quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Santa Mãe de Deus


Santa Mãe de Deus

1. Informações básicas
- Santa Maria Mãe de Deus
- Oração – Virgindade Fecunda de Maria.
- Leituras: Nm 6, 22-27; Sl 66; Gl 4,4-7; Lc 2, 16-21.

2. Esquemas

1º Esquema
Encontraram Maria e José... Na plenitude do templo Deus nasce de uma mulher, a participação dessa mulher no processo salvífico nos faz ver como deve ser nosso relacionamento com Deus, Maria virgem, totalmente fiel ao projeto de Deus, e Mãe, o relacionamento mais pleno com Deus, nos guia como deve ser o nosso relacionamento com Deus, esse relacionamento é no tempo, por isso no início de cada ano nos faz pedir que essa bênção, Deus quer nos fazer o bem, e que Maria interceda por nós para que saibamos como ela nos relacionar com Deus.

2º Esquema
Deram-lhe o nome de Jesus, o filho da Virgem tem o nome de que Deus se faz carne para salvar o ser humano, a bênção de Deus agora está presente na carne, no filho que nasceu de uma Virgem e Mãe, o Nome de Deus está perto, a sua presença agora se relaciona plenamente conosco, que Deus faça com que nesse ano a sua graça e sua bênção esteja sempre conosco através do Mediador Jesus.

3º Esquema
Maria Mãe de Deus, muitas vezes não se entende esse dogma, Mãe é aquela que gera, mantém no ventre e dá à luz, é impossível separar a essência de Deus, por isso Maria gerando o Filho de Deus, é mãe de Deus, por Jesus ser homem tem que nascer de uma mulher e por ser Deus tem que nascer de uma Virgem, que Maria, a mãe da bênção, possa interceder para que o ano que se inicia esteja pleno da presença, da bênção de Deus.     

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Sagrada Família C


Sagrada Família C

1. Informações básicas
- Modelo de Família
- Oração – Sagrada Família como exemplo.
- Leituras: Eclo 3,3-7.14-17; Sl 127; Cl 3,12-21; Lc 2,41-52.


2. Esquemas

1º Esquema
E era-lhes obediente... A Sagrada Família é o exemplo de toda e qualquer família ou comunidade, porque vive plenamente o amor da Santíssima Trindade no relacionamento mútuo. Jesus, o Verbo Encarnado, era obediente a seus pais, a obediência, o respeito, a honra dada aos pais, bem como o cuidado destes para com os filhos, retratados na primeira e segunda leituras é o reflexo do amor da Trindade, somos chamados então a sermos felizes e a construir essa felicidade em família pela graça de Deus, que o Senhor abençoe de Sião todas as famílias.

2º Esquema
E Jesus crescia... A Sagrada Família é o modelo de toda e qualquer família de tal modo que seja a família o lugar propício para educar seres humanos para o relacionamento amoroso como reflexo do amor da Trindade, pois Deus é amor (cf. Jo 4,8), é na família que se aprende o respeito, a honra aos pais, o cuidado dos filhos e é nela que o temor e o amor a Deus é cultivado, de tal modo que o único modo de termos famílias santas e santificantes para o mundo, é encontrar toda a felicidade nesse temor e amor a Deus.

3º Esquema
Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?...   A família é o lugar da vida e do crescimento da vida, mas a família não pode estar fechada em si mesma, criamos seres humanos para torná-los livres, crescer em idade, sabedoria e graça, para louvarem a Deus com sua vida. Na família se aprende as virtudes cristãs e com elas o ser humano é chamado a fazer outros seres humanos crescerem de acordo com sua liberdade e vocação, por isso peçamos a Deus que o amor familiar em torno da mesa não se feche a vida, mas faça surgir homens e mulheres que queiram estar na casa do Pai e louvá-lo para sempre.   

Natal Dia


Natal Dia

1.                  Informações básicas
- Deus assume a natureza humana 
- Oração – dai-nos participar da divindade de vosso Filho.
- Leituras: Is 52, 7-10; Sl 97; Hb 1,1-6; Jo, 1,1-18.

2. Esquemas

1º Esquema
E a Palavra se fez carne e armou tenda entre nós... Deus acompanhou seu povo no deserto habitando em Tenda, o símbolo maior de ser nômade, daqueles que no deserto procuram a terra prometida, agora a Tenda de Deus não é feita de pele de animal, mas de pele humana, Deus assume totalmente a natureza humana, para nos fazer participar da divindade, como em Hebreus, esses tempos são os últimos porque o que foi anunciado foi cumprido Deus envia seu próprio filho, essa é a mensagem maior do profeta Isaías, o anúncio da redenção do exílio chegou, a Salvação de Deus se faz presente para sempre no meio da humanidade.

2º Esquema
No Princípio era a Palavra... A expressão plena de Deus, o esplendor da glória do Pai, Eterno, se faz carne, e agora Deus entra em relação plena com o ser humano através de uma criança, a Palavra que se faz carne pela ação do Espírito e nasce, agora vemos e ouvimos Deus num ser humano, o relacionamento é pleno e somos agora em Cristo gerados filhos de Deus, participantes da Divindade nascemos agora por vontade de Deus, o Natal é essa alegria plena anunciada pelos profetas, Deus quer que estejamos com Ele e nos propicia isso na Palavra que se faz Carne.

3º Esquema
E a luz brilha nas Trevas, a Palavra é luz para os passos humanos, agora essa Palavra não está mais escondida no recôndito da Divindade, mas se manifestou entre nós, para que cada ser humano possa participar da Divindade não como escravo mas como filhos gerados pela graça trazida por Cristo. No Filho do Pai encarnado e nascido contemplamos o Mistério de Deus que se manifesta historicamente, cada um de nós é convidado a contemplar a salvação de Deus e anunciar ao mundo, A Salvação de Deus se fez carne e armou tenda entre nós.    

Natal Noite


Natal Noite

1.                  Informações básicas
- A Luz rompe nas trevas 
- Oração – Verdadeira Luz.
- Leituras: Is 9, 1-6; Sl 95; Tt 2,11-14; Lc 2, 1-14.

2. Esquemas

O simbolismo da luz: a Luz rompe as trevas, trevas não é somente escuridão, mas é o caos total, a falta de vida, é morte, a Luz dissipa as trevas e vai organizando a Criação (Gn 1) e guia o ser humano. Por isso, é perfeitamente válido relacionar luz com verdade e vida.

1º Esquema
A Glória do Senhor os envolveu em luz... A manifestação plena de Deus acontece situada na história, a marca do contexto judaico-cristão, Deus é plena verdade manifestada e situada na História, não é um mistério etéreo mas real, no dizer de Paulo manifestado . Por isso, o anúncio feito pelo anjo é revestido da glória de Deus, num recém-nascido sem qualquer resplendor, naquela vida humana os pastores pobres são chamados a contemplar a vida plena. Da mesma maneira que os exilados do Reino do Norte na visão de Isaías podiam ter a esperança da salvação. O canto novo dos libertos é esse hoje nasceu o salvador.

2º Esquema
Na noite santa rompe a luz que se fez carne, o ser humano que andava nas trevas agora pode contemplar a Palavra que guia o ser humano e que dá a salvação. Numa criança, num ser indefeso está a presença do Todo-poderoso, Deus se faz próximo a pastores pobres, e cada um de nós, pode alegrar-se pelo nascimento de um menino, que traz esperança aos nossos corações. Natal é a criança que vem a luz, vem à convivência humana, e no caso Deus feito carne quer entrar em relação plena conosco, o Universo rejubila, hoje nasceu o Salvador.

3º Esquema
Maria deu à luz seu Filho Primogênito... Muitas vezes ouvimos sobre o Espírito do Natal, esse é o Espírito, Deus quis nascer de uma mulher, quis assumir totalmente a raça humana, inserido na História, em meio a pobreza, um menino foi-nos dado, a salvação se faz carne, Deus entra em relação conosco não como um Senhor de escravos, mas como uma criança, o indefeso quer nos atrair para seu convívio. Esse é o mistério que se manifesta e que ilumina as trevas e nos dá a vida. Por isso, o verdadeiro Espírito do Natal é Hoje nasceu para nós o Salvador que é Cristo, o Senhor.   

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

4º Domingo do Advento C


4º Domingo do Advento C

1.                   Informações básicas
- a Mãe do meu Senhor...
- Oração –  conhecendo pela mensagem do anjo a encarnação de vosso Filho.
- Leituras: Mq 5,1-4; Sl 79; Hb 10,5-10; Lc 1,39-45.

Nota exegética - “Mãe do meu Senhor”, ἡ μήτηρ τοῦ κυρίου μου, não há dúvida que a palavra escolhida é Senhor, Kyrios, a mesma usada para Deus em várias partes da Septuaginta (tradução grega do Antigo Testamento) e do Evangelho. Portanto, Maria é Mãe de Deus.

2. Esquemas

1º Esquema
A Mãe do meu Senhor... Na proximidade do Natal, o mistério da Encarnação é vivido na Liturgia do quarto domingo do Advento. Maria, a cheia de graça, acolhe em seu seio o Verbo de Deus e isso é reconhecido por Isabel ao saudá-la como a “Mãe do meu Senhor”,
Deus quis ter uma mãe, como traz o profeta Miquéias, o sinal do reino messiânico é uma mãe ao dar a luz um rei provindo de Belém, cidade desde toda a eternidade, rei-messias que  governará o povo de Deus. Na pessoa de Jesus toda a vontade de Deus é realizada, um culto perfeito a Deus, o rosto humano de Deus, o rosto divino do homem, a luz de Deus resplandece no universo.

2º Esquema
“Bendito é o fruto do teu ventre”... Entrando no espírito do Natal neste quarto domingo do Advento a Liturgia nos traz que o fruto do ventre de Maria Santíssima é o Salvador que assumindo a natureza humana no faz ter plena comunhão com Deus, como Isabel cheia do Espírito Santo. De Belém, a cidade de Davi, cujo desígnio eterno seria a salvação vinda do ventre de uma mulher, tomando um corpo humano como na Carta aos Hebreus, pelo cumprimento perfeito da vontade do Pai no corpo de Jesus é que somos santificados, apresentados como oferenda perfeita a Deus, por isso roguemos que neste Natal o Senhor nos ilumine com sua face.

3º Esquema
“Bem-aventurada aquela que acreditou”...Maria coopera plenamente na salvação do mundo, ao assumir a missão de Mãe do Senhor, pela sua entrega a Deus permite que Deus assuma a nossa natureza humana, pois como diz o profeta, o povo deixará o abandono e se reunirá quando uma mãe der à luz. Maria plenamente cumpre a vontade de Deus e nós também somos convidados a nos tornar uma grande oferenda ao Senhor, a exemplo de Maria, pela nossa união com Cristo, para que sejamos salvos. 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

3º Domingo do Advento C


3º Domingo do Advento C

1.                   Informações básicas
- Virá aquele que é mais forte do que eu...
- Oração –  celebrar as alegrias da salvação com intenso júbilo na solene liturgia.
- Leituras: Sf 3, 14-18; Is 12; Fp 4, 4-7; Lc 3,10-18


2. Esquemas

1º Esquema
“Que devemos fazer?” Diante da pregação de João Batista as pessoas querem mudar de vida, porque anuncia que virá aquele que batizará no Espírito Santo, da mesma forma São Paulo anuncia que o Senhor está próximo. Essa mudança de mentalidade que provoca uma mudança de vida não é algo que deva ser visto com o medo de escravo, mas a alegria da mãe que aguarda o nascimento de seu filho, por isso ao exclamação de Sofonias é propícia, Deus quer que nós, os exilados que voltam de uma vida de pecado exultem de alegria, não temer, mas exultar porque Deus renova seu povo no amor, “Exultai, cantando alegres, porque Deus é grande em nosso meio”.

2º Esquema
“Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo”... Jesus é aquele que vem (advento) para mergulhar seu povo no Espírito, purificando a humanidade das obras do pecado, para que assim renovada no amor de Deus, possa perceber e exultar porque Deus está no meio de seu povo, o Senhor está próximo. Não mais como São João Batista, é o Espírito que o Cristo traz que nos possibilita realizar obras de Justiça, essas são as alegrias da Salvação que queremos celebrar na Sagrada Liturgia, e Louvar e cantar a Deus hoje e sempre.

3º Esquema
Eu não sou digno de desamarrar suas sandálias... A disposição para acolher aquele que vem batizar como Espírito, é a disposição que São João Batista tinha, reconhecer-se criatura e saber que sozinhos não podemos nos converter, o nosso querer purificado no fogo do Espírito é que nos faz esperar o Senhor que vem, espera não com temor, Não temas Sião, mas alegrai-vos sempre no Senhor, essa paz e alegria somente aquele que acolhe o Senhor em seu coração, por isso preparar-se para o Natal é ansiar, em santa alegria pela vinda do Senhor, peçamos então a graça de exultar e cantar alegres na vinda do Senhor.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

2º Domingo do Advento C


2º Domingo do Advento C

1.                   Informações básicas
- Preparai o caminho do Senhor.
- Oração –  nenhuma atividade impeça correr ao encontro de Cristo.
- Leituras: Br 5,1-9; Sl 125; Fp 1,4-6.8-11; Lc 3,1-6.


2. Esquemas

1º Esquema
No décimo quinto ano... A salvação de Deus em Jesus Cristo é mostrada por Lucas como histórica, nessa História a Palavra de Deus é dirigida a João e este prepara para o Senhor um caminho, a sua vinda na encarnação para a salvação da humanidade, da mesma forma que no livro de Baruc, no qual Jerusalém é convidada a se rejubilar porque seus filhos estão voltando do Exílio da Babilônia e Deus vem caminhando a frente deles, da mesma forma em nossa vida historicamente devemos nos preparar para vinda do Senhor, no dizer de São Paulo, para isso que nosso amor cresça sempre mais e que a obra de Deus em nós atinja a perfeição, para que na Glória de Deus exclamemos: Maravilhas fez conosco o Senhor.


2º Esquema
Preprarai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas... Com São João Batista queremos preparar o caminho do Senhor em nossas vidas, por isso devemos nos empenhar na reforma de nossa própria vida para acolhermos o Senhor na História, discernindo o que é melhor, de tal modo que o Senhor leve a perfeição a obra que ele começou, para que neste advento tenhamos a Alegria que os exilados tiveram ao voltar a Jerusalém, que o Senhor encha de sorriso nossas bocas e alegres colhamos o que em tristeza plantamos, exultemos de alegria.


3º Esquema
E todas as pessoas verão a salvação de Deus... A salvação é real, não é uma estória para crianças, por isso que endireitemos as veredas, limpemos nossa casa interior, porque a libertação se aproxima e deixemos Deus nos guiar, como o fez aos exilados da Babilônia, à luz de sua glória, para que a obra da salvação em nós seja levada à perfeição, e cheios de fruto de Justiça, advinda da graça de Jesus, nos leve a glorificar e louvar a Deus com nossa vida, e assim exultaremos de alegria para sempre. 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

1º Domingo do Advento C


1º Domingo do Advento C

1.                   Informações básicas
-Expectativa pela vinda do Senhor.
- Oração –  ardente desejo pelo Reino celeste.
- Leituras: Jr 33,14-16; Sl 24; 1 Ts 3,12-4,2; Lc 21,25-28.34-36.


2. Esquemas

1º Esquema
“Para ficardes em pé diante do Filho do homem”... Iniciando o tempo do advento somos convidados a nos preparar para vinda do Senhor, sabendo das grandes tribulações que assolam a vida humana mas que apontam para vinda do Salvador, devemos pedir a Deus a graça de nos conhecermos pela graça de Deus para que nossos corações não fiquem insensíveis pelo sofrimento e assim numa santidade sem qualquer defeito possamos ir de coração tranqüilo ao encontro do Senhor, pois a Ele nessa Eucaristia já queremos elevar a nossa alma.

2º Esquema
“levantai-vos e erguei vossa cabeça”... Na expectativa do Senhor que vem, o cristão é convidado a ver os sofrimentos e tribulações como prenúncios da vinda do Senhor, sabendo que essa vinda é inevitável, ao invés de entrarmos numa melancolia pelo apego às realidades terrestres, somos convidados pelo Senhor a levantar a cabeça e ver que esses sofrimentos são prenúncios da salvação plena, que a promessa dos bens futuros está se realizando, por isso precisamos nos preparar por uma santidade sem defeito, fazendo progressos ainda maiores na vida espiritual, para que com ardente desejo acolhamos ao Senhor que é nossa Justiça, piedade e retidão.

3º Esquema
“Ficai atentos e orai a todo momento”...O destino do ser humano é ressuscitar, é a vida eterna com o Senhor, para isso precisamos nos preparar porque o sofrimento é grande, e para esse sofrimento não petrificar o nosso coração, sede das nossas decisões, precisamos ficar despertos, que a oração faça-nos nos conhecer, crescer numa santidade sem defeito e fazendo progressos cada vez maiores aguardar com alegria o Senhor que vem e que em sua justiça nos confiará os bens futuros, por isso já nesta Santa Eucaristia já ergamos nossos corações ao Senhor, elevemos a Ele nossas almas. 

domingo, 18 de novembro de 2012

Cristo Rei B


Cristo Rei B

1.       Informações básicas
- o Reinado Eterno
- Oração – libertos e servindo à Vossa Majestade.
- Leituras: Dn 7, 13-14; Sl 92; Ap 1,5-8; Jo 18, 33-37

2. Esquemas

1º Esquema
Eu sou rei... Jesus proclama-se rei, o rei que serve proclamando a verdade, o seu reinado não é deste mundo, é um reinado eterno que cumpre a profecia de Daniel, um Filho de Homem é glorificado e a Ele todos os povos  servem, pois seu poder é eterno. Somos convidados a participar de seu reinado, através do serviço que prestamos a Ele carregando a nossa cruz em seu seguimento e vivendo sua palavra de verdade proclamando pela palavra, mesmo em meio a muito sofrimento e situações trágicas da vida procurar os sinais do Reino de Deus, e assim pelo nosso testemunho proclamar que Deus é rei, glória ao Senhor.

2º Esquema
Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz... O rei Jesus pela sua entrega na Paixão e ressurreição nos libertou da escravidão do pecado para que servindo ao Rei que é livre e não precisa dominar ninguém sejamos livres também, e sendo livres podemos servir e adorar aquele que o Filho do Homem glorificado, aquele que é o alfa e o ômega, o princípio e fim da História, que o nosso serviço seja o testemunho da verdade para que Deus seja glorificado por todos os povos.

3º Esquema
O meu reino não é deste mundo... Em cada oração do Pai Nosso pedimos esse reino, mas a sua consumação é na eternidade, contemplando Cristo como Rei do Universo queremos olhar para a eternidade, servindo a Ele aqui, libertos do pecado e da mentira, e professando e vivendo a verdade, queremos nos preparar para a verdadeira adoração que é proclamar com a vida e a palavra que só Deus é Deus, Ele é o nosso Amém, o nosso sustentáculo, e com todos os povos e nações viver sob seu reinado para sempre. Por isso com todos os povos queremos proclamar glória ao Senhor, pois Ele é Rei. 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

33º Domingo do Tempo comum B


33º Domingo do Tempo comum B

1.                   Informações básicas
- A vinda do Filho do Homem 
- Oração – Alegria em servir a Deus de todo coração.
- Leituras: Dn 12, 1-3; Sl 15; hb 10,11-14.18; Mc 13, 24-32.

2. Esquemas

1º Esquema
Vereis o Filho do Homem vindo nas nuvens com grande  poder e glória... Caminhando para o final do Ano Litúrgico, somos convidados pela Liturgia desse domingo a contemplar o fim último do ser humano, o julgamento da humanidade pelo Filho do Homem, o Cristo Glorioso, quando os que dormem despertarão para a vida ou para o opróbrio eterno, somos convidados a ver os sinais do Filho do Homem durante essa vida e ter uma vida sábia escolhendo o bem, até o dia em que seremos levados à perfeição definitiva. Que o Senhor nos guarde e nos conduza até o dia final.

2º Esquema
As minhas palavras não passarão... O ser humano nasce, e num aprendizado da sabedoria, iluminado pela palavra de Deus e sustentado pela graça recebida do sacrifício único de Jesus, o ser humano é chamado a crescer na prática do bem até o dia em que julgado pelo Filho do homem, quando o homem bom brilhará como estrelas pela eternidade. Que o Senhor nos ensine o caminho para a vida em plenitude.

3º Esquema
Aprendei pois da figueira... O destino do ser humano é morrer e um dia ressuscitar e ser julgado, se fez o bem para a vida, se fez o mal para o opróbrio eterno, por isso o ser humano é chamado a discernir os sinais do Filho do Homem durante a vida, aprendendo e ensinando a sabedoria para que no dia final, quando chegar a perfeição definitiva, brilhem como estrelas por toda a eternidade, que o Senhor nos ensine seus caminhos e junto a Ele sejamos felizes para sempre.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

32º Domingo do Tempo Comum B


32º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- o maior é o menor
Oração – Alegria em servir a Deus de todo coração
-  1 Rs 17, 10-16; Sl 145; Hb 9, 24-28; Mc 12, 38-44.

Nota exegética: A viúva, dentre os quatro tipos de mulher que simbolizavam o Povo de Deus (as outras três: a virgem, a prostituta, a adúltera), era a tipificação mais infeliz, desamparada e mendicante, porque significaria que o marido estava morto, para o povo Deus não existiria, não atuaria mais.

1º Esquema
“devoram as casas das viúvas”, a viúva deveria ser amparada pelo povo como o é por Deus, cf. Salmo, por isso explorar ainda se utilizando do nome de Deus para isso do ser humano fraco é afrontar o próprio Deus, que na pessoa de Elias vai ao encontro do fraco e restitui a vida da viúva e de seu filho, como Jesus que passando por todo o sofrimento apresenta-se perante o Pai como nosso mediador em nosso favor.

2º esquema
A viúva depositou aquilo que possuía para viver... A viúva confiante, mesmo em meio a sua pobreza ainda confia em Deus, ainda espera que Deus cumpra a sua promessa e ampare  a viúva e o órfão, confiança que a viúva de Sarepta teve em Elias e foi recompensada, pois a Providência de Deus não permitiu que se faltasse nem óleo nem trigo, assim Jesus experimentando a nossa orfandade hoje na presença de Deus intercede em nosso favor para nos sustentar em nossa vida até o dia em também nós atravessaremos o véu da morte para a salvação eterna.  

3º esquema
Pobre vivua que deu duas pequenas moedas, que não valiam nada. .. Deus é o Criador, tudo Dele veio e tudo a Ele voltará, também nós somos convidados a dar tudo o que temos, a confiar plenamente em Deus com aquilo que temos e somos, como a viúva de Sarepta, confiar em Deus, e saber que não somente do ponto de vista financeiro mas em tudo, se confiarmos em Deus,  a sua Divina Providência nos guiará para o bem, até o dia em seremos julgados pelo Cristo que se entregou totalmente por nós e nos resgatou da vida de pecado. Que o Senhor que é fiel para sempre e faz justiça ao oprimido, convença nosso coração a confiar plenamente n’Ele. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Todos os Santos


Todos os Santos

1.                   Informações básicas
- A Comunhão dos Santos
- Oração –  celebrar numa só festa os méritos de todos os santos
- Leituras: Ap 7, 2-4.914; Sl 23; 1 Jo 3, 1-3; Mt 5, 1-12


2. Esquemas

1º Esquema
Bem-aventurados.... Makarioi...Feliz, bem-aventurado aquele que sabe ser pobre e deixa a graça de Deus agir, felizes são aqueles que lutam pela justiça, mas ao mesmo tempo sabem que a plenitude da justiça só está em Deus, são esses que um dia se prostrarão diante do Trono e do Cordeiro, aqueles que lavaram suas vestes no sangue do Cordeiro, quando se manifestará aquilo que somos, filhos de Deus, e juntos cantaremos: “É assim a geração dos que procuram o Senhor”.

2º Esquema
Bem-aventurados os que promovem a paz, porque estes são chamados filhos de Deus, aqueles que nesse mundo vivem a graça de Deus, aqueles que trabalham não por uma paz como ausência de guerra, mas promovendo a justiça propiciam vida plena aos seres humanos que os rodeiam. Santo não é um alienado, mas aquele que sabe-se filho de Deus e vive essa vocação juntamente com seus irmãos, sabe que um dia estaremos juntos na mansão celeste, prestando o louvor perfeito a Deus que é uma vida sem mancha “Quem tem mãos puras e inocente coração”.

3º Esquema
Bem-aventurados os perseguidos... aquele que é pobre, e procura a Deus, que busca a justiça através de um coração puro, contradiz o que o mundo prega, esses lavam as vestes no sangue do cordeiro, porque unem seu viver ao viver do Cordeiro, por isso, um dia viverão para sempre diante de Deus, num povo que abrange todas as raças e línguas, (144.000), vendo a Deus como ele é, esses morarão para sempre na casa do Senhor. 

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

30º Domingo do Tempo Comum B


30º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Seguir Jesus pelo caminho
- Oração – aumentai em nós a caridade.
-  Jr 31,7-9; Sl 125; Hb 5,1-6; Mc 10,46-52.

Nota exegética- Timeu, filho de Bartimeu – há uma dualidade no nome de Timeu, se se vai na etimologia semítica vem de tame’, impuro, bartimeu filho da impureza, por outro lado na etimologia grega Timeu, vem Timaios, honrado, estimado.

1º Esquema
“Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim”... Como introdução à subida a Jerusalém está o cego de Jericó, clama pela piedade do Senhor e é curado, agora curado pode seguir Jesus pelo caminho, da mesma maneira nós pela misericórdia do Senhor somos curados da nossa cegueira do pecado podemos entender seu sacrifício na cruz, então podemos segui-lo, essa é a nossa libertação, a nossa volta do exílio no pecado e experimentar a misericórdia do sumo-sacerdote Jesus que assumiu nossa fraqueza e pode assim nos conduzir à salvação, essa é a maravilha que o Senhor fez, por isso exultemos.

2º esquema
Timeu... A impureza, o pecado, nos cega, ao ouvir o Senhor que se aproxima de nós devemos gritar pela sua misericórdia, para que esta nos faça ver o verdadeiro sumo-sacerdote que misericordioso assumiu nossa fraqueza e pode assim nos fazer ver as maravilhas de Deus, a libertação desse grande exílio em nossa miséria, aí sim, somos honrados, nos sentimos amados e estimados por Deus, aí louvaremos a Deus para sempre.

3º esquema
“Vai tua fé te curou”... Na nossa cegueira do pecado nos resta ouvir a palavra do Senhor e reconhecendo que somos  cegos clamar que o Senhor nos cure para que entendamos a sua Entrega na cruz, a misericórdia do grande sumo-sacerdote que nos salva e nos regata desse grande exílio. Que Deus transforme nossas tristezas em grande alegria.  

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

29º Domingo do Tempo comum B


29º Domingo do Tempo comum B

1.                   Informações básicas
- O Filho do Homem veio para servir
- Oração – A graça de servir a Deus.
- Leituras: Is 53, 10-11; Sl 32; Hb 4, 14-16; Mc 10, 35-45.


2. Esquemas

Observação exegética – Após o terceiro anúncio da Paixão os discípulos colocam a questão de quem é o maior, não entendem o messianismo de Jesus, logo a seguir vem o cego de Jericó,  como em outros evangelhos, para iniciar a subida para Jerusalém e a morte e ressurreição de Jesus, demonstrando a cegueira do discípulo e que somente no seguimento de Jesus pelo caminho até Jerusalém fica claro o seu messianismo.


1º Esquema
“Deixa-nos sentar...” Os discípulos querem o poder, querem um Reino Glorioso do Messias no qual se sentarão a direita e à esquerda para mandar. Mas, Jesus mostra que o seu messianismo é o batismo de Sangue, é servir na cruz, no cumprimento da profecia de Isaías, o servo carrega as culpas e justificará a muitos, esse é o sacerdócio de Cristo, um sacerdócio misericordioso, provado em tudo menos o pecado, que nós no nosso carregar a cruz no serviço a Deus possamos sempre esperar em Deus que nos socorre com sua graça.

2º Esquema
“Entre vós não deve ser assim...” O ser humano sempre busca o reconhecimento de outros, o aparecer num mundo glamoroso é buscado com todas as forças, os discípulos não eram diferentes queriam se sentar ao lado de um Messias glorioso, mas a resposta é tomar o cálice da Ira de Deus, é experimentar até o fim a fragilidade humano, é ser batizado no próprio sangue, é doação pura, nisso consiste o Messianismo prometido por Isaías ao contemplar o servo, que no seu sofrimento traz luz para o ser humano, e nós somos convidados a renunciar a qualquer ânsia de aparecer, de poder, e diante do trono da Graça que é a Cruz redendora obter a graça de carregar a cruz, esperar em Deus aconteça o que acontecer.

3º Esquema
O Filho do homem veio para servir... Jesus é o Messias servidor, aquele que vem para doar vida ao seus irmãos e irmãs, essa doação traz sofrimento, mas a entrega já é a própria recompensa do seguidor de Jesus, mesmo em meio a sofrimentos. Sofrimento que se torna redentor e o nosso sofrimento unido ao de Jesus se torna também redentor, por isso que do trono da Graça que é a cruz do Sumo-Sacerdote misericordioso Jesus, possa nos vir a graça para nos sustentar no serviço a Deus e ao próximo. 

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

28º Domingo do Tempo Comum B


28º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Vem e segue-me
- Oração – Que a graça de Deus nos preceda.
-  Sb 7, 7-11; Sl 89; Hb 4,12-13; Mc 10,27-30



1º Esquema
Depois, vem e segue-me...Não basta cumprir os mandamentos, esse cumprimento deve levar ao desprendimento e ao seguimento de Jesus numa entrega total, o apego à riqueza não permitiu que aquele homem seguisse Jesus, essa decisão de se entregar totalmente é a verdadeira sabedoria que Salomão pede como nos mostra a primeira leitura, e para nos ajudar a formar nessa sabedoria que nos leva ao seguimento é a Palavra de Deus que nos julga os pensamentos e as intenções do coração e nos forma na verdadeira sabedoria.

2º esquema
“Eis que deixamos tudo e te seguimos”... Ao nos desprendermos de tudo e nos entregarmos ao Senhor, no seu seguimento, laços verdadeiros de amizade em Deus são formados, a Providência vai a frente de nossas decisões sabias e vai construindo relacionamento e passamos a formar não uma família de sangue, mas a família de Jesus. Para viver nessa família temos que ter decisões amorosas formadas pela Palavra de Deus até o dia da reunião da família eterna no Reino de Deus para sempre.

3º esquema
Para os homens isso é impossível... O ser humano é um ser necessitado e é muito fácil para esse ser humano apegar-se, por isso é preciso a graça de Deus que nos ensine uma sabedoria eterna que nos ajude a nos desprender da riqueza e de todo ser humano, a Palavra de Deus vem a nós e no discernimento faz esse processo de desapego até que um dia nos entreguemos totalmente nas mãos de Deus.

27º Domingo do Tempo Comum B


27º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- O que Deus uniu
 - Oração – Derramai a sua misericórdia.
- Gn 2,18-24; Sl 127; Hb 2,9-11; Mc 10,2-16.

1º Esquema
O que Deus uniu o homem não separe... a boa nova do matrimônio é que a união de homem e de mulher é realizada por Deus, essa união é uma bênção de Deus, romper com isso é romper com aquilo que o Criador deixou impresso no interior de cada ser humano (1ª leitura), esse amor mergulhado no mistério da Redenção em Cristo chegará à sua plenitude na eternidade.O Senhor abençoe a Sião, e que a bênção que é a família cresça cada vez mais entre nós.

2º esquema
O homem deixará... para que haja verdadeiramente matrimônio é necessário que o homem deixe seu pai e sua mãe, haja maturidade o bastante para que livre esse homem se una a uma mulher e assim forme uma só carne, quando isso não acontece o coração humano endurece e surge o divórcio, por isso é preciso formar o ser humano para a união em uma só carne, para que haja verdadeiramente famílias felizes e abençoadas até chegar a consumação no Reino de Deus em Cristo Jesus.

3º esquema
Deixai vir a mim as crianças... O Reino de Deus é das crianças, daquelas que se entregam totalmente nas mãos de Deus, somente quem aceita o Reino de Deus assim, compreende a boa nova do Matrimônio e não permite que seu coração endureça, são pessoas que agem como crianças que deixam a graça de Deus agir e formam então uma só carne. Até o dia em que na consumação do Reino de Deus chegaremos a Sião Eterna, onde seremos uma só família.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

26º Domingo do Tempo Comum B


26º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Ser cristão é agir bem
 - Oração – Deus mostra seu poder no amor e na misericórdia.
- Nm 11,25-29; Sl 18; Tg 5,1-6; Mc 9, 38-43.45.47-48.

1º Esquema
“Quem não é contra nós é a nosso favor”. Jesus nos exorta a ver a ação de Deus mesmo fora dos limites dos seus discípulos, afinal o Espírito sopra onde quer (cf. Jo 3, 8) e os discípulos devem ver essa ação do Espírito, ter o mesmo desejo que Moisés diante do ciúme de Josué, que todo o povo possa verdadeiramente profetizar, esse ciúme, esse zelo exagerado, é porque não temos o pensamento de Deus e nos prendemos no dizer de São Tiago ao luxo, aquilo que aparece e não à essência da vida, enfim que a Lei de Deus alegre o coração humano, em qualquer coração em que ela habita.

2º esquema
“quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo”. Jesus parte sua teologia de um copo de água, não importa quão insignificante possa ser a ação o importante é ver nos pequenos atos de amor a presença salvífica de Deus e não ficará sem recompensa, Moisés soube ver em Eldad e Medad a ação de Deus, nós muitas vezes presos ao ouro e a prata não conseguimos dar a devida importância aos pequenos atos de amor. Deus, cujo poder supremo é a misericórdia nos dê a graça de louvá-los nos pequenos atos da vida.

3º esquema
“Quem escandalizar um desses pequeninos”. Somos chamados a ver Deus nas pequenas coisas, mas também nos pequenos, naqueles que são amados por Deus a partir de sua condição de pequenez e de pobreza, ver naqueles que estão fora do acampamento a ação de Deus, se não assim o fizermos estamos indo contra o próprio Deus, e se for o caso de renunciar a opiniões, riquezas, ou pessoas, que não nos prejudicam nessa visão do Reino de Deus, deveriam ser retiradas, tudo o que  coopera na visão do amor de Deus, nos pequenos atos e nos pequeninos deve ser promovido em nossas vidas, enfim a Lei que é perfeita para nos ensinar a amar, ilumine nossas decisões.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

25º Domingo do Tempo comum B


25º Domingo do Tempo comum B

1.                  Informações básicas
- O maior é o que serve
- Oração – A lei é o amor.
- Leituras: Sb 2,12.17-20; Sl 53; Tg 3,16-4,3; Mc 9, 30-37.


2. Esquemas

1º Esquema
“Se alguém quiser ser o maior seja aquele que serve” O Serviço maior de Jesus foi sua entrega na Cruz e sua ressurreição, nessa entrega queremos servir ao nosso próximo a exemplo do próprio Jesus, porém essa entrega nos trará sofrimento como traz o livro da Sabedoria, as ações justas e amorosas provocam a ira do mal, portanto que Deus nos dê a graça de realizar essas ações, pois no dizer de São Tiago o fruto da justiça é semeado pelos pacificadores, que louvam a Deus pelas suas ações.

2º Esquema
“Quem acolher em meu nome uma destas crianças...” Nós queremos servir, mas não se pode servir com um coração duro de escravo, esse serviço deve ser feito como se acolhe uma criança, na simplicidade e na entrega ao Pai, essa ação não ingênua mas inocente, é que possibilita um coração semelhante ao de Jesus e assim faremos obras de Justiça como nos diz São Tiago, essa entrega na simplicidade provoca a Ira do mal, pois revela a verdadeira natureza de suas ações, mas cremos que é Deus que sustenta nossa vida.

3º Esquema

“tinham discutido quem era o maior”. Quem tem a cabeça em grandezas e em orgulho não compreende a entrega sofredora do Filho de Deus na Cruz, por isso para sair desse orgulho somente entrando na dimensão da entrega no serviço abnegado ao outro, assim começamos a entender a Entrega do Filho de Deus, ver em tanto sofrimento e dor o amor supremo que se entrega ao Pai como uma criança, ver que mesmo na perseguição dos maus e do sofrimento, a injustiça e na condenação, se permanecermos em Deus, sabendo que Ele nos sustenta é o que importa, portanto que sejamos homens e mulheres praticantes da justiça e promotores da paz verdadeira. 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

24º Domingo do Tempo Comum B


24º Domingo do Tempo Comum B


1.       Informações básicas
- O Messias sofredor
- Oração – sentir em nós o amor de Deus para servir.
- Is 50, 5-9; Sl 114; Tg 2,14-18; Mc 8, 27-35.

Observação exegética – “Vai para longe, Satanás” (Upage opiso mou, Sataná), a tradução literal do original seria uma ordem para Pedro ir para trás de Jesus, pois Pedro, conforme o aramaico satanás (opositor) estaria impedindo Jesus (escandalon) de seguir o caminho da obediência ao Pai, o caminho da Cruz.

1º Esquema
“E vós quem dizeis que eu sou?”... Qual a imagem de Messias que temos, Pedro, movido pelo Espírito, proclama que Jesus é o Messias, aquele que devia vir, mas não aceita a imagem de Messias que nos é proposta pelo profeta Isaías, sofredor e que tem a plena ajuda de Deus, por isso somos convidados a seguir esse Messias, carregando nossa cruz na renuncia de nós mesmos, e não numa fé mágica que somente quer se livrar do sofrimento. Que Deus nos dê a graça de em meio aos sofrimentos saber que sempre estamos em sua presença.

2º esquema
“Tu não pensas como Deus...”.  Jesus é o Messias, é o Cristo de Deus, aquele pleno do Espírito que nos dá o Espírito Santo, mas o é na visão de Isaías que em meio a sofrimentos sabe que Deus o ajuda, que é seu auxiliador, somos convidados a não nos opor a esse projeto mas renunciando a nós mesmos, renegando nossa própria vida, carregar a nossa cruz, suportar os sofrimentos da vida, mas não numa visão masoquista, mas sim para fazer obras da Fé como nos diz São Tiago, senão acabamos tendo uma fé morta baseada num Messias mágico. E assim saber que carregando a Cruz andamos na presença do Deus dos vivos.

3º esquema
“Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”... Jesus é o Messias que através de uma Entrega livre em meio a sofrimentos nos salva, cumprindo a profecia de Isaías, somos cristãos, para nós esse é o Messias, e por isso somos convidados em liberdade a segui-lo (Se queres...), nesse seguimento devemos renegar a nós mesmos, assumir os sofrimentos de nossa opção e seguir o itinerário de Entrega do Salvador, nessa medida nossa fé será verdadeira, isto é, a nossa fé no Cristo Jesus deve ser uma fé que opera pela caridade (cf. Gl 5, 6),  uma fé que nos faz andar na presença do Deus vivo e um dia viver com Ele para sempre na terra dos vivos. 

terça-feira, 28 de agosto de 2012

23º Domingo do Tempo Comum B


23º Domingo do Tempo Comum B

1.       Informações básicas
- Ouve Israel
- Oração – A verdadeira liberdade.
-  Is 35,4-7; Sl 145; Tg 2,1-5; Mc 7,31-37

1º Esquema
Éfata... Jesus é o cumprimento da profecia de Isaías, pois Deus vem até seu povo para dar nova vida e fazer os surdos ouvirem, é pelo ouvir que aprendemos a falar, é pelo ouvir que apreendemos a Palavra de Deus que mudando nosso coração nos faz falar, nos faz relacionar com o próximo e assim verdadeiramente amar, como na  Carta de São Tiago, se não ouvimos que Deus escolhe o pobre, a viúva e o órfão, fazemos escolhas erradas, somos surdos.

2º esquema
Abre-te... Não somos nós que abrimos nossos próprios ouvidos, deixemos Cristo abrir nossos ouvidos para tenhamos um novo relacionamento com o mundo, para que nossas expressões de amor mudem, o vacilar como no dizer de Isaías surge de nosso egoísmo, por isso necessitamos que o Messias abra o nosso ouvir e tenhamos um relacionamento pleno com o mundo, na mesma linha nos diz São Tiago “Meus queridos irmãos escutai...” se não temos discernimento para acolher o pobre é porque somos surdos a Deus que escolheu os pobres.

3º esquema
“Ele tem feito bem todas as coisas” Jesus é o Messias, é o cumprimento de todos os sonhos de salvação presentes no Antigo Testamento, como os da primeira leitura do profeta Isaías, fazer-nos ouvir é fazer-nos falar, ajudando-nos a nos reintegrar novamente à sociedade e ao relacionamento humano, se assim é, temos que também ajudar outros a reintegrarem-se novamente ao relacionamento humano e não excluindo pessoas, por isso que Deus nos cure o ouvir para que possamos todos Bendizer ao Senhor com toda a nossa vida.

22º Domingo do Tempo comum B


22º Domingo do Tempo comum B

1.                  Informações básicas
- A graça transforma nosso coração para praticar obras de amor
- Oração – Que Deus derrame seu amor.
- Leituras: Dt 4,2-3.6-8; Sl 14; Tg 1,17-18.21-22.27; Mc 7,1-8.14-15.21-23.


2. Esquemas

1º Esquema
“Vós abandonais o mandamento de Deus para seguir a tradição dos homens”.  O ser humano é chamado a viver plenamente o amor de Deus, Deus se aproxima do ser humano e o quer perto Dele, a lei nesse ponto se torna o meio de nos aproximarmos de Deus, na medida em que se valoriza a exterioridade da Lei e não sua prática, que como diz São Tiago, é assistir os órfãos e viúvas, nos afastamos de Deus e vivemos de tradição humana que é praticada somente para aparecer numa vivência hipócrita. Por isso, peçamos sempre a graça de morar na Casa do Senhor, estar sempre próximo a Ele.

2º Esquema
“O que torna o homem impuro é o sai do seu interior”... O amor é o resumo da Lei, por isso na oração desta missa clamamos que Deus derrame em nós o Seu amor, é esse amor que purifica o nosso coração para que tendo decisões santas possamos ter ações santas, uma prática da lei perfeita e isso nos aproxima de Deus, a começar da celebração Eucarística, pois somente pode-se aproximar do Mistério da Cruz aquele pratica a justiça fielmente, esse morará na Casa do Senhor.

3º Esquema

“Pois é de dentro do coração humano que saem...” Deus quer filhos e filhas livres, por isso a graça modela o nosso coração, para que a partir da proximidade de Deus de cada um de nós, do seu amor derramado em nossos corações possam surgir práticas de justiça que louvam e bendizem a Deus, como assistir o mais fraco, se nos entregamos a um orgulho que acha que pode praticar o bem por si mesmos sempre cairemos no pecado e todas ações más podem sair de nós. Que esta Eucaristia transforme nosso coração para que pratiquemos a justiça e pensamentos a verdade e nossas ações assim louvem a Deus.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

21º Domingo do Tempo Comum B


21º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Tu tens palavras de vida eterna
- Oração – fixar os corações nas verdadeiras alegrias
- Js 24,2-3.15-18; Sl 33; Ef 5,21-32; Jo 6,60-69

1º Esquema
Tu tens palavras de vida eterna... Terminando o discurso sobre o Pão da Vida, a opção de muitos é ir embora, diante do questionar da fé feito por Jesus, Pedro proclama que Jesus tem palavras de vida eterna. Hoje diante da mercantilização da fé, da fluidez dos testemunhos e materialização nos relacionamentos com Deus, esquecemos que o que importa é a vida eterna, pedir a Deus que tenhamos a fibra de Josué de optar por servir somente a Deus e saber que temos liberdade para não fazê-lo, nessa perspectiva queremos ter as relações familiares, que bebam da Entrega Eterna de Cristo e que o louvor de Deus esteja em nossa boca e em nossa vida.


2º esquema
“Vós também vos quereis ir embora?””...Diante da falta de fé de alguns discípulos Jesus coloca a todos a oportunidade de ir embora, Deus quer seus filhos livres a opção por Ele deve brotar de um coração que ama, por isso Josué também coloca ao povo, após ter passado pelo deserto, escolhei hoje a quem quereis servir, hoje também temos que optar diante de tantas ofertas feitas, de tanto sofrimento e dor, somos livres por optar por Deus, ter a Ele como o Único necessário, que nos dá não somente algo para vivermos agora, também, mas que nos dá palavras de vida eterna, queremos tendo em nós a Entrega de Cristo verdadeiramente amar e provar quanto é suave é o Senhor e para sempre nos entregarmos ao Senhor em sua Aliança.

3º esquema
As palavras que vos falei são espírito e vida... A vida eterna é uma aspiração humana, queremos vida e mais vida, a Eucaristia é a fonte dessa vida eterna, e somos livres para nos aproximar do serviço do altar e ter a vida em nós. Como Josué saber que a vida da família e o amor familiar somente pode existir na medida em que servimos a Deus, é o que São Paulo coloca na segunda leitura, somente pode haver amor verdadeiro entre homem e mulher na medida em que o Amor de Cristo santifica o amor familiar, por isso que Deus nos faça provar sempre de sua suavidade para que nosso amor seja verdadeiro.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Assunção de Nossa Senhora


Assunção de Nossa Senhora

1. Informações básicas
- Maria assunta em corpo e alma ao céu
- Oração – Pela assunção ater-nos às coisas do alto.
-  Ap 11,19; 12, 3-6.10; Sl 44; 1 Cor 15, 20-27; Lc 1, 39-50.

1º Esquema
A minha engrandece... Maria imaculada não poderia conhecer a corrupção da morte por causa do pecado, Ela pode verdadeiramente engrandecer o Deus de justiça e misericórdia que quer levar seu povo à plenitude da comunhão eterna, representado pela mulher revestida de Sol. Se Jesus é a primícia da ressurreição sua mãe o segue, e nós também contemplando a rainha ao lado do rei eterno, devemos nos ater às coisas do céu aqui para um estarmos eternamente com eles.

2º esquema
A mãe do meu Senhor, aquela que tem um relacionamento íntimo com o Senhor no corpo e no coração, não poderia ter pecado e portanto nos precede na plenitude do seremos, isto é, em corpo e alma no céu, mas não individualmente somente, mas como povo, como as 12 estrelas em sua cabeça, estaremos em Deus, por isso a Assunção aponta para a plenitude da nossa vida e ao olhar para nossa Mãe que essa esperança seja derramada em nossos corações.

3º esquema
Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes, a humilde serva do Senhor é elevada ao céu, somente aquele que verdadeiramente confia em Deus a partir de uma humildade a toda prova, pode ser elevado ao céu, ninguém se eleva ao céu, por isso Maria é assunta, é assumida, tomada, somente aquela que sabe-se iluminada por Deus pode chegar então até ele, nós também sigamos os passos de Maria em direção à nossa ressurreição somente, na humildade, assumindo o que somos podemos chegar a essa ressurreição, que aquela que está ao lado do rei nos ensine o caminho.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

19º Domingo do Tempo Comum B


19º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- O Pão da vida
- Oração – Considera vossa aliança e dai-nos um coração de filhos.
-  1 Rs 19,4-8; Sl 33; Ef 4,30-5,2; Jo 6,41-51.

1º Esquema
E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo. Jesus é o pão da Vida descido do céu, e é Ele mesmo quem dá o pão para ser comido, o pão da vida deve ser crido, mas também deve nos alimentar, pão que nos dá a vida eterna em meio ao deserto da vida, da mesma forma que Elias passando por uma experiência de morte necessitou do pão para chegar ao encontro de Deus no Horeb também nós precisamos do pão Eucarístico para chegar até o céu, pão que é a carne dada para a vida do mundo, entrega feita na cruz e que permanece até a eternidade, por isso, nesta celebração não só saibamos mas provemos quão suave é o Senhor.

2º esquema
Eis aqui o pão que desce do céu: quem dele comer nunca morrerá. A vida nos é comunicada não somente pela via do conhecer a Palavra, mas de comê-la, a Palavra se faz carne e se torna alimento para cada ser humano para que tenha a vida eterna, nas nossas experiências de morte, como de Elias precisamos do pão que nos dá a vida, dado por aquele que experimentou plenamente a morte e se entregou por nós, comamos o pão da Entrega de Jesus, para contemplarmos para sempre a face de Deus.

3º esquema
Eu sou o pão da Vida. Jesus é o nosso alimento pela fé nos aproximamos dele, ele mata toda a nossa sede de vida através do banquete eucarístico, e dessa experiência de vida que nos alimenta no deserto da morte, como Elias, deve já trazer aqui uma experiência de céu, por isso o homem eucaristizado deve banir de sua vida toda palavra e atitude de morte como nos diz São Paulo, e associado à Entrega suprema de Jesus na Eucaristia, seu sacrifício presente, já contempla aqui a face de Deus e experimentar sua suavidade.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

18º Domingo do Tempo Comum B


18º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Deus alimenta seu povo
- Oração – Inesgotável bondade de Deus na criação.
- Is 55, 1-3; Sl 144; Rm 8, 35.37-39; Mt 14, 13-21

Maná – (heb. man) o pão do céu ou a pergunta “o Que é?”

1º Esquema
“Eu sou o pão da vida” Jesus se apresenta como o verdadeiro maná, como aquele que vem para saciar toda e qualquer fome humana, toda a necessidade humana, necessidade que faz como na primeira leitura o ser humano reclamar contra Deus, e a reposta de Deus é o maná, o pão do céu, a mesma incredulidade Jesus encontra naqueles que procuram não o sinal de Deus, mas a simples satisfação da necessidade, por isso o nosso pensamento deve ser de homens novos que sabem ver os sinais de Deus em meio às limitações da vida.

2º esquema
“Senhor, dá-nos sempre desse pão”. A nossa limitação humana faz-nos gritar para Deus para satisfazer as nossas necessidades, podemos gritar murmurando, reclamando porque Deus não nos satisfaz, ou clamar a Deus por uma satisfação que vá ao centro de nossas necessidades, que o sinal de Deus pode indicar, que é a presença salvadora de Deus em nosso meio e hoje a Eucaristia, o nosso pensamento portanto, não deve ser de homens velhos que somente querem a satisfação das necessidades e a instrumentalização de Deus, mas de homens novos que lêem os sinais de Deus e buscam em meio às criaturas o próprio Deus, por isso peçamos que Deus nos dê o pão do céu.

3º esquema
“Estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes e ficastes satisfeitos”. Hoje vivemos numa época em que a frase “Pare de sofrer!” torna-se a regra, Jesus vai na contra mão disso, e exorta que devemos procurar o pão do céu sim, mas não somente para satisfação de pessoas que reclamam que viviam na escravidão mas tinham o que comer, mas que possam ver os sinais de Deus, a bondade de Deus em vir ao encontro da suas criaturas, somente o pão do céu, o próprio Jesus pode plenificar o ser humano e torna-lo novo de dentro para fora, por isso que a Eucaristia, a Palavra que se faz carne, torne-nos homens novos e plenos.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

17º Domingo do Tempo Comum B


17º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- Deus alimenta seu povo
- Oração – Ó Deus sois o amparo dos que em vós esperam.
- Leituras: 2Rs4,42-44; Sl 144; Ef 4,1-6; Jo 6,1-15

1º Esquema
Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os... A multiplicação dos pães apresentada no Evangelho de João inicia o discurso da Eucaristia, Deus vem, como na primeira leitura, através de seu profeta saciar a fome de seu povo, vem ao encontro das necessidades mais profundas do ser humano, vem saciar todas as fomes, para assim formar um só povo como nos diz São Paulo, um só Deus que age em todos, por isso, louvemos o Senhor que é santo em toda obra que Ele faz.

2º esquema
Encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães... o cinco é sinal de Liberdade na Bíblia, somente uma pessoa que tem o próprio sustento, e em todas as áreas da vida pode ser livre, e ninguém é livre para viver no egoísmo, mas é livre para formar um povo, “comerão e ainda sobrará”, conforme a primeira leitura,  por isso são doze os cestos que sobram, a intervenção salvadora de Deus vem formar um povo, um só corpo e um só Espírito, por isso, pode-se rezar com o Salmo, que Deus vem para saciar seus filhos.

3º esquema
“Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” ... Jesus poderia ter feito o milagre sem pães fornecidos por ninguém, mas Deus parte sempre da nossa própria pobreza, a partir do que oferecemos Deus multiplica, porque quer a nossa participação, mesmo duvidosa como no Evangelho ou na primeira leitura na dúvida como distribuir a todos a partir de tão pouco, e é partir do nosso pouco que vamos construindo o Corpo de Cristo que é a Igreja, nada acontece por mágica, por isso de Deus esperamos e clamamos a salvação (salmo e Oração do Dia).

segunda-feira, 2 de julho de 2012

16º Domingo do Tempo Comum B


16º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
- O Pastor tem compaixão de suas ovelhas
- Oração – Repletos de fé, esperança e caridade.
-  Leitura Jr 23,1-6; Sl 22; Ef 2, 13-18; Mc 6,30-34.

Jesus teve compaixão - splagchnizomai  - O amor como Entrega consiste em primeiro lugar em ver, em estar atento à realidade do outro. Depois se mover de compaixão, todo o nosso ser estar voltado para auxiliar o outro em sua real necessidade, doar a nossa vida, tempo e qualidades para satisfazer as verdadeiras necessidades do próximo, para que o necessitado tenha vida e possa tornar-se assim um ser humano livre.

1º Esquema
Jesus teve compaixão... A compaixão como dito acima, é a identificação plena com o sofrimento do outro de tal modo que as entranhas tremem, Jesus ao ver a necessidade das ovelhas, sente compaixão e ensina-lhes muitas coisas, vai ao encontro das necessidades mais profundas do ser humano, cumprindo a profecia de Jeremias que promete novos pastores e que um descendente de Davi reinaria sobre as ovelhas abandonadas, Jesus pela sua cruz e ressurreição concretiza essa profecia, no dizer de São Paulo em sua carne destrói toda divisão e torna os seres humanos um só povo, o Senhor se torna nosso verdadeiro pastor.

2º esquema
Porque eram como ovelhas sem pastor... A ovelha é um animal limitado, dependente e frágil, por isso ao compadecer-se do povo porque eram ovelhas sem pastor, Jesus vai ao encontro da fragilidade de ovelhas que não tem quem as guia e as alimente, as reúne e realiza a salvação messiânica prometida por Jeremias, Jesus é a nossa paz, aniquila em sua entrega na Cruz toda divisão e torna as ovelhas um só rebanho, Ele é o pastor que nos conduz e não nos falta coisa alguma.

3º esquema
Correram a pé e chegaram lá antes dele... Em nossa mente deve estar o olhar de Jesus e seu compadecimento pelas pessoas que procuram salvação, salvação que é plenitude de vida que as ovelhas querem, estão abandonas, exploradas por pastores e dispersas expostas a perigos e lobos, Jesus pela sua compaixão as salva, pelo gesto e pela palavra, como um verdadeiro pastor descendente de Davi, reúne as ovelhas em só rebanho, não há mais divisão, a paz é realizada e a unidade em Deus, que é a mesma coisa, o Senhor é o pastor e prepara uma mesa para a convívio eterno de suas ovelhas.   

segunda-feira, 25 de junho de 2012

15º Domingo do Tempo Comum B


15º Domingo do Tempo Comum B

1. Informações básicas
-  O Envio missionário
- Oração – a luz da verdade para ser cristão.
- 1ª Leitura Am 7, 12-15; Sl 84; Ef 1, 3-14; Mc 6, 7-13

1º Esquema
Jesus chamou os doze e começou a enviá-los... Ninguém tem autoridade para pregar a Palavra de Deus por si mesmo, somos chamados e enviados por Jesus, e nessa autoridade a Igreja prega a Palavra e realiza a ação salvadora do Senhor, esse processo não é tranqüilo há perseguições como no caso do profeta Amós que não é aceito no Santuário de Betel, nós porém temos a certeza de que o Senhor sempre nos acompanha e que com a missão cooperamos para que tudo seja recapitulado em Cristo e que no final e verdade e o amor se abraçarão.

2º esquema
Recomendou-lhes que não levassem nada... O Senhor é o protagonista da missão, somos missionários pelo Batismo nele, como Amós nos consideramos indignos e certos de que é o Senhor quem nos constitui, por isso a crença na Providência de Deus é essencial para aquele que prega a Palavra de Deus, crença de que é o Senhor quem age nos corações pois ele predestinou a sermos seus filhos adotivos, todos são vocacionados a essa filiação e o pregador vai anuncia exatamente esse chamado, somos missionários na graça de Deus e anunciaremos, em palavras e obras, que a Bondade do Senhor está presente.

3º esquema
Então os doze partiram e pregaram... Jesus é enviado ao mundo para salvar a todos e nele como diz São Paulo, tudo será recapitulado, somos também em Igreja enviados a pregar e realizar os sinais de Salvação, na ciência de que anunciamos para aqueles que querem assumir-se filhos de Deus, por isso aqueles que não querem são entregues à própria liberdade, pois ninguém pode ser obrigado a aderir e nem a ser missionário, como diz Amós, ele é pastor e foi convocado pelo Senhor a autoridade vem do próprio Senhor para anunciar a Salvação, a verdade e o amor. 

14 º Domingo do Tempo Comum B


14 º Domingo do Tempo Comum B

1.                  Informações básicas
- O profeta não é estimado em sua pátria
- Oração –  Dai aos que libertastes as alegrias eternas
- Leituras: Ez 2, 2-5; Sl 122; 2 Cor 12, 7-10; Mc 6, 1-6..


2. Esquemas

1º Esquema
 O profeta não é estimado em sua pátria... Os seres humanos não conseguem ver os sinais de Deus em sua própria vida, como diz o profeta Ezequiel há um coração duro no povo que impede de ouvir a Deus e ver seus sinais, e assim sendo não se submetem, da mesma maneira os conterrâneos de Jesus se prendem a humanidade de Jesus, aquilo que eles conheciam e não assumindo a própria fraqueza não conseguem ver a ação de Deus, portanto não tem fé, ter os olhos fitos no Senhor.

2º Esquema
E admirou-se com a falta de fé deles... Fé é entrega nas mãos de Deus, para isso ser feito temos que contemplar a Deus em nossa própria vida, na medida que nos apegamos às aparências não conseguimos ter fé por não “ver” a ação de Deus, por isso é necessário muitas vezes espinhos na carne, esbofeteamento de satanás para aceitando a própria fraqueza, aquebrantando corações possamos aí sim, a partir da nossa fraqueza deixar Deus agir em nós, experimentar a piedade do Senhor.

3º Esquema
“De onde recebeu tudo isso?” Como humanos que somos na nossa vida, percorrendo os anos, temos que transpor muralhas, isto é, ultrapassar as aparências humanas e ver a ação bondosa de Deus nos sinais de amor, das curas e milagres, porém nosso orgulho, a nossa autossuficiência provocam uma dureza de coração e uma cabeça dura que não se dobra perante Deus, por isso como São Paulo, devemos nos comprazer na fraqueza para que a graça de Deus habite em nós e assim podermos ter os olhos fitos no Senhor até que Ele tenha de nós piedade.