sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

6º Domingo do Tempo Comum A



6º Domingo do Tempo comum


1.                  Informações básicas
- o Amor como plenitude da Lei.
- Oração – Deus vive nos corações sinceros e retos, que os nossos sejam.
- Leituras: Eclo 15, 16-21; Sl 118; 1 Cor 2, 6-10; Mt 5, 17-37


2. Esquemas

1º Esquema
A plenitude da lei é dada em Cristo, essa plenitude é o Mistério Pascal da Cruz e Ressurreição, o cumprimento dos mandamentos não fica na exterioridade mas vai a essência, por isso não basta apenas “não matar”, é preciso curar a raiz desse pecado que é ódio, o desejo de vingança que brota do coração humano, nem também chamar a pessoa de tolo, como na Mishná, o primeiro escrito da tradição judaica, se um ser humano humilha outro em publico fazendo-o empalidecer, é equivalente a assassinato, isso é agir com sabedoria, sabedoria que vem de Deus, e assim nosso agir está de acordo com a sabedoria que vem do crucificado como nos diz São Paulo, não uma sabedoria do mundo que valoriza o externo, mas aquela que brota de um coração que ama, e como no salmo, esse ser humano é feliz, porque segue o caminho do Senhor.

2º Esquema
quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar,  e aí te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta....
a reconciliação (diallagethi), começa a partir do coração, esse desejo de reconciliação nos possibilita não só oferecer, mas nos oferecer a Deus como pedimos em cada Pai Nosso, essa reconciliação é nessa terra, se não penetra na eternidade no purgatório. O coração humano precisa aprender que a justiça perfeita é a de Deus. Isso é a sabedoria do Senhor, pq sabemos que Ele tudo vê, e cada um de nós deve procurar agir procurando o bem, mas brota de uma decisão humana, cada ato é uma decisão uma sabedoria que estava escondida, mas que foi revelada na Cruz de Cristo.  Por isso, deixemo-nos moldar por essa sabedoria para sejamos homens e mulheres felizes.


3º Esquema
se olhar com o desejo de possui-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. O coração é a sede da decisão humana, por isso, é o decisão do adultério que já começa o pecado, o desejo de dominação da mulher já é o pecado, por isso precisamos conhecer a nós mesmos para sabermos o que cortar ou não, a lei como mestra da sabedoria do nosso coração, vai nos ensinando a escolher o bem e rejeitar o mal, necessitamos desse ensinamento de nossa vontade, para que cada vez mais não tenhamos uma sabedoria do mundo, mas uma sabedoria de Deus. Que nosso oração seja como no Sapolmo “Ensina-me a viver vossos preceitos”

4º esquema

Que o vosso sim seja sim, e o vosso não seja não. Autenticidade. O cristão deve conhecer o próprio coração, e o próprio processo de decisão, e saber as conseqüências da sua decisão, quando assim o fazemos, dizemos sim, quando sim, e arcamos com esse sim. Senão nos tornamos pessoas dúbias, como folhas movidas pelo vento. O juramento deve ser banido no sentido de chamar a Deus por testemunha de coisas banais. “Os olhos do Senhor estão voltados para aqueles que o temem”, se temos essa consciência não precisamos nos preocupar em nos justificar pq sabemos que Deus vê o nosso coração. Que a sabedoria revelada pelo Espírito, nos faça verdadeiros, que o Espírito que perscruta Deus, nos ajude a fazer com que sejamos transparentes perante Deus e as pessoas. Que sejamos firmes, como no salmo, em cumprir a vontade de Deus e ela seja a nossa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário