segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

9º Domingo do Tempo Comum A


9º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Palavra colocada em prática
- Oração –  Que Deus nos dê o que for útil.
- Leituras: Dt 11, 18.26-28.32; Sl 30, Rm 3, 21-25.28; Ev 7, 21-27


2. Esquemas

1º Esquema
Nem todo o que me diz Senhor, Senhor... A obra de Deus acontece por decisão exclusiva de Deus e ação Dele, a nós compete nos unir ao Senhor, união não demonstrável somente por palavras, mas por decisões de um coração imerso na Graça de Deus, é isso o que o Evangelho quer dizer com “Jamais vos conheci” (egnon), conhecer é união plena, e não somente externa com o Deus que realiza sua obra, essa união com Deus tem que produzir frutos de Justiça e de adoração a Deus, que são obras da graça, e não provenientes do orgulho humano, obras que brotam da justiça de Deus que nos advem por Cristo Jesus, aí sim, nossa vida demonstrará que rezamos ao Deus ao Senhor no qual colocamos TODA a confiança.

2º Esquema
Afastai-vos de mim todos vós que praticais o mal... A finalidade da vida cristã, do ouvir a Palavra e da recepção dos sacramentos é realizar obras de justiça, justiça que atingimos mediante a fé em e de Jesus Cristo, justificação que nos é dada pela Palavra e pelo Sangue de Cristo, mas que penetram em nosso coração, transformando nossa decisão humana, como nos diz Moisés “incuti essas palavras em vossos corações”, a Graça não aniquila o cumprimento da lei, muito pelo contrário, a graça em nossos corações nos impele a praticá-la, nos leva a demonstrar em nossa vida que o Senhor é nossa rocha, é a base de nossa vida.

3º Esquema
quem ouve estas minhas palavras e as pões em prática é como um homem prudente (fronimo) ... O homem prudente é aquele experimentado na tomada de decisões sobre Deus, que é nossa rocha e nossa proteção, aprendeu a ouvir em meios às tempestades e ventos da vida, e permaneceu, porque mesmo com toda a adversidade soube manter-se em Deus pelas obras da Graça, soube escolher o bem e evitar o mal, soube acolher em seu coração a entrega de Jesus na Cruz e deixar-se transformar por essa entrega e assim praticar obras de justiça, assim demonstra pela vida que conhece a Deus, contempla sua face e sua oração não é vã.

4º esquema

Quem ouve as palavras e não as pões em prática... a semelhança da parábola do semeador, as intempéries da vida faz o ser humano cair, porque sua religião é vã, é vazia, porque não se deixou transformar em suas decisões, mesmo praticando obras, suas obras não brotaram do conhecimento de Deus, da união com a redenção de Cristo que nos é ofertada na cruz, ficou na exterioridade, não aprendeu a escolher o bem e evitar o mal, o que é nocivo, dessa forma sua vida vai perdendo o sentido, e na primeira adversidade não consegue recorrer ao Senhor ´que é Rocha, proteção, fortaleza, porque o ser humano baseou-se em suas próprias obras, que Deus nos dê a graça de tê-lo como nosso sustento, a cruz como nossa base, assim as obras que daí decorrem são obras de justiça, obras que brotam da nossa entrega, da nossa fé em Deus mediante Jesus Cristo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário