sempre na sua presença, esta fé é a base da Comunhão dos Santos, que levou os jovens macabeus a oferecerem sua vida pela fé no Deus vivo, crendo firmemente que Deus os ressuscitará para a vida, esta feliz esperança no dizer de São Paulo é que pedimos que seja derramada em nosso coração, para que cada ato em nossa vida esteja pleno de feliz esperança, pois um dia despertaremos para Deus que nos saciará com sua presença. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário