quarta-feira, 4 de maio de 2011

3º Domingo da Páscoa A


3º Domingo do Tempo Pascal A

1.                  Informações básicas
- o Ressuscitado estará sempre conosco: Eucaristia
- Oração – renovação espiritual e condição de filhos.
- At 2, 14.22-33; Sl 15; 1 Pd 1, 17-21; Lc 24, 13-35

2. Esquemas

1º Esquema
“Será que o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar em sua glória?” Como São Pedro, queremos contemplar nas Sagradas Escrituras, em Moisés e nos profetas, os sinais de Cristo Crucificado e ressuscitado, nossa leitura também de nossa vida deve ver os sinais do ressuscitados em meio ao sofrimento da cruz que carregamos, Ele continua atuando e nós devemos ler que em meio ás mazelas da vida Jesus está atuando. Esse sofrimento nosso unido ao do Ressuscitado, tira nossa vida da inutilidade e aí sim, experimentaremos, que não fomos entregues a morte.

2º Esquema
“Não estava ardendo nosso coração...”, quanto mais nos encontramos com o Crucificado e Ressuscitado na Palavra de Deus e na fração do pão, quanto mais nos identificamos com Ele, mais a nossa vida terá sentido, e teremos força e coragem para anunciar que Ele ressuscitou, como Pedro no dia de Pentecostes, proclamaremos que Jesus é Senhor e Cristo, Por Ele alcançamos a verdadeira fé, e não só teremos a certeza de que Ele ressuscitou, mas nos experimentaremos que nós já a esperança plena da nossa ressurreição, a certeza de que “não haveis de me deixar entregue à morte”

3º Esquema
“Realmente o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão”. A profissão de fé da Igreja Primeira deve ser também a nossa, por isso, deixemo-nos guiar pelo Cristo morto e ressuscitado, para perscrutar as Escrituras, para que o nosso coração arda, participemos da mesa na qual Ele está presente na fração do pão, e isso nos fortalecerá em nossa vida para que baseados no testemunho apostólico, nós também testemunhemos que Deus ressuscitou Jesus, e assim, a nossa fé e esperança estejam em Deus e não em coisas fúteis, e já aqui, como cidadãos do céus, possamos saber “junto de vós felicidade sem limites”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário