segunda-feira, 29 de agosto de 2011

23º Domingo do Tempo Comum A


23º Domingo do Tempo Comum A

1. Informações básicas
- Correção fraterna
- Oração – A verdadeira liberdade.
-  Ez 33, 7-9; Sl 94; rm 13, 8-10; Mt 18, 15-20.

1º Esquema
Se o teu irmão pecar contra ti... A vivência em comunidade, em Igreja, comporta relacionamento que às vezes comportam ofensas é essencial aprender a corrigir o irmão, e essa correção tem como objetivo levá-lo novamente a comunhão fraterna, isso é uma obrigação profética, da qual todos prestaremos conta, o ouvir ou não por parte do irmão não compete a nós, mas a liberdade do irmão, isso é um amor não somente afetivo, mas também efetivo. Porque em tudo isso fazemos o irmão ouvir a Deus.

2º esquema
O que ligares na terra... A Igreja é comunidade, e nela devemos viver não somente um perdão ocasional, mas uma disposição permanente de perdão, por isso o irmão que peca contra um irmão peca contra toda a comunidade, e é nessa instância comunitária, nessa dimensão que o perdão deve ser acolhido, a pedagogia de levar a pessoa a ver que o seu pecado afeta toda a comunidade. Aquele que peca deve ter consciência desse mal e corrigir-se, pois o pecado é algo objetivo e afeta o amor como cumprimento perfeito da lei.

3º esquema
Dois ou mais reunidos, Deus está presente de forma especial na comunidade, é no relacionamento que experimentamos sua presença amiga e certa, o pecado agride essa comunhão e ele deve ser extirpado, por isso evidenciar essa dimensão social do pecado, como o faz o profeta é essencial para manter o corpo coeso. Senão o amor que pregamos será apenas de palavra, pois como diz São Paulo o amor não faz mal nenhum a ninguém. Que Deus nos faça abrir o coração para ouvir sua voz.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

22º Domingo do Tempo comum A


22º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Carregar a Cruz
- Oração – Que Deus derrame seu amor.
- Leituras: Jr 20, 7-9; Sl 62; Rm 12, 1-2; Mt 16, 21-27.


Observação exegética – “Vai para longe, Satanás” (Upage opiso mou, Sataná), a tradução literal do original seria uma ordem para Pedro ir para trás de Jesus, pois Pedro, conforme o aramaico satanás (opositor) estaria impedindo Jesus (escandalon) de seguir o caminho da obediência ao Pai, o caminho da Cruz. Portanto, Pedro deveria aprender a ser discípulo seguindo o Mestre no carregar a cruz.

2. Esquemas

1º Esquema
“Se alguém quer me seguir renuncie a si mesmo”. O seguimento de Jesus é o caminho da cruz, o sofrimento de cada dia unido a Deus, nesse caminho é necessário renegar a si mesmo e assumir a graça que Deus nos dá de seguir carregando a Cruz, como Pedro e como Jeremias, o clamor humano da dor brota de nosso coração, por isso somos convocados a também aprender sair da auto-complacência e recomeçar o aprendizado do carregar a cruz, oferecendo-se a si mesmo como sacrifício vivo a Deus, nossa vida proclamando; “Sois Vós o meu Deus”.

2º Esquema
“Tome a sua cruz e siga-me”. O sofrimento faz parte da vida humana, não adianta entrar em esquemas de esquecer ou fugir do sofrimento para salvar a própria vida, é preciso tomar a cruz e carregá-la com dignidade. Somos humanos e como Pedro queremos fugir ou como Jeremias clamamos que Deus nos enganou e nos enviou para uma vida de sofrimento, a graça supera tudo isso, graça que nos torna, a partir de nosso sofrimento, um sacrifício agradável a Deus, e nos faz louvar a Deus e saber que só Ele nos sacia plenamente.

3º Esquema

“Quem quiser salvar sua vida vai perdê-la”. Parece um paradoxo mas é isso, ninguém poderá salvar-se, só Deus pela Cruz de seu Divino Filho, e graça que dela advém, nos salva. Para isso, temos que renunciar a nós mesmos, aos pensamentos egoístas, não nos conformar aos esquemas do pensamento mundano, e aceitar o sofrimento que advirá da condição humana, de amar plenamente a Deus e ao próximo, é uma missão profética que nos é dada e que, como o fez a Jeremias, nos faz arder até as entranhas e nos faz sofrer. Por isso, o que Deus quer não é um perfeccionismo vazio, mas nossa vontade empenhada na luta, mesmo que essa luta desemboque no fracasso da cruz, mas desse fracasso surgirá a ressurreição, quando finalmente nossa alma será saciada. 

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

20º Domingo do Tempo Comum A


20º Domingo do Tempo Comum A

1. Informações básicas
- A Salvação para todos
- Oração – A graça de amar a Deus sobre tudo.
-  Is 56, 1. 6-7; Sl 66; Rm 11, 13-15.29-32; Mt 15, 21-28.

Observação importante: Uma compreensão exegética, o Evangelho tem um substrato hebraico, a mulher Cananéia é incluída no grupo dos “cachorrinhos”, tendo em vista que cachorro em hebraico é “Caleb”, lembremos que Caleb é o companheiro de Josué na tomada da Terra Prometida (Nm 13, 1 -14, 35), portanto, poderia-se ver essa relação no Evangelho, a mulher é incluída no povo eleito por Jesus (o mesmo nome que Josué).

1º Esquema
Mas os cachorrinhos também comem as migalhas... Com dito acima a humildade daquela mulher demonstra a sua fé, ao assumir-se como cachorrinha e estrangeira,  e consegue o acesso às ovelhas de Israel, a profecia de Isaías se cumpre não haverá mais pessoas excluídas e seu sacrifício será aceito, como também São Paulo os pagãos serão incluídos na Aliança provocará a união com Israel.

2º esquema
Senhor Filho de Davi tende piedade de mim... A mulher reconhece em Jesus o messias, reconhece a Aliança de Israel, e consegue que Jesus reconhece fé verdadeira nela, como o profeta o cumprimento da Justiça habilita para o estrangeiro entrar no povo da Aliança, São Paulo proclama a promessa de Deus irrevogável e os pagãos agora fazem parte dela.

3º esquema
Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, ... Será que Jesus quis rejeitar a Cananéia? Cremos que não, quer dela exatamente o que ela ofereceu, isto é, a fé na Aliança de Israel cumprida no descendente de Davi, nela as nações glorificam a Deus por um sacrifício de Justiça, e essa vivência no dizer de São Paulo, deve ser tão perfeita a ponto de causar ciúme às ovelhas de Israel, para que haja um só povo.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Assunção de Nossa Senhora


Assunção de Nossa Senhora

1. Informações básicas
- Maria assunta em corpo e alma ao céu
- Oração – Pela assunção ater-nos às coisas do alto.
-  Ap 11,19; 12, 3-6.10; Sl 44; 1 Cor 15, 20-27; Lc 1, 39-50.

1º Esquema
A minha engrandece... Maria imaculada não poderia conhecer a corrupção da morte por causa do pecado, Ela pode verdadeiramente engrandecer o Deus de justiça e misericórdia que quer levar seu povo à plenitude da comunhão eterna, representado pela mulher revestida de Sol. Se Jesus é a primícia da ressurreição sua mãe o segue, e nós também contemplando a rainha ao lado do rei eterno, devemos nos ater às coisas do céu aqui para um estarmos eternamente com eles.

2º esquema
A mãe do meu Senhor, aquela que tem um relacionamento íntimo com o Senhor no corpo e no coração, não poderia ter pecado e portanto nos precede na plenitude do seremos, isto é, em corpo e alma no céu, mas não individualmente somente, mas como povo, como as 12 estrelas em sua cabeça, estaremos em Deus, por isso a Assunção aponta para a plenitude da nossa vida e ao olhar para nossa Mãe que essa esperança seja derramada em nossos corações.

3º esquema
Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes, a humilde serva do Senhor é elevada ao céu, somente aquele que verdadeiramente confia em Deus a partir de uma humildade a toda prova, pode ser elevado ao céu, ninguém se eleva ao céu, por isso Maria é assunta, é assumida, tomada, somente aquela que sabe-se iluminada por Deus pode chegar então até ele, nós também sigamos os passos de Maria em direção à nossa ressurreição somente, na humildade, assumindo o que somos podemos chegar a essa ressurreição, que aquela que está ao lado do rei nos ensine o caminho.