segunda-feira, 12 de setembro de 2011

25º Domingo do Tempo comum A


25º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Deus é justo e bom
- Oração – A lei é o amor.
- Leituras: Is 55, 6-9; Sl 144; Fl 1, 20-24.27; Mt 20, 1-16.


2. Esquemas

1º Esquema
“Vieram os que tinham sido contratados às cinco da tarde...” A reclamação dos que começaram a trabalhar na primeira hora, é a mesquinhez humana que não entende a bondade justa, ou justiça bondosa de Deus, pode ser os descendentes de Abraão ao verem que os discípulos de Jesus são beneficiados, ou os convertidos de primeira hora olhando os que se convertem na última hora de vida, o pensamento de Deus está muito acima de nossa mesquinhez, o desejo é a salvação de todos, como São Paulo que experimentou essa justiça bondosa em sua vida, pode agora ansiar pelo Reino Definitivo, mas se conforma com aquilo que é vontade de Deus, pois é justo o Senhor em seus caminhos.

2º Esquema
Os últimos serão os primeiros, o desejo de Deus seria que os trabalhadores da primeira hora tivessem o mesmo pensamento que Ele tem, que se regozijassem que os trabalhadores da undécima hora recebessem a mesma coisa que eles, o desejo de Deus é que o glorificassem e O louvassem pela sua gratuidade, mas o ser humano é limitado ao entender os caminhos de Deus, São Paulo conseguiu uma medida justa nesse entendimento ao colocar sua vida a serviço de Deus seja qual for sua vontade que ele fique ou morra, que entendamos que o Senhor é muito bom não para os que trabalharam o dia todo, mas com todos.

3º Esquema

Estás com inveja porque estou sendo bom?” A nossa miserabilidade de seres humanos nos fazem não entender a bondade de Deus, e queremos como diz o povo ser mais realistas que o rei, a nossa visão de justiça é fazer o outro sofre, tripudiando sobre o sofrimento alheio, é uma justiça fria e calculista e não uma justiça que procura fazer o bem ao outro, por isso devemos aprender de Deus a ser justos para salvar o próximo, uma justiça que se alegra com aqueles que mesmo na última hora decidiram por Deus, uma justiça que se alegra com o pecador que se converte, que tenhamos o amor de Paulo que mesmo totalmente em paz com Deus, aceita em ficar para fazer o bem, é uma justiça que brota da bondade, por o Senhor é bom e justo.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário