sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

1º Domingo da Quaresma A


1º Domingo da Quaresma A

1.                  Informações básicas
- o Espírito nos leva ao Deserto Quaresmal
- Oração –  Conhecer Jesus Cristo e responder ao seu amor por uma vida santa
- Leituras: Dt 11, 18.26-28.32; Sl 30, Rm 3, 21-25.28; Mt 7, 21-27


2. Esquemas

1º Esquema
o Espírito nos conduz ao deserto, como conduziu a Jesus, para sermos tentados, provados experimentar a limitação do mundo criado como o Povo de Deus no Deserto, a força do Espírito nos dará a graça de recusar o convite da serpente, de que o conhecimento basta para sermos felizes, recusar sempre de termos a Deus como um mentiroso. Que a graça que superabunda sobre todo pecado possa fortalecer o nosso coração e redescobrindo a graça do batismo nesse deserto quaresmal da nossa vida, possa não somente saber e conhecer, mas experimentar a piedade do Senhor.

2º Esquema
“Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. O nosso alimento é a Palavra de Deus, diante da aparência apetitosa dos frutos do conhecimento e do prazer, o ser humano deve buscar aquele alimento que permanece, a essência da vida que é o próprio Deus. Que nessa quaresma nosso coração possa ter a Jesus Cristo como alimento, conhecê-lo plenamente, esse conhecimento existencial é que nos plenifica como seres humano, os filhos de Eva, e receber o dom abundante da graça de Deus, e sentir na Páscoa eterna a alegria da Salvação.  


3º Esquema
“Não tentarás o Senhor teu Deus!”. No deserto quaresmal a nossa fé deve experimentar a todo momento que Deus cuida de cada um de nós, e não precisamos ficar testando o poder de Deus a todo instante. Essa tentação de ter a Deus em nossas mãos, nos faz desconfiar dele e ter a conseqüência desse pecado em nossa vida. Por isso, somos convidados a arrependermo-nos de nossos pecados, com um coração contrito, clamar pela sua misericórdia, para que possamos em Cristo, o novo Adão, ressuscitar de nossos pecados pelo poder amoroso de Deus.


4º esquema
“Adorarás ao Senhor teu Deus e somente a ele prestarás culto”. O ser humano anseia pelo reconhecimento dos outros, anseia ser adorado como Deus, para isso sonha sempre em ter os olhos abertos e ter o conhecimento de toda e qualquer realidade. Mas, o único conhecimento que nos é dado por Deus, no deserto, onde experimentamos nossa fragilidade humana, é  reconhecer que só Deus basta, somente a Ele prestaremos culto, somente Ele é o centro de nossa vida. Em Jesus  Cristo, no qual superabunda a graça, nosso pecado de sermos como Deus cessa. Que a penitência quaresmal, na qual reconhecemos nossa iniqüidade e que nosso pecado está sempre a nossa frente,  nos ensine a buscar o Único Necessário que é Deus através do conhecimento de Jesus Cristo. 

Quarta-feira de Cinzas


Quarta-feira de Cinzas

1.                  Informações básicas
- Jejum, Oração e Esmola autênticos
- Oração –  penitência que nos fortalece contra o mal.
- Leituras: Jl 2, 12-18; Sl 50; 2 Cor 5, 20-6,2; Mt 6, 1-6.16-18


2. Esquemas

1º Esquema
A esmola é o símbolo do meu relacionamento caritativo com o próximo, por isso esse relacionamento tem como objetivo único fazer o bem por amor a Deus, que é o conceito de caridade cristã, realizar esse tipo de ação com qualquer outro tipo de intenção é querer ser pago, é querer recompensa que não é Deus. Por isso, o rasgar o coração e que nessa quaresma reconheçamos que às vezes nossas intenções desviam-se de Deus no nosso amar. Por isso, que Deus crie em nós um coração puro, um coração com intenções corretas nesta quaresma.


2º Esquema
Não rezar para ser visto pelos homens, nosso relacionamento com Deus é no fundo do coração, é no nosso quarto interior, esse relacionamento intimo não deve ser causa de aparecer, de receber o aplauso dos seres humano. A nossa volta para o Senhor, nossa teshuvá, deve ser feita a partir de dentro. Devemos então, ouvir São Paulo que nos diz, deixai-vos reconciliar com Deus, nos reaproximar Dele, fica a critério de nossa liberdade. Nessa quaresma, nossa oração deve sempre nos auxiliar nessa volta e reaproximar de Deus, de tal forma que tenhamos a certeza a alegria de sermos salvos.


3º Esquema
O jejum nos faz experimentar que somos criaturas, somos seres humanos limitados, e nessa limitação, somos chamados a vermos que somos sombra que passa e que a única recompensa é Deus, por isso qualquer esforço não deve ser objeto de reconhecimento humano, mas de encontro com Deus, descobrir em nós a essência do que somos. O jejum verdadeiro é voltar-se para Deus, para que Ele se volte para nós, aí sim a quaresma se torna um tempo favorável, um tempo de reencontro com Deus e com os irmãos e aí preparar o louvor eterno da Páscoa.

4º esquema

Convertei-vos e crede no Evangelho, o experimentar-se como criatura que vai morrer nos deve fazer voltar para Deus, nos deve ter a Deus como o objeto de nosso jejum, oração e esmola, exclamemos: “Piedade, ó Senhor, tende piedade porque pecamos contra vós” e de tal modo que Ele acolha nosso arrependimento e nos perdoe e ao final dessa quaresma experimentemos a reconciliação com Deus para sempre na Páscoa eterna. 

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

9º Domingo do Tempo Comum A


9º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Palavra colocada em prática
- Oração –  Que Deus nos dê o que for útil.
- Leituras: Dt 11, 18.26-28.32; Sl 30, Rm 3, 21-25.28; Ev 7, 21-27


2. Esquemas

1º Esquema
Nem todo o que me diz Senhor, Senhor... A obra de Deus acontece por decisão exclusiva de Deus e ação Dele, a nós compete nos unir ao Senhor, união não demonstrável somente por palavras, mas por decisões de um coração imerso na Graça de Deus, é isso o que o Evangelho quer dizer com “Jamais vos conheci” (egnon), conhecer é união plena, e não somente externa com o Deus que realiza sua obra, essa união com Deus tem que produzir frutos de Justiça e de adoração a Deus, que são obras da graça, e não provenientes do orgulho humano, obras que brotam da justiça de Deus que nos advem por Cristo Jesus, aí sim, nossa vida demonstrará que rezamos ao Deus ao Senhor no qual colocamos TODA a confiança.

2º Esquema
Afastai-vos de mim todos vós que praticais o mal... A finalidade da vida cristã, do ouvir a Palavra e da recepção dos sacramentos é realizar obras de justiça, justiça que atingimos mediante a fé em e de Jesus Cristo, justificação que nos é dada pela Palavra e pelo Sangue de Cristo, mas que penetram em nosso coração, transformando nossa decisão humana, como nos diz Moisés “incuti essas palavras em vossos corações”, a Graça não aniquila o cumprimento da lei, muito pelo contrário, a graça em nossos corações nos impele a praticá-la, nos leva a demonstrar em nossa vida que o Senhor é nossa rocha, é a base de nossa vida.

3º Esquema
quem ouve estas minhas palavras e as pões em prática é como um homem prudente (fronimo) ... O homem prudente é aquele experimentado na tomada de decisões sobre Deus, que é nossa rocha e nossa proteção, aprendeu a ouvir em meios às tempestades e ventos da vida, e permaneceu, porque mesmo com toda a adversidade soube manter-se em Deus pelas obras da Graça, soube escolher o bem e evitar o mal, soube acolher em seu coração a entrega de Jesus na Cruz e deixar-se transformar por essa entrega e assim praticar obras de justiça, assim demonstra pela vida que conhece a Deus, contempla sua face e sua oração não é vã.

4º esquema

Quem ouve as palavras e não as pões em prática... a semelhança da parábola do semeador, as intempéries da vida faz o ser humano cair, porque sua religião é vã, é vazia, porque não se deixou transformar em suas decisões, mesmo praticando obras, suas obras não brotaram do conhecimento de Deus, da união com a redenção de Cristo que nos é ofertada na cruz, ficou na exterioridade, não aprendeu a escolher o bem e evitar o mal, o que é nocivo, dessa forma sua vida vai perdendo o sentido, e na primeira adversidade não consegue recorrer ao Senhor ´que é Rocha, proteção, fortaleza, porque o ser humano baseou-se em suas próprias obras, que Deus nos dê a graça de tê-lo como nosso sustento, a cruz como nossa base, assim as obras que daí decorrem são obras de justiça, obras que brotam da nossa entrega, da nossa fé em Deus mediante Jesus Cristo. 

8º Domingo do Tempo Comum A


8º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- Providência de Deus
- Oração – a paz na vida para servir na alegria.
- Leituras: Is 49, 14-15; Sl 62; 1 Cor 4, 1-5; Ev 6, 24-34.


2. Esquemas

1º Esquema
Ninguém pode servir a dois senhores, o nosso coração tem que estar uno em Deus, por isso toda preocupação (merimnate – mente dividida) deve desaparecer de nosso coração, para isso a confiança na Providência de Deus, Deus cuida de seus filhos e filhas, a certeza de que como uma mãe, jamais Deus vai deixar seus filhos abandonados, e é essa certeza que nos faz ter uma paz para servir, para sermos verdadeiros servidores de Cristo, até que, após um aprendizado de confiança em Deus nesta vida, repousaremos em Deus para sempre.


2º Esquema
Olhai os lírios do campo... A natureza como mestra, nos ensina que Deus mantém sua criação, a nós compete, primeiramente, já nos preparando para a Campanha da Fraternidade deste ano de 2011, entender a voz de Deus que emana na Criação, ver que ele cuida da sua obra, e se cuida assim dos lírios, cuidará de cada um de nós, essa fé, não é uma fé cega, mas uma confiança de um filho que sabe que sua mãe vai ao encontro de suas necessidades, confiança que desembocará no julgamento do Senhor, que dará a cada um o que é merecido, essa certeza de fé nos faz rezar: “Só em Deus a minha alma tem repouso, só ele é meu rochedo e salvação”. Só Ele.

3º Esquema
Olhai as aves do céu... Contemplas as aves que livres voam e vivem sob a misericordiosa Providencia de Deus, nos leva a querer sempre ser livres em Deus, para isso a confiança em sua providência nos deve levar a saber, que quanto mais buscamos o Reino de Deus e sua Justiça, a Providência D’Ele nunca falhará. Providência que fez Abraão confiar que Deus providenciaria um animal para o Sacrifício, Providência que nos faz confiar que Deus jamais nos abandonará. Confiança necessária para aqueles que são administradores dos mistérios de Deus, esse administrador deve ser fiel, deve ter a fidelidade a Deus e em sua Providência, assim, conduzimos uns aos outros ao Deus, que é nossa Rocha e nossa proteção.

4º esquema

Buscai o Reino de Deus e sua justiça e tudo (panta) vos será dado em acréscimo. A confiança em Deus  e em sua Providência que mantém a vida do mundo e a nossa, não é uma confiança cega e inconseqüente, de nós é exigido buscar o Reino e sua justiça, mesmo que não vemos essa justiça ainda atuar em meios aos pecados humanos, o ser humano é chamado a construir essa justiça, e a certeza da fé, é que Deus que nunca abandona seu povo, providênciará tudo o que é necessário para que a Obra do Reino se expanda, nesse processo a nós compete ser servidores fieis, servidores que confiam na justiça de Deus que no Dia da Manifestação triunfará sobre toda a infustiça, e naquele dia Deus que sempre foi nossa Rocha, será nossa Glória e Salvação para sempre. 

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

7º Domingo do Tempo Comum A


7º Domingo do Tempo comum A

1.                  Informações básicas
- ser perfeito e santo é amar.
- Oração – conhecer o que é reto, para realizar a vontade de Deus.
- Leituras: Lv 19, 1-2.17-18; Sl 102; 1 Cor 3,16-23; Mt 5, 38-48.


2. Esquemas

1º Esquema
Amar os inimigos é desejar e fazer o bem a eles, mesmo que eles nos queiram o mal, desejamos pela nossa oração e fazemos pelos nossos atos o bem a eles, o ódio é banido, o amor que nunca é enganado (1 Cor 13) confia em Deus que ama a Deus e faz o bem a todos, essa é a sabedoria de Deus, pois o cristão não vê somente o momento presente, mas cada ato humano, inclusive dos inimigos é colocado sob a ótica da eternidade e da misericórdia de Deus, isto é realizar a vontade de Deus na própria vida. Pois Ele é bondoso e compassivo.

2º Esquema
Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito (teleios), essa completude que Deus é, é o amor. Por isso, a perícope sobre o amor aos inimigos é a perfeição do que Deus é. Muitas vezes a visão de santidade que se tem é um perfeccionismo orgulhoso de alguém que quer se mostrar a Deus e aos outros, pois o Senhor “conhece os pensamentos dos sábios, sabe que são vãos”, ser santos como Deus é, é amar o próximo como a si mesmo, o amor é a plenitude e a santidade de Deus, a qual conseguimos pela graça de Deus, nessa perspectiva seremos e proclamaremos a santidade de Deus, de Deus que é indulgente e favorável.

3º Esquema
Não enfrenteis quem é malvado, deixai que aquele que é malvado possa reconhecer na própria vida o que ele está fazendo. Mas isso não seria um pensamento passivo diante daquele que faz o mal.? Seria se a nossa relação fosse somente com o inimigo e se nossa intenção fosse apenas por conveniência, por isso, quem não resiste ao mal, como Ghandi na sua teoria da não violência, evidencia que no final Deus vencerá. Mas isso, não é base para uma pessoa ser omissa? Não, se ela o faz nessa perspectiva de que Deus é o juiz das consciência, e amar também repreender o próximo, e mostrando que é mal o que o outro faz. Mas isso não nos tira a responsabilidade de cuidar de nosso corpo e do corpo do outro como morada do Espírito, pois como na Segunda Guerra, não foi não violência que muitos fizeram diante do Nazismo mas omissão conveniente. Por isso, que sejamos como nosso Pai, perdoemos, amemos, e que Ele puna em proporção às Culpas e destrói quem macula o santuário de Deus.

4º esquema

Rezai por aqueles que vos perseguem. Assim nos tornamos como o Pai que faz o bem a todos, sejam bons ou maus. O nosso coração não aceita o mal, e se revolta perante ele, por isso o começo para cumprir o preceito de amar os inimigos é rezar por eles, sabendo que Deus como o Senhor das consciências vai, não somente no dia Final, mas também na História, realizar sua justiça. A perfeição de Deus que é amar, começa em nossa intercessão pelos que nos odeiam, ou por aqueles que nos fazem o mal. A santidade perfeita é esta, de tal modo que muitos chamam os cristão de utópicos, porque seria impossível tal atitude, mas confiamos no Deus que nos ordenou amar o próximo, e exemplo de São Paulo, não colocamos ninguém, nem amigo e nem inimigo, acima de Deus, porque no final, tudo é Dele e para ele voltará, e se somos de Cristo, e Cristo é de Deus, um dia voltaremos para Ele, definitivamente, e isso somente pode ser feito com um coração que ama. Por isso, peçamos que sejamos como nosso Pai que é bondoso e compassivo, não só tem bondade, é bondade, e é reto, que o Senhor nos ensine bondade e retidão, para sermos verdadeiramente santos como Ele é.