terça-feira, 23 de julho de 2013

18º Domingo do Tempo Comum C

18º Domingo do Tempo Comum C

1. Informações básicas
- A Essência da vida
- Oração – Inesgotável bondade de Deus na criação.
- Ecl 1,2; 2,21-23; sl 89; Cl 3,1-5.9-11; Lc 12, 13-21


1º Esquema
“Tomai cuidado contra todo tipo de ganância”...O ser humano é um ser necessitado e quer a todo o custo ter o poder de conservar a própria vida, por isso a ânsia de ter muitos bens é uma ilusão, a vaidade que nos diz o autor do Eclesiastes, que pensando ter muito bens conservará a própria vida e terá o reconhecimento dos outros, a verdadeira vida encontramos na medida que renunciamos a esta vida e seguirmos Cristo, buscando as coisas do alto, a caridade , em meio à fugacidade da vida, e como o salmista saber que só Deus pode tornar fecundo o nosso trabalho e ser um verdadeiro refúgio para todos nós.

2º esquema
“A vida  de um homem não consiste na abundância de bens”... Esse versículo deve ser repetido constantemente em nosso coração, diante da briga por herança, ainda tão comum em nossos dias, Jesus aponta para o essencial da vida que é aquele que é rico para Deus, que vive a caridade. Outro versículo a ser repetido sempre é “Vaidade das vaidades”, tudo é vão, é passageiro, é como na palavra em hebraico é vapor d’água que aparece e desaparece, como o sono da manhã, a vida é muito curta e não se pode baseá-la em bens temporais, mas no Eterno, em Deus, toda ação nossa deve ser para buscar as coisas do alto e em primeiro lugar com nossas ações que não devem ser egoístas, mas ações que fazem o bem ao próximo, esse é o homem novo que ao fazer o bem sabe, que bondade de Deus sempre repousará sobre nós e conduz nossa vida.

3º esquema
“Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”... Homem louco é aquele que pensa que deve se alegrar com a própria força e o próprio poder, homem que baseia a vida em si mesmo, nos próprio bens, é um insensato, porque baseia sua vida na vaidade, no vazio, naquilo que não possui substância em si mesma. Por isso, somos convocados a ser ricos para Deus, isto é, viver a entrega perfeita para o bem dos outros, nada de usar as pessoas ou basear-se no elogio dos outros, mas sim buscar Deus através de ações amorosas de justas, assim demonstramos que nosso trabalho vem Dele e Ele é o nosso único refúgio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário