terça-feira, 27 de novembro de 2012

1º Domingo do Advento C


1º Domingo do Advento C

1.                   Informações básicas
-Expectativa pela vinda do Senhor.
- Oração –  ardente desejo pelo Reino celeste.
- Leituras: Jr 33,14-16; Sl 24; 1 Ts 3,12-4,2; Lc 21,25-28.34-36.


2. Esquemas

1º Esquema
“Para ficardes em pé diante do Filho do homem”... Iniciando o tempo do advento somos convidados a nos preparar para vinda do Senhor, sabendo das grandes tribulações que assolam a vida humana mas que apontam para vinda do Salvador, devemos pedir a Deus a graça de nos conhecermos pela graça de Deus para que nossos corações não fiquem insensíveis pelo sofrimento e assim numa santidade sem qualquer defeito possamos ir de coração tranqüilo ao encontro do Senhor, pois a Ele nessa Eucaristia já queremos elevar a nossa alma.

2º Esquema
“levantai-vos e erguei vossa cabeça”... Na expectativa do Senhor que vem, o cristão é convidado a ver os sofrimentos e tribulações como prenúncios da vinda do Senhor, sabendo que essa vinda é inevitável, ao invés de entrarmos numa melancolia pelo apego às realidades terrestres, somos convidados pelo Senhor a levantar a cabeça e ver que esses sofrimentos são prenúncios da salvação plena, que a promessa dos bens futuros está se realizando, por isso precisamos nos preparar por uma santidade sem defeito, fazendo progressos ainda maiores na vida espiritual, para que com ardente desejo acolhamos ao Senhor que é nossa Justiça, piedade e retidão.

3º Esquema
“Ficai atentos e orai a todo momento”...O destino do ser humano é ressuscitar, é a vida eterna com o Senhor, para isso precisamos nos preparar porque o sofrimento é grande, e para esse sofrimento não petrificar o nosso coração, sede das nossas decisões, precisamos ficar despertos, que a oração faça-nos nos conhecer, crescer numa santidade sem defeito e fazendo progressos cada vez maiores aguardar com alegria o Senhor que vem e que em sua justiça nos confiará os bens futuros, por isso já nesta Santa Eucaristia já ergamos nossos corações ao Senhor, elevemos a Ele nossas almas. 

domingo, 18 de novembro de 2012

Cristo Rei B


Cristo Rei B

1.       Informações básicas
- o Reinado Eterno
- Oração – libertos e servindo à Vossa Majestade.
- Leituras: Dn 7, 13-14; Sl 92; Ap 1,5-8; Jo 18, 33-37

2. Esquemas

1º Esquema
Eu sou rei... Jesus proclama-se rei, o rei que serve proclamando a verdade, o seu reinado não é deste mundo, é um reinado eterno que cumpre a profecia de Daniel, um Filho de Homem é glorificado e a Ele todos os povos  servem, pois seu poder é eterno. Somos convidados a participar de seu reinado, através do serviço que prestamos a Ele carregando a nossa cruz em seu seguimento e vivendo sua palavra de verdade proclamando pela palavra, mesmo em meio a muito sofrimento e situações trágicas da vida procurar os sinais do Reino de Deus, e assim pelo nosso testemunho proclamar que Deus é rei, glória ao Senhor.

2º Esquema
Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz... O rei Jesus pela sua entrega na Paixão e ressurreição nos libertou da escravidão do pecado para que servindo ao Rei que é livre e não precisa dominar ninguém sejamos livres também, e sendo livres podemos servir e adorar aquele que o Filho do Homem glorificado, aquele que é o alfa e o ômega, o princípio e fim da História, que o nosso serviço seja o testemunho da verdade para que Deus seja glorificado por todos os povos.

3º Esquema
O meu reino não é deste mundo... Em cada oração do Pai Nosso pedimos esse reino, mas a sua consumação é na eternidade, contemplando Cristo como Rei do Universo queremos olhar para a eternidade, servindo a Ele aqui, libertos do pecado e da mentira, e professando e vivendo a verdade, queremos nos preparar para a verdadeira adoração que é proclamar com a vida e a palavra que só Deus é Deus, Ele é o nosso Amém, o nosso sustentáculo, e com todos os povos e nações viver sob seu reinado para sempre. Por isso com todos os povos queremos proclamar glória ao Senhor, pois Ele é Rei. 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

33º Domingo do Tempo comum B


33º Domingo do Tempo comum B

1.                   Informações básicas
- A vinda do Filho do Homem 
- Oração – Alegria em servir a Deus de todo coração.
- Leituras: Dn 12, 1-3; Sl 15; hb 10,11-14.18; Mc 13, 24-32.

2. Esquemas

1º Esquema
Vereis o Filho do Homem vindo nas nuvens com grande  poder e glória... Caminhando para o final do Ano Litúrgico, somos convidados pela Liturgia desse domingo a contemplar o fim último do ser humano, o julgamento da humanidade pelo Filho do Homem, o Cristo Glorioso, quando os que dormem despertarão para a vida ou para o opróbrio eterno, somos convidados a ver os sinais do Filho do Homem durante essa vida e ter uma vida sábia escolhendo o bem, até o dia em que seremos levados à perfeição definitiva. Que o Senhor nos guarde e nos conduza até o dia final.

2º Esquema
As minhas palavras não passarão... O ser humano nasce, e num aprendizado da sabedoria, iluminado pela palavra de Deus e sustentado pela graça recebida do sacrifício único de Jesus, o ser humano é chamado a crescer na prática do bem até o dia em que julgado pelo Filho do homem, quando o homem bom brilhará como estrelas pela eternidade. Que o Senhor nos ensine o caminho para a vida em plenitude.

3º Esquema
Aprendei pois da figueira... O destino do ser humano é morrer e um dia ressuscitar e ser julgado, se fez o bem para a vida, se fez o mal para o opróbrio eterno, por isso o ser humano é chamado a discernir os sinais do Filho do Homem durante a vida, aprendendo e ensinando a sabedoria para que no dia final, quando chegar a perfeição definitiva, brilhem como estrelas por toda a eternidade, que o Senhor nos ensine seus caminhos e junto a Ele sejamos felizes para sempre.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

32º Domingo do Tempo Comum B


32º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- o maior é o menor
Oração – Alegria em servir a Deus de todo coração
-  1 Rs 17, 10-16; Sl 145; Hb 9, 24-28; Mc 12, 38-44.

Nota exegética: A viúva, dentre os quatro tipos de mulher que simbolizavam o Povo de Deus (as outras três: a virgem, a prostituta, a adúltera), era a tipificação mais infeliz, desamparada e mendicante, porque significaria que o marido estava morto, para o povo Deus não existiria, não atuaria mais.

1º Esquema
“devoram as casas das viúvas”, a viúva deveria ser amparada pelo povo como o é por Deus, cf. Salmo, por isso explorar ainda se utilizando do nome de Deus para isso do ser humano fraco é afrontar o próprio Deus, que na pessoa de Elias vai ao encontro do fraco e restitui a vida da viúva e de seu filho, como Jesus que passando por todo o sofrimento apresenta-se perante o Pai como nosso mediador em nosso favor.

2º esquema
A viúva depositou aquilo que possuía para viver... A viúva confiante, mesmo em meio a sua pobreza ainda confia em Deus, ainda espera que Deus cumpra a sua promessa e ampare  a viúva e o órfão, confiança que a viúva de Sarepta teve em Elias e foi recompensada, pois a Providência de Deus não permitiu que se faltasse nem óleo nem trigo, assim Jesus experimentando a nossa orfandade hoje na presença de Deus intercede em nosso favor para nos sustentar em nossa vida até o dia em também nós atravessaremos o véu da morte para a salvação eterna.  

3º esquema
Pobre vivua que deu duas pequenas moedas, que não valiam nada. .. Deus é o Criador, tudo Dele veio e tudo a Ele voltará, também nós somos convidados a dar tudo o que temos, a confiar plenamente em Deus com aquilo que temos e somos, como a viúva de Sarepta, confiar em Deus, e saber que não somente do ponto de vista financeiro mas em tudo, se confiarmos em Deus,  a sua Divina Providência nos guiará para o bem, até o dia em seremos julgados pelo Cristo que se entregou totalmente por nós e nos resgatou da vida de pecado. Que o Senhor que é fiel para sempre e faz justiça ao oprimido, convença nosso coração a confiar plenamente n’Ele.