segunda-feira, 7 de novembro de 2011

33º Domingo do Tempo comum A


33º Domingo do Tempo comum A

1.                   Informações básicas
- Os talentos
- Oração – Alegria em servir a Deus de todo coração.
- Leituras: Pr 31,10-13.19-20.30-31; Sl 127; 1 Ts 5, 1-6; Mt 25, 14-30.

2. Esquemas

1º Esquema
O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo... O Talento, como moeda e valor, é entregue ao servo que prontamente o aplica e fá-lo render, da mesma maneira o que recebeu dois, sai prontamente o faz render, são chamados de servos bons e fieis porque o aplicam prontamente, o talento é dado por Deus, e Deus não vê o valor mais a prontidão em aplicar o que Ele nos deu. Prontidão descrita pelo Livro dos Provérbios da mulher forte, a nossa prestação de contas será inesperada, como na segunda leitura, por isso devemos estar sempre prontos a servir e apresentar as nossas contas a Deus.

2º Esquema
Como fostes fiel em tão pouco... A nossa fidelidade está em colocar os talentos recebidos de Deus em prática, e a recompensa eterna será na medida em que os nossos trabalhos brotem desses mesmos talentos. Pois, Deus quer que o sirvamos de todo o coração, mas com alegria, a exemplo da mulher forte, por amar sua família se entrega de bom grado ao serviço, e torna essa família feliz, essa é a verdadeira vigilância e sobriedade no esperar o Senhor.

3º Esquema
Servo mau e preguiçoso... O servo que recebeu um talento e o enterrou, isto é, o apontou para o Xeol, para a morte, por ter uma visão servil de Deus, uma visão de Faraó que colhe onde não plantou, que aumenta a quantidade de tijolos e não fornece a palha, esse servo não consegue servir com alegria, mas vive na escravidão do próprio medo, fixa-se na aparência e no encanto da vida e não na alegria do servir como a mulher do Livro dos Provérbios. Por isso, peçamos a Deus que cada vez mais tenhamos a visão de seu amor para servir como família em torno da mesa do Pai. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário