sábado, 19 de outubro de 2013

30º Domingo do Tempo Comum C

30º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- Só Deus pode nos tornar justos.
- Oração – aumentai em nós a caridade.
-  Eclo 35,15-17.20-22; Sl 33; 2 Tm 4,6-8.16-18; Lc 18,9-14.


1º Esquema
“... que confiavam na própria justiça e desprezavam os outros”... Só Deus pode nos tornar justos, por isso o erro do fariseu não foi dar graças pelas obras, mas achar que elas provinham de sua própria justiça, não confiou na graça de Deus e ainda desprezou o outro pecador colocando-se acima da raça humana, tornando-se deus, por isso só o humilde, aquele que se sabe pobre e pecador pode verdadeiramente se justificado por Deus, porque como o órfão e a viúva, sabem que a sua única justiça é Deus, assim São Paulo é um bom exemplo, depois de uma caminhada de fé, ficando sozinho, crê perfeitamente que o Senhor esteve sempre a seu lado e o liberta de todo mal, por isso que cada um de nós saiba que somos dependentes de Deus e só o Senhor liberta a vida de seus servos.

2º esquema
“Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens”... O ser humano na sua arrogância crê que pode salvar a si mesmos, teorias como a reencarnação por exemplo, coloca isso em perspectiva é pelo próprio esforço do homem que ele se salva, somente se salva aquele que como o cobrador de impostos, reconhece-se pecador, esmoler da graça de Deus, somente se salva aquele que confia na graça de Deus, de um Deus que faz justiça aos justos e executa o julgamento, e mesmo como São Paulo, ao estarmos sós no final da nossa caminhada que reconheçamos que tudo é graça de Deus e assim possamos proclamar combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé. Que Deus nos dê a graça de assumirmos que somos pobres e pecadores, e assim saibamos que o pobre clama e Deus escuta.

3º esquema

“...quem se humilha será elevado”... Somente quem sabe-se pobre e pecador permite que a graça de Deus aja e assim pode ser justificado, aquele que se acha justo, que quer apresentar uma conta de suas obras para Deus nunca será justificado porque crê que ele mesmo se salva. A humildade é condição imprescindível para ser salvo, para aprender a rezar, para ter a Deus perto de si. São Paulo no final da vida, fazendo uma retrospectiva, pode assim proclamar que apesar de tanto sofrimento guardou a fé por obra de Deus, porque Deus sempre esteve ao seu lado. Que experimentemos na vida a pobreza evangélica e saibamos que Deus está com o justo e ouve a prece dos humildes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário