segunda-feira, 29 de abril de 2013

6º Domingo do Tempo Pascal C


6º Domingo do Tempo Pascal C

1.                  Informações básicas
- Deus habita em nós.
- Oração – Que nossa vida corresponda aos mistérios que recordamos.
- Leituras: At 15, 1-2.22-29; Sl 66; Ap 21, 10-14.22-23; Jo 14, 23-29.


2. Esquemas

1º Esquema
“Nós viremos e faremos nele a nossa morada”. Guardando a Palavra Salvadora, estamos em comunhão com o Pai e o Espírito nos comunica toda a verdade. O Cristo Morto e Ressuscitado possibilita a cada ser humano ser uma habitação de Deus e viver glorificando a Deus em sua vida e em sua história. Assim, como o é em cada pessoa, assim na Igreja, pois é o Espírito e a Comunidade Apostólica, a Igreja, que decidem sobre os modos da Evangelização continuar e não impedir aos homens a salvação, até o dia em que na Eternidade vivermos para sempre em Deus, pois Deus será a luz e o Cordeiro a lâmpada, por isso é desejo de todo cristão que todas as nações glorifiquem a Deus. 

2º Esquema
“O Defensor, o Espírito Santo” A carne humana se fechou à ação de Deus pelo pecado, com o Cristo Morto e Ressuscitado, o ser humano se torna templo do Espírito, inabitação de Deus, e assim esse Espírito conduz o ser humano à verdade completa, a viver Cristo em plenitude. Espírito que é a alma da Igreja, e é diante de dificuldade que a Igreja, a Esposa, e o Espírito, podem realizar a obra salvadora, acolhendo os pagãos e levando-os à verdadeira fé, até o dia em que Deus será tudo em todos, e não se precisará mais de templo pois Deus será o nosso Templo na Jerusalém celeste, e em Igreja viveremos par sempre. Que todas as nações reunidas pela Palavra e pelo Espírito, glorifiquem ao Pai para sempre.

3º Esquema
“Se alguém me ama, guardará a minha palavra” Jesus deixa na liberdade para amá-lo, e amar a Jesus é guardar a sua palavra e praticá-la de modo que correspondamos sempre mais ao Mistério Pascal que celebramos, e assim seremos habitação de Deus, e nossas ações passam a ser ações imersas na graça de Deus, assim o é a Igreja, que ao decidir sobre a salvação dos pagãos não quer colocar fardos desnecessários, mas pela ação do Espírito buscar o que é essencial para a salvação, até o dia em que habitaremos na Jerusalém celeste cujos alicerces são os apóstolos que pregaram a Palavra do Cordeiro e essa Jerusalém tem as portas para todos os cantos da terra, porque Deus quer que todos os homens se salvem e todas as nações o glorifiquem. 

quarta-feira, 24 de abril de 2013

5º Domingo do Tempo Pascal C


5º Domingo do Tempo Pascal C

1.                   Informações básicas
- amai-vos como eu vos amei
- Oração – Adotados como filhos tendo a liberdade verdadeira.
- At 14, 21-27; Sl 144; Ap 21, 1-5; Jo 13,31-35

2. Esquemas

1º Esquema
“Como eu vos amei, assim também vós amar-vos uns aos outros”. Estamos no centro do Evangelho, o novo mandamento não é só amar, isso já está presente no Antigo Testamento, é amar como (Kathos) Jesus amou, com amor de entrega total da própria vida pela graça da união com o próprio Deus, esse amor que é a essência do anúncio de Paulo e Barnabé e que constitui a essência da própria Igreja e que um dia será a vivência eterna em Deus, isso sim é o céu, viver Deus que é amor, piedade e misericórdia.

2º Esquema
“Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros”, eis a identidade do cristão e da Igreja de Cristo, amor que é entrega plena para a vida do outro, vida eterna, como vai dizer São Paulo na I Cor 13, esse amor é um projeto para  Igreja nascente como o faz Paulo e Barnabé, eles constituem presbíteros, anunciam a Palavra e reúnem comunidade. Vivendo a própria essência de Deus que é piedade e amor,  vislumbramos a eternidade, que é viver a eterna felicidade do amor sem limites, pois Deus será o nosso templo, a nossa morada eterna, Deus que é amor.

3º Esquema
“Eu vos dou um novo mandamento”. O novo mandamento é a essência de todo e qualquer mandamento, é sobre  esse mandamento que será sempre escolhido o que fazer a cada momento da vida, é sobre o mandamento novo que se decidirá qual dos outros mandamentos serão cumpridos e como serão cumpridos, pois amar os outros na entrega de Cristo é amar na liberdade de Cristo. Esse é o centro da pregação paulina que faz com que se congregue comunidade de irmãos livres que adoram a Deus. É isso que é o céu, não haverá mais sofrimento, nem lágrima ou dor, porque aprendendo a viver o amor na liberdade, o viveremos no próprio Deus, Deus que não somente tem piedade, mas Deus é misericórdia, é piedade, é amor, é compaixão. 

segunda-feira, 15 de abril de 2013

4º Domingo do Tempo Pascal C


4º Domingo do Tempo Pascal C

1.                   Informações básicas
- Domingo do Bom Pastor
- Oração – O rebanho possa atingir a fortaleza do pastor.
- At 13,14.43-52; Sl 117; Ap 7,9.14-17; Jo 10, 27-30.

2. Esquemas

1º Esquema
“As minhas ovelhas escutam a minha voz” Neste Domingo do Bom Pastor, Jesus declara que as ovelhas que são dele escutam a sua voz, aprendem a ouvir a voz do pastor, por isso no anúncio da Palavra de Deus, São Paulo encontra obstáculos motivados pela calúnia e a inveja, mas afirma que é preciso anunciar a Palavra de Deus aos pagãos, porque os judeus daquela cidade viraram as costas para a a Palavra, o anúncio é feito para aqueles que acolhem a Palavra com alegria, e o objetivo maior é chegar ao grande aprisco que é o céu, onde para sempre estaremos diante do Trono e do Cordeiro-Pastor, pois somos o povo do Senhor e seu rebanho.

2º Esquema
“Eu as conheço e elas me seguem”. O vínculo entre o Pastor e as ovelhas é perfeito, de tal modo que Ele as conhece, e elas ouvindo sua voz, obedecendo o segue até o Pai, esta história não é somente bela, mas real, e é o que nos mostra a ação evangelizadora de São Paulo, mesmo em meio a perseguições, Paulo proclama a Palavra e há aqueles que ouvem, acolhem e glorificam a Deus por ter enviado evangelizadores que proclamam a Palavra da Verdade. O futuro desse rebanho reunido pela Palavra de Deus é estar junto ao Cordeiro-Pastor que conduzirá o seu rebanho pela eternidade, quando não haverá mais dor nem lágrima, e assim Deus será tudo em todos. Pois somos seu povo e seu rebanho.

3º Esquema
“Eu dou-lhes a vida eterna e elas jamais se perderão”. O Cordeiro-Pastor conduz seu rebanho para as pastagens eternas, o ante-gosto dessas pastagens é a Palavra de Deus anunciada, por isso podemos contemplar os pagãos acolhendo a Palavra com alegria e glorificando a Deus, pois podem já antever o céu. Nessas pastagens eternas não haverá mais choro, nem dor, nem necessidade alguma, por o Cordeiro imolado nos pastoreará para sempre, e serviremos o Grande Pastor das Ovelhas para sempre. 

terça-feira, 9 de abril de 2013

3º Domingo do Tempo Pascal C


3º Domingo do Tempo Pascal C

1.                  Informações básicas
- O Cordeiro se torna Pastor
- Oração – renovação espiritual e condição de filhos.
- At 5,27-32.40-41; Sl 29; Ap 5, 11-14; Jo 21,1-19.

2. Esquemas

1º Esquema
“É o Senhor...” Na terceira experiência com o Cristo ressuscitado os apóstolos constatam a sua presença pela pesca milagrosa, Jesus está presente em sua Igreja e continua atuando na pesca de homens. Pedro à frente da Igreja continua o apascentar do Cordeiro que imolado, que pela sua entrega se torna pastor, por isso Pedro apascenta as ovelhas que ama e quer levar a salvação a elas, e mesmo diante da oposição do sinédrio judaico, pode afirmar que se deve obedecer antes a Deus do que aos homens no que trata da salvação das pessoas. Diante das agruras do pastoreio, sempre o Senhor, é nosso abrigo e nosso protetor.

2º Esquema
“Simão, filho de João, tu me amas?” São Pedro pela tríplice afirmação do amor, redime-se da tríplice negação, mas Jesus não quer somente isso, Jesus desce ao amor humano de Pedro e eleva esse amor para o pastoreio. Jesus é o Cordeiro imolado, e aponta para Pedro que para ser pastor ele também deve seguir o Caminho do Cordeiro que foi imolado pelo amor dos seres humanos, toda a perseguição descrita no primeira leitura, por isso o convite segue-me. Nós também hoje, temos o nosso pastoreio, nas várias situações que vivemos, por isso devemos aprender a ser cordeiros, ser ovelhas, que se imolam no carregar a cruz, para amar verdadeiramente aqueles que Deus nos confiou e levá-los à salvação. Para que um dia diante do Grande Pastor da ovelhas, juntos com os milhões de milhões, exaltaremos a Deus para sempre.

3º Esquema
“Apascenta as minhas ovelhas”... A experiência com o Ressuscitado não é apenas a garantia da vida eterna, mas também nos impele a seguindo o Cordeiro imolado, na sua  entrega ao Pai, estarmos aptos para apascentar não as nossas, mas ovelhas do Grande Pastor, esse apascentar é retirar as pessoas do mar revolto em que vivem, apascentá-las levando-as a Deus, até o dia de estarmos todos juntos diante do Trono e do Cordeiro imolado, cantando os louvores eternos. Tudo isso num seguimento de carregar a cruz, mesmo entre perseguições, levar as pessoas ao Ressuscitado, Que Deus nos ajude para que aprendendo a ser ovelhas cheguemos a ser pastores, e todos juntos exaltemos o Senhor para sempre.