segunda-feira, 25 de junho de 2012

15º Domingo do Tempo Comum B


15º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
-  O Envio missionário
- Oração – a luz da verdade para ser cristão.
- 1ª Leitura Am 7, 12-15; Sl 84; Ef 1, 3-14; Mc 6, 7-13

1º Esquema
Jesus chamou os doze e começou a enviá-los... Ninguém tem autoridade para pregar a Palavra de Deus por si mesmo, somos chamados e enviados por Jesus, e nessa autoridade a Igreja prega a Palavra e realiza a ação salvadora do Senhor, esse processo não é tranqüilo há perseguições como no caso do profeta Amós que não é aceito no Santuário de Betel, nós porém temos a certeza de que o Senhor sempre nos acompanha e que com a missão cooperamos para que tudo seja recapitulado em Cristo e que no final e verdade e o amor se abraçarão.

2º esquema
Recomendou-lhes que não levassem nada... O Senhor é o protagonista da missão, somos missionários pelo Batismo nele, como Amós nos consideramos indignos e certos de que é o Senhor quem nos constitui, por isso a crença na Providência de Deus é essencial para aquele que prega a Palavra de Deus, crença de que é o Senhor quem age nos corações pois ele predestinou a sermos seus filhos adotivos, todos são vocacionados a essa filiação e o pregador vai anuncia exatamente esse chamado, somos missionários na graça de Deus e anunciaremos, em palavras e obras, que a Bondade do Senhor está presente.

3º esquema
Então os doze partiram e pregaram... Jesus é enviado ao mundo para salvar a todos e nele como diz São Paulo, tudo será recapitulado, somos também em Igreja enviados a pregar e realizar os sinais de Salvação, na ciência de que anunciamos para aqueles que querem assumir-se filhos de Deus, por isso aqueles que não querem são entregues à própria liberdade, pois ninguém pode ser obrigado a aderir e nem a ser missionário, como diz Amós, ele é pastor e foi convocado pelo Senhor a autoridade vem do próprio Senhor para anunciar a Salvação, a verdade e o amor. 

14 º Domingo do Tempo Comum B


14 º Domingo do Tempo Comum B

1.                  Informações básicas
- O profeta não é estimado em sua pátria
- Oração –  Dai aos que libertastes as alegrias eternas
- Leituras: Ez 2, 2-5; Sl 122; 2 Cor 12, 7-10; Mc 6, 1-6..


2. Esquemas

1º Esquema
 O profeta não é estimado em sua pátria... Os seres humanos não conseguem ver os sinais de Deus em sua própria vida, como diz o profeta Ezequiel há um coração duro no povo que impede de ouvir a Deus e ver seus sinais, e assim sendo não se submetem, da mesma maneira os conterrâneos de Jesus se prendem a humanidade de Jesus, aquilo que eles conheciam e não assumindo a própria fraqueza não conseguem ver a ação de Deus, portanto não tem fé, ter os olhos fitos no Senhor.

2º Esquema
E admirou-se com a falta de fé deles... Fé é entrega nas mãos de Deus, para isso ser feito temos que contemplar a Deus em nossa própria vida, na medida que nos apegamos às aparências não conseguimos ter fé por não “ver” a ação de Deus, por isso é necessário muitas vezes espinhos na carne, esbofeteamento de satanás para aceitando a própria fraqueza, aquebrantando corações possamos aí sim, a partir da nossa fraqueza deixar Deus agir em nós, experimentar a piedade do Senhor.

3º Esquema
“De onde recebeu tudo isso?” Como humanos que somos na nossa vida, percorrendo os anos, temos que transpor muralhas, isto é, ultrapassar as aparências humanas e ver a ação bondosa de Deus nos sinais de amor, das curas e milagres, porém nosso orgulho, a nossa autossuficiência provocam uma dureza de coração e uma cabeça dura que não se dobra perante Deus, por isso como São Paulo, devemos nos comprazer na fraqueza para que a graça de Deus habite em nós e assim podermos ter os olhos fitos no Senhor até que Ele tenha de nós piedade.   

São Pedro e São Paulo


São Pedro e São Paulo

1.                  Informações básicas
- O Martírio de São Pedro e São Paulo
- Oração –  Seguir os ensinamentos de São Pedro e São Paulo
- Leituras: At 12, 1-11; Sl 33; 2 Tm 4, 6-8.17-18; Mt 16, 13-19.


2. Esquemas

1º Esquema
Pedro tu és Pedra. Pedro é Pedra pela proclamação de sua fé, mas como podemos separar a fé da pessoa que a proclama? Por isso Pedro se torna a Pedra da Igreja de Cristo, porque dá testemunho público de Jesus é Deus e homem, esse testemunho o leva a dar a vida pela Igreja, ser preso e martirizado, o mesmo testemunho dado por Paulo, que guardou a fé. Por isso, engrandeçamos a Deus como esses Santos Apóstolos o fizeram.

2º Esquema
Não foi a carne ou sangue, não é a fragilidade humana que pode ver em Cristo o Filho de Deus, mas a inspiração do Pai, inspiração que faz com que São Paulo seja o mestre das nações levando-as a proclamar o senhorio de Jesus. A nós hoje também seja derramado o Espírito de Deus para proclamar Jesus em nossas palavras e em nossa vida.

3º Esquema
Irei construir a minha Igreja, a Igreja é de Jesus Cristo, Pedro o primeiro a proclamar a fé juntamente com Paulo que completa a corrida e guarda a fé, tornam-se esteio da Igreja de Cristo, esse esteio não é somente pela proclamação, mas pela vida, um pela cruz e o outro pela espada, testemunham (martyria) que Jesus é Deus. Que esse martírio nos seja hoje fecundo e possa levar a Igreja Católica hoje a testemunhar Jesus como o Filho de Deus, e todos possam bendizer verdadeiramente o nome de Deus. 

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Natividade de São João Batista


Natividade de São João Batista

1.                   Informações básicas
- Natividade de São João Batista como precursora da Natividade do Senhor Jesus
- Oração –  São João preparar um povo perfeito para o Senhor
- Leituras: Is 49, 1-6; Sl 138; At 13, 22-26; Lc 1,57-66.80.

Observação – 1. Na homilia é fundamental ter a frente que a Natividade de São João Batista é celebrada no domingo por ser precursora da Natividade do Senhor Jesus em 25 de dezembro.
  1. Seria interessante trabalhar o valor da vida nascente contra o aborto, pois em toda a liturgia perpassa o tema do chamado por Deus desde o ventre materno.

2. Esquemas

1º Esquema
João é o seu nome... Zacarias (que quer dizer “Deus se lembrou”) havia duvidado da ação de Deus no seio de sua mulher Isabel, até o momento em que assume o nome de seu filho seria João (que quer dizer “Graça de Deus”), o menino que foi tecido no seio materno para preparar um povo bem disposto para o Salvador, anunciando pela vida e pela palavra que a graça de Deus habita em meio ao ser humano.  

2º Esquema
“O que virá a ser desse menino?” O nascimento prodigioso de João faz o povo intuir que há algo de maior naquela criança, como no caso da primeira leitura o profeta considera que a missão começa no ventre materno, já há um desígnio de Deus para ser servo do Senhor, cuja missão é pregar um batismo de conversão para preparar um povo perfeito.

3º Esquema
“E o menino crescia e se fortalecia em espírito” O profeta é chamado através da pregação e de sua vida no deserto no convívio íntimo com Deus preparar-se para viver a vocação para a qual ele foi chamado desde o ventre materno, preparar um povo perfeito para Deus através de um batismo de conversão. E nós com São João podemos exclamar vivendo a nossa vocação: “Eu vos louvo e vos dou graças, ó Senhor, porque de modo admirável me formastes!”. 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

11º Domingo do Tempo comum B


11º Domingo do Tempo comum B

1.                   Informações básicas
- A semente do Reino de Deus
- Oração –  Dai-nos vossa graça para poder agir conforme a vossa vontade.
- Leituras: Ez 17, 22-24; Sl 91; 2 Cor 5, 6-10.


2. Esquemas

1º Esquema
“O reino de Deus é semente”. O reino de Deus, a presença de Deus em meio ao seu povo, que cresce também no coração de cada um pela graça de Deus, é como uma semente que precisa passar por todo o itinerário do germinar, crescer, dar flores e frutos, a paciência é fundamental no crescimento do Reino de Deus, para que muitos venham habitar em suas ramagens, o Reino cresce silenciosamente mas deve se tornar sinal para toda a humanidade, até o dia em que manifestarmos perante o tribunal de Cristo nossas obras, nossos frutos, esse é o objetivo maior de nossa vida.

2º Esquema
O Reino de Deus é semente de mostarda, muitas vezes o mundo quer resultados rápidos e perfeitos, mas a semente cresce devagar, porém é se tornar árvore que abriga vários pássaros, da mesma forma o justo cresce como palmeira como nos diz o salmo, e nossa vida imersa na graça de Deus se torna sinal do Reino de Deus para o mundo, por isso é necessário uma educação permanente da fé para que cada cristão se torne esse sinal do Reino no mundo e todos possam assim agradecer a Deus pela sua salvação.

3º Esquema
Jesus anunciava a palavra usando muitas parábolas... No cumprimento da profecia messiânica da primeira leitura, na qual o profeta vislumbra que a salvação se estenderá como a copa do Líbano, Jesus se torna o semeador do Reino, somos semeadores nele, por isso ele é o modelo de paciência e de espera que contempla a semente que cresce em cada ser humano, por outro lado, já vislumbra o futuro desse Reino semeado, sabedor de que o Reino de Deus vindo de uma pequena semente se torna a Igreja de Deus. Somos convidados a contemplar na vida as sementes do Reino, ter paciência de esperar o crescimento e os frutos e saber que o futuro é comparecer perante o trono do Semeador cheios de confiança.  

segunda-feira, 4 de junho de 2012

10º Domingo do Tempo comum B


10º Domingo do Tempo comum B

1.                   Informações básicas
- Escolher ser da família de Deus
- Oração –  Pensar e realizar o que é reto.
- Leituras: Gn 3, 9-15; Sl 129; 2 Cor 4,13-5,1; Mc 3, 20-35.


2. Esquemas

1º Esquema
“Quem blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado” o ser humano tem uma tendência a cair no orgulho  a não conseguir ver a ação bondosa de Deus nos atos de salvação, da mesma forma os parentes de Jesus que não aceitavam-no como Messias ou os escribas ciosos do próprio poder, não conseguiam ver a ação de Deus nas ações de Jesus e atribuindo o mal a uma ação de Deus é pecar contra o Espírito Santo, como Adão e Eva que em seu orgulho quiseram experimentar do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, serem iguais a Deus, nós também podemos entrar nesse esquema orgulhoso por isso o segredo é o que nos diz São Paulo, saber que essa morada é passageira e que é o homem espiritual, pleno do Espírito que tem que crescer, saber-se frágil para abrir-se a Deus, e acolher a copiosa redenção de nosso Deus.

2º Esquema
“Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão...”, podemos de modo fácil condenar os parentes de Jesus que o condenavam por assumir a posição de Messias de Israel, ou a arrogância dos escribas que atribuíam a obra de Deus a Belzebu, porém hoje podemos cair no mesmo erro, e com a cegueira de Adão, optar pelo mal e culpar os outros, para que isso não aconteça temos que fazer parte da família de Jesus, e para isso cumprir a vontade de Deus e buscá-la com todo o nosso ser, através da fé que nos faz ver o Eterno (invisível) em meios ás coisas passageiras (visíveis) e não somente saber intelectualmente mas experimentar que deus é graça e redenção.

3º Esquema
A família de Jesus... família são aqueles ligados por laços, laços que no caso de Jesus não é de carne e sangue mas a vontade de Deus que penetrando em nosso coração como traz a oração inicial nos faz praticar o bem. Nessa medida podemos sair do mal que nos faz como a serpente viver a nudez, absolutizando nossa condição carnal, com o ventre sobre a terra, tomando decisões somente presas a esse mundo e vivendo em eterna briga com os filhos de Deus. Somos convocados a discernir o bem do mal, somente na medida em que aceitamos que a nossa morada aqui na terra é passageira, passaremos a vislumbrar o céu em meio às coisas da terra. Por isso, das profundezas de nossa humilde casa clamamos a Deus copiosa e eterna redenção.