sábado, 3 de setembro de 2011

24º Domingo do Tempo Comum A


24º Domingo do Tempo Comum A

1. Informações básicas
- Fomos perdoados por isso perdoamos
- Oração – sentir em nós o amor de Deus para servir.
- Eclo 27, 33-28,9; Sl 102; Rm 14, 7-9; Mt 18, 21-35.

1º Esquema
Quantas vezes devo perdoar, a pergunta de Pedro quer delimitar o perdão, quer delimitar a compaixão. Jesus joga para a compaixão total, nessa compaixão não existe espaço para mesquinhez, uma vez que fomos totalmente perdoados por Deus e devemos assim perdoar. Mas o que é perdoar? Esquecer? É entregar o que nos ofende à Justiça do Deus que é compaixão, por isso, pensemos na Aliança, pensemos no julgamento, pensemos naquele que morreu por nós, o julgamento último é a partir do trono da Cruz. Que Deus que é compaixão nos ensine a perdoar.

2º esquema
Não devias também tu ter compaixão do seu companheiro. Experimentar o perdão de Deus é experimentar que Deus como misericórdia nos perdoou, o devedor do evangelho experimenta isso como exercício de um poder que subordina, e isso o faz querer subordinar o próximo que devia a ele, o raciocínio de Deus é a compaixão e não o poder, da mesma forma deveria ser o nosso raciocínio, pois se não temos compaixão de nosso semelhante não acolhemos a compaixão de Deus. Que a nossa limitação, nossa fragilidade humana, nos ensine a acolher o amor de Deus na morte e ressurreição de Cristo, isso nos dá a graça de perdoar, como Deus que é bondoso o faz.

3º esquema
Devia uma enorme fortuna... O ser humano é criatura, essa é a experiência fundamental, quando aceitamos essa limitação e fragilidade, e do nosso próximo passamos a ter uma verdadeira empatia, se colocar no lugar do outro e entender porque os pecados acontecem, aí conseguimos perdoar, porque experimentamos isso no perdão nos dado em Jesus Cristo. Por isso é necessário experimentar em primeiro lugar a enormidade do perdão de Deus, e em seguida pedir a graça de perdoar, que nos vem da Cruz e o que não entendemos entregar ao Deus de todo perdão e misericórdia, Ele é o verdadeiro justo, confiemos em seus juízo e misericórdia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário