sábado, 19 de outubro de 2013

32º Domingo do Tempo Comum C

32º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- Ressuscitaremos
- Oração – Nos dediquemos ao serviço de Deus
-  2 Mc 7,1-2.9-14; Sl 16; 2 Tx 2,16-3,5; Lc 20,27-38.


1º Esquema
“pois serão filhos de Deus, porque ressuscitaram”... A ressurreição nos torna filhos de Deus, como os anjos, portanto não cabe na perspectiva da ressurreição a reprodução e os vínculos terrenos, mas a nossa referência será para sempre Deus, que será nossa alegria e nossa força para sempre, essa fé não é somente um lenitivo para sofrimento presente, mas como no grande exemplo dos mártires macabeus é sustento das nossas ações nessa vida na certeza de que um dia ressuscitaremos para a vida eterna, assim também como São Paulo queremos experimentar que Deus nos dá uma consolação eterna e a feliz esperança que nos anime e confirme em toda boa ação, até o dia em que Deus, no nosso despertar, nos saciará para sempre.

2º esquema
“os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento”... Nós seres humanos racionamos muito que se fossemos permanecer nesta terra para sempre, como se as estruturas de relacionamento, e no caso sexual, permanecessem pela eternidade, porém na ressurreição os relacionamentos em vista da procriação não existirão mais, ser iguais aos anjos é ter sempre a frente que Deus será a fonte de nossa vida, e que a comunhão dos santos será vivida nele, essa é a fé que os jovens macabeus tinham ao enfrentarem o martírio pois tinham em vida a esperança dada por Deus, da mesma forma São Paulo pede que nossos corações sejam guiados por essa firme esperança, enfim que Deus derrame a esperança da ressurreição em nossos corações e que em meio aos sofrimentos constantemente nos lembremos que um dia seremos saciados por Deus para sempre.  

3º esquema

“Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”... a perspectiva dos saduceus é terrena, é presa nesta terra, Jesus os obriga a ver que estruturas terrestres não terão sentido na eternidade, e que Deus quer que vivamos sempre e para sempre na sua presença, esta fé é a base da Comunhão dos Santos, que levou os jovens macabeus a oferecerem sua vida pela fé no Deus vivo, crendo firmemente que Deus os ressuscitará para a vida, esta feliz esperança no dizer de São Paulo é que pedimos que seja derramada em nosso coração, para que cada ato em nossa vida esteja pleno de feliz esperança, pois um dia despertaremos para Deus que nos saciará com sua presença. 

Todos os Santos

Todos os Santos

1.                   Informações básicas
- A Comunhão dos Santos
- Oração –  celebrar numa só festa os méritos de todos os santos
- Leituras: Ap 7, 2-4.914; Sl 23; 1 Jo 3, 1-3; Mt 5, 1-12


2. Esquemas

1º Esquema
Bem-aventurados.... Makarioi...Feliz, bem-aventurado aquele que sabe ser pobre e deixa a graça de Deus agir, felizes são aqueles que lutam pela justiça, mas ao mesmo tempo sabem que a plenitude da justiça só está em Deus, são esses que um dia se prostrarão diante do Trono e do Cordeiro, aqueles que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro, quando se manifestará aquilo que somos, filhos de Deus, e juntos cantaremos: “É assim a geração dos que procuram o Senhor”.

2º Esquema
Bem-aventurados os que promovem a paz, porque estes são chamados filhos de Deus, aqueles que nesse mundo vivem a graça de Deus, aqueles que trabalham não por uma paz como ausência de guerra, mas promovendo a justiça propiciam vida plena aos seres humanos que os rodeiam. Santo não é um alienado, mas aquele que sabe-se filho de Deus e vive essa vocação juntamente com seus irmãos, sabe que um dia estaremos juntos na mansão celeste, prestando o louvor perfeito a Deus que é uma vida sem mancha “Quem tem mãos puras e inocente coração”.

3º Esquema
Bem-aventurados os perseguidos... aquele que é pobre, e procura a Deus, que busca a justiça através de um coração puro, contradiz o que o mundo prega, esses lavam as vestes no sangue do cordeiro, porque unem seu viver ao viver do Cordeiro, por isso, um dia viverão para sempre diante de Deus, num povo que abrange todas as raças e línguas, (144.000), vendo a Deus como ele é, esses morarão para sempre na casa do Senhor. 

30º Domingo do Tempo Comum C

30º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- Só Deus pode nos tornar justos.
- Oração – aumentai em nós a caridade.
-  Eclo 35,15-17.20-22; Sl 33; 2 Tm 4,6-8.16-18; Lc 18,9-14.


1º Esquema
“... que confiavam na própria justiça e desprezavam os outros”... Só Deus pode nos tornar justos, por isso o erro do fariseu não foi dar graças pelas obras, mas achar que elas provinham de sua própria justiça, não confiou na graça de Deus e ainda desprezou o outro pecador colocando-se acima da raça humana, tornando-se deus, por isso só o humilde, aquele que se sabe pobre e pecador pode verdadeiramente se justificado por Deus, porque como o órfão e a viúva, sabem que a sua única justiça é Deus, assim São Paulo é um bom exemplo, depois de uma caminhada de fé, ficando sozinho, crê perfeitamente que o Senhor esteve sempre a seu lado e o liberta de todo mal, por isso que cada um de nós saiba que somos dependentes de Deus e só o Senhor liberta a vida de seus servos.

2º esquema
“Ó Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens”... O ser humano na sua arrogância crê que pode salvar a si mesmos, teorias como a reencarnação por exemplo, coloca isso em perspectiva é pelo próprio esforço do homem que ele se salva, somente se salva aquele que como o cobrador de impostos, reconhece-se pecador, esmoler da graça de Deus, somente se salva aquele que confia na graça de Deus, de um Deus que faz justiça aos justos e executa o julgamento, e mesmo como São Paulo, ao estarmos sós no final da nossa caminhada que reconheçamos que tudo é graça de Deus e assim possamos proclamar combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé. Que Deus nos dê a graça de assumirmos que somos pobres e pecadores, e assim saibamos que o pobre clama e Deus escuta.

3º esquema

“...quem se humilha será elevado”... Somente quem sabe-se pobre e pecador permite que a graça de Deus aja e assim pode ser justificado, aquele que se acha justo, que quer apresentar uma conta de suas obras para Deus nunca será justificado porque crê que ele mesmo se salva. A humildade é condição imprescindível para ser salvo, para aprender a rezar, para ter a Deus perto de si. São Paulo no final da vida, fazendo uma retrospectiva, pode assim proclamar que apesar de tanto sofrimento guardou a fé por obra de Deus, porque Deus sempre esteve ao seu lado. Que experimentemos na vida a pobreza evangélica e saibamos que Deus está com o justo e ouve a prece dos humildes. 

terça-feira, 8 de outubro de 2013

29º Domingo do Tempo comum C

29º Domingo do Tempo comum C

1.                  Informações básicas
- Oração persistente
- Oração – A graça de servir a Deus.
- Leituras: Ex 17, 8-13; Sl 120; 2 Tm 3, 14-4,2; Lc 18,1-8.


2. Esquemas

1º Esquema
“Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre e nunca desistir”. A viúva é o ser humano mais desprotegido, não tem mais nada a perder, por isso o juiz injusto tema a sua agressão, pois de um ser humano que sabe-se totalmente indefeso a única coisa que resta é clamar e implorar, assim devemo-nos portar na oração, oração insistência e que não desiste, pois sabemo-nos totalmente dependente de Deus que nos atende. Como também a oração de Moisés, o qual ergue os braços para apontar para Deus. Por isso que nossa oração seja insistente, mas esclarecida pela Sagrada Escritura, para que ao orar saibamos a quem estamos clamando, não a um Juiz iníquo, mas a um Pai que nos educa e do qual sabemos que vem o nosso socorro.

2º Esquema
 “E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele?” Escolhidos são aqueles que tem a Deus por Pai, esses como filhos querem pedir e ter o coração uno com seu Deus e Pai, e querem experimentar em suas vidas a salvação que somente pode vir Dele. Filhos que erguem suas mãos para Deus, e a todo o momento em suas vidas tem o coração voltado para Ele, como Moisés, e precisam da ajuda da comunidade para serem verdadeiros homens e mulheres de oração. Assim como Timóteo podem permanecer firmes no Senhor, e qualificados para toda boa obra, sendo discípulos e missionários, testemunhando que é do Senhor que vem o nosso socorro.

3º Esquema

“Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?” A fé, a confiança de que Deus vai nos escutar, é que nos possibilita orar insistentemente e sem qualquer tipo de desistência, a questão que Jesus levanta é será que os seres humanos com a visão de Deus como um juiz iníquo vão ter ainda fé quando Ele retornar, por isso é necessário ter a persistência de Moisés que via a Deus como aquele que tem bondade e misericórdia (cf. Ex 33, 18-20), assim pois Moisés tem fé para interceder pelo povo, pois confia na bondade de Deus para com seu povo, da mesma forma a fé de Paulo que confiantemente aguarda vinda do Senhor ou a de Timóteo, que Deus nos mostre sua verdadeira face e que encontrando N’Ele o nosso socorro hoje possamos ir tranqüilos ao seu encontro na Eternidade. 

28º Domingo do Tempo Comum C

28º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- Agradecer a Deus
- Oração – Que a graça de Deus nos preceda.
-  2Rs 5,14-17; Sl 97; 2Tm 2,8-13; Lc 17, 11-19



1º Esquema
“Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados”... Os leprosos, sob a ordem de Jesus, caminham para cumprir a lei que ordena àqueles que foram purificados se apresentarem aos sacerdotes, nesse caminhar a cura acontece de forma gratuita, da mesma forma Naamã é curado não por fazer coisas difíceis mas por obedecer a voz de Eliseu, essa gratuidade suprema de Deus provoca no coração verdadeiramente humano uma atitude de agradecimento. São Paulo também experimenta a gratuidade da salvação de Deus, por isso com gratidão a Deus sofre pela salvação de todos, que nós também conheçamos, no sentido de experimentar a salvação para que agradecidos louvemos a Deus.

2º esquema
“Atirou-se  aos pés de Jesus, com o rosto por terra, e lhe agradeceu”... O ser humano quer vida e mais vida, por isso o leproso que está totalmente excluído da vida em comunidade e atentado em sua própria existência, ao ser reintegrado por Jesus, faz uma atitude de agradecimento e até adoração, reconhecendo em Jesus o verdadeiro sacerdote. Naamã, a partir de sua mentalidade, quer também recompensar o profeta, e este o exorta a agradecer a Deus, e Naamã o faz propondo-se a ser um adorador de Deus, São Paulo vai além e transforma seu agradecimento em ser canal da salvação “para que eles também alcancem a salvação que está em Cristo Jesus, com a glória eterna. Que nós também agradeçamos ao Senhor através de nossos lábios, num cântico novo, mas que também nosso agradecimento seja levar a salvação a todas as nações.

3º esquema

“Levanta-te e vai! Tua fé te salvou!”... O agradecimento do leproso curado, o leva a reconhecer que Jesus é o salvador, essa fé expectante e agradecida abre as portas de seu coração para adorar a Deus e dar glória ao Senhor, e assim experimentar a salvação, da mesma forma Naamã é transformado não somente corporalmente pela cura da lepra, mas se torna um servo de Deus, que quer oferecer sacrifícios ao Senhor Deus, São Paulo de perseguidor torna-se perseguido e prisioneiro por causa de Deus, e canal da salvação, que nós também sejamos agradecidos ao Senhor e que o Senhor nos faça conhecer a sua salvação como ao mundo inteiro.